Abutres

Uma reportagem de meter medo.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a Abutres

  1. consegue sempre ser pior do que eu imagino…

  2. Eu fiquei pasmada, apesar de já saber que esta gente é capaz de tudo. Nem sequer sabia que andavam a fazer negócios escuros com os edifícios do Estado. E o tio do Zézito anda sempre envolvido nestas teias.

  3. a anarca diz:

    Uma ponta de um iceberg …
    de meter medo é perante o banditismo o povo não reagir

    • Marota diz:

      Anarca, mas como pode o povo reagir? O povo anda ocupado a esticar o ordenado, para que chegue até ao fim do mês. O povo até nem sabe o que fazer contra estes vigaristas. Quem está em falha, são aqueles que conhecem bem o mal, bem formados e informados, não informarem o povo que medidas lhe estão ao alcance para fazer frente às trafulhas do Zézito e seus colegas, sejam eles do PS, do PSD, PCP, BE, CDS e Co., cheios de abutres à espera de oportunidade para também abutrar.

      • a anarca diz:

        Não seja marota 🙂
        Não é de hoje nem de ontem que vivemos na sobrevivência …
        Concordo consigo estamos entregues a uma praga de ratos e abutres .
        O parlamento devia ser reduzido ao minimo
        50% dos deputados para o desemprego já …
        🙂

  4. RM diz:

    Obrigado pelo Link para a reportagem queria ver em directo mas não tive oportunidade. Cada cavadela cada minhoca. E ainda há quem circule no meio desta gente e fique surpreendido com a situação em que o País está 🙂

  5. Tiago,fizeram-nos acreditar que o sistema de justiça existia para garantir o cumprimento da lei mas ao mesmo tempo entupiram o sistema,tornando-o inoperante e inacessível para quem mais dele precisa e instrumento dócil nas mãos dos prevaricadores,que dele tiram partido aproveitando a [des] adequação do sistema à desregulação e ao crime internacional, da lavagem de dinheiro ao crime económico que tornam letra morta as garantias da lei, à mercê de lobbies e grupos de pressão quando não máfias altamente organizadas.Só vejo uma maneira que sejamos nós a exigir a garantia da defesa dos nosso direitos,por uma justiça mais próxima e acessível retirando-a das mãos dos prevaricadores.

  6. Johnny Carmeleon diz:

    Obrigado, Tiago.

  7. O saque do património é a última manifestação da alienação de toda a propriedade pública,os restos de um banquete para alimentar a gula através de lucros “extra”através de um “mercado” de aceso restrito e privilegiado – se não há qualquer espaço público para mediatizar a nossa relação com os recursos ficam na mão de grupos extravagantes,da especulação e da economia subterrânea-
    Atacar as razões da pilhagem e do roubo do comum, pôr fim ao vandalismo económico na defesa do património comum contra os que querem fazer das virtudes económicas os proscritos do sombrio banquete.

Os comentários estão fechados.