DOMINGOS CLANDESTINOS – A mulher na revolução

O programa foi emitido a propósito do dia da mulher, mas a homenagem foi feita às mulheres revolucionárias, às mulheres que não aceitam o papel subalterno do patriarcado alegro-republicano ou clérigo-cavaquista, às mulheres que assumem o seu papel na luta de classes lado a lado com qualquer homem emancipado. Das guerras do século XIX às sufragistas, da revolução russa à resistência anti-fascista em Portugal, percorremos algumas das heroínas que fizeram história. Antecipamos a partilha deste programa também em forma de tributo às mulheres que de Gaza a Beirute, de Tunes a Argel, de El Aaiún a Sana, têm feito a revolução que pode vir a ser bem mais amarga do que o Jasmim para o imperialismo e para as diferentes direcções da burguesia nacional árabe e magrebina. Depois da revolução democrática que avance a revolução do povo.

Descarregar aqui.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

19 respostas a DOMINGOS CLANDESTINOS – A mulher na revolução

  1. rui david diz:

    pois… fia-te na Virgem

  2. suiçinho diz:

    AS DEMOCRACIAS NÃO SÃO REVOLUCIONÁRIAS

    TAMBÉM TÊM AS SUAS NATAS E OS SEUS PASTÉIS

    E AS SUAS REVOLTAS

    AS MULHERES LUTAM POR PÃO PARA OS FILHOS

    NÃO LUTAM POR SOCIEDADES COM OU SEM CLASSES

    LUTAM PARA QUE OS FILHOS TENHAM FUTUROS

    TENHAM OUTRAS ESCOLHAS ALÉM DE SER PASTÉIS

    A REVOLTA DOS PASTÉIS CONTRA AS NATAS DO REGIME

    sábado 29 de enero de 2011

    NOS TEMPOS EM QUE AS REPÚBLICAS TINHAM REIS
    E NOS MUNDOS POVOADOS DE REPUBLICANOS ESCRAVOS

    OS REPUBLICANOS REIS SUGAVAM AS MASSAS INERTES

    PORQUE É DE SUA REPUBLICANA NATURA

    PRODUZIR MASSAS INERMES E ÉLITES PARASITAS

    NÃO PODEM TER TODOS LIVRES ESCOLHAS

    ALGUNS ESCOLHIDOS OS PAIS DAS REPÚBLICAS

    TUDO DOMINAM

    OS ESCRAVOS DA REPÚBLICA HERDAM A TERRA EM RECTÂNGULOS

    OU ADUBAM A FÉRTIL TERRA REPUBLICANA

    COM AS SUAS CINZAS

    QUE ISTO DAS REPÚBLICAS OU DAS RES PÚBLICAS

    NÃO PODEM SER PARA TODOS

    NÃO PARA NÓS QUE HERDAREMOS A TERRA RECTANGULAR

    TAMBÉM ALIMENTAMOS ESPERANÇAS E MEDOS

  3. miguel serras pereira diz:

    Curiosidade minha: o Irão não tem “burguesia nacional” – ainda que “patriótica”? Qual a natureza de classe do seu governo?

    msp

  4. [b]msp[/b] claro que o Irão tem burguesia, e muita, alguma dela está emigrada em Paris, Londres, Nova Iorque, etc. por as razões que se sabem ou por outras.

    Por exemplo, nunca pôs os pés no bazaar de Teerão ?
    Acha que os comerciantes lá são «classe operária» ?
    Ou que o pessoal das facs. (estudantes) são “filhos do povo” ??
    Só pode estar a brincar…

    😉

  5. Ah, e peço perdão pelo meu óbvio “bias”, queria expressar que as minhas ‘mulheres fundadoras’ são as ‘sufragettes’ anglo que despertaram o ‘género’ p’ra tudo o que se seguiu…

  6. Rui F diz:

    Salvo raras excepções, em nome da revolução surge quase sempre a …aberração.

  7. e suiçinho aprenda esta m#$%&a: há anos que em termos de “netiquette” (google for it you dumb aaa…) não é considerado delicado “abostar” em maiúculas, por duas razões básicas:
    1. Parece que está a ladrar forte, e que não é cão para o tamanho…
    2. Incomoda quem lê. E xiste uma teclinha no seu teclado, denominada «Caps Lock», costuma ficar do lado esquerdo.
    Dê-lhe um toque, e vai ver a diferença…
    🙁

  8. Faço minha a pergunta do Renato.
    Coordenadas, s.f.f.

  9. Vítor Neves diz:

    A forma como aborda o problema, mesmo a fotografia que escolheu para o texto, revelam falta de preparação intelectual para abordar este tema, como também uma enorme infantilidade.

  10. xatoo diz:

    entretanto no Cairo
    foi chamado o Exército com ordens de disparar balas reais… mas espera-se que a grande maioria dos soldados desobedeça ao governo
    http://english.aljazeera.net/watch_now/

  11. Tenho a referida no cabo… ´tá lá o Mohamed Mustafa ElBaradei a «falar às massas».
    Espero que ele não aceite nada, é assassinato garantido…

    http://cdn.wn.com/pd/87/4a/706bcdfeb5d28000c2b2834c727e_grande.jpg (a photo)

    http://en.wikipedia.org/wiki/Mohamed_ElBaradei (a bio, mais ou menos)

    🙁

  12. Pingback: Movimentos perpétuos do 25 Abril, de Novembro e agora também de Janeiro | cinco dias

Os comentários estão fechados.