A Internacional Socialista começa a ceder


Os americanos, discretamente, reforçam a sua armada no Mediterrâneo e Médio Oriente, o que significa que algo de interessante se passa. Na Tunísia já caiu Ben Ali e no Egipto prepara-se a queda de Mubarak. São os povos que se levantam.
Há umas semanas atrás, em Portugal, estes dois ditadores eram referidos como “moderados” e “amigos do Ocidente”, agora parece que afinal tinham um ou outro problemazinho. É certo que não se ouvirá grandes referências às simpatias que os nossos governos sempre tiveram para com estes regimes ou ao facto de serem camaradas do PS nessa grande organização mundial de opressores e sanguinários que dá pelo nome de Internacional Socialista.
Que o Siroco nos ajude e nos traga a inspiração dos povos que se revoltam.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a A Internacional Socialista começa a ceder

  1. Não percebo nada da ‘Internacional Socialista’ (kéké isso é , um grupo de jantares ?)
    mas duas observações.
    1. O govt. da Tunísia (que era um lugar onde um ‘ocidental’ — e os gajús topam-nos como tal a 100 metros… — se podia passear sem grande risco) só foi abaixo porque a tropa estava tão farta que se recusou a disparar para cima do maralhal.
    Quando a tropa deixa de cumprir ordens, e é assim que a ‘coisa’ funciona, ou então não vale a pena… alguma outra ‘coisa’ está severamente mal…
    2.. O Egipto como é claro para todos os outros «irmãos árabes» era/foi sempre políticamente uma ditadura (mas convinha-nos, ao ‘Ocidente’, era uma ditadura ‘das nossas’).
    Depois essa coisa absolutamente ainda mais reaccionária que as outras ‘religiões’ de nome Islão controla a vidinha de toda a gente, basta ter os respectivos ‘padrecas’ na mão para ter toda a gente na mão.
    Fenomenal se o pessoal se começar a distanciar dessas ‘crenças’ ridículas. Mas vai dar trabalho…
    🙁

  2. Justiniano diz:

    Caro Tiago, olhe que o siroco não é por ali muito apreciado, e nunca traz grande inspiração!!! Talvez e apenas o desalento contemplativo de quem se deixa morrer!! O siroco tem por ali andado há já demasiado tempo!!
    E terão, verdadeiramente, os que, ali, por ora, se revoltam inspiração!!?? Que inspiração!!??

  3. Vítor Neves diz:

    Quanto à análise do Tiago Mota Saraiva, falta dizer mais…
    Antes de atirar as culpas para a “Internacional Socialista”, é preciso ver até que ponto os E.U.A. e Israel não são responsáveis pelo que está a acontecer na Tunísia, no Egipto e no Iémen.
    Na Tunísia, já chamam à revolta popular, a «revolução de jasmim”, como se esta pertencesse ao mesmo ciclo de revoltas, tais como a «revolução de veludo», «laranja», «cor-de-rosa», etc…
    Depois, também tentaram disfarçar os acontecimentos, dizendo que a revolução teve a sua origem na «Facebook».
    No entanto, o que não conseguem disfarçar foi a tomada de posição que tiveram logo a seguir ao 11 de Setembro, em que, na agenda de destabilização do Médio Oriente, estavam as quedas dos regimes políticos no Iraque, Irão, Iémen, Egipto, Síria, Líbia, Marrocos, Tunísia, etc…
    É claro que com um africano americano tão simpático e tão “cool” à frente dos destinos do império, quem vai acreditar que os E.U.A., juntamente com Israel, esteja na base destas revoltas e nas quedas destes presidentes fantoche?
    Tudo não passa de mais um assalto do Império contra o mundo islâmico: destabilizar, para depois dividir e reinar.

    P.S.O Jaime Cozinheiro de Alverca continua a mandar os seus comentários infantis, ao jeito da piadinha parva e que não tem graça nenhuma.

  4. Abilio Rosa diz:

    Se aqueles dois caramelos das fotografias se são socialistas, o Cavaco deve ser do Bloco de Esquerda…

    Digo eu, que não sou «sucialista»…..

  5. rui david diz:

    a internacional socialista cedeu, mas não foi por isto. Foi na Europa. Isso é que é trágico. Quanto a estes meninos que bazem de vez que não deixam saudades.
    O que virá a seguir que decidam os tunisinos e os egipcios. Só espero que os democratas (islâmicos, ou o que seja) não se deixem comer pelos fundamentalistas como o foram no Irão.
    Como uma das potências hegemónicas já lá não está para atrapalhar, e a outra em maus lençóis, pode ser que com alguma ajuda seja possível instaurar um regime que não dê mau nome à democracia.

  6. Vítor Neves diz:

    Estou a ver que o Tiago Mota Saraiva, bem ao jeito de outros pseudo-revolucionários que integram este blog, corta nos comentários, ou seja, revela parcialidade na moderação de opiniões.

    Desejo-lhe boa sorte na sua carreira de moderador. Talvez, no PSD, lhe dêem um tacho para o fazer o mesmo que faz aqui.

    P.S. Publique isto se tiver coragem, seu idiota. E já agora, investigue este tema. Não seja medíocre, ao ponto de escrever o que vai na sua cabeça. Leia, investigue, aprenda.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Está a ver que o Tiago Mota Saraiva estará noite e dia à espera para aprovar os perspicazes e elevados comentários do pseudo-Vítor Neves.
      Olhe, fora de brincadeiras, aprovei-lhe este comentário só para lhe transmitir que talvez não aprove os próximos. Volte para o seu blogue mais uma vez não lhe darei o link com as visitas que anseia.

  7. Juntamente com a Tunísia e Egipto, ainda no mundo árabe, há movimentos populares no Iémen que merecem ser seguidos.

  8. Pingback: Entre o boçal Santana Lopes e o corporativo João Magalhães, prefiro o que fala a verdade. | cinco dias

Os comentários estão fechados.