Pobreza sem nome

Simone de Oliveira, figura da música ligeira portuguesa que eu nunca apreciei sob seja que critério for, representa para mim um passado que denominamos fascismo, salazarismo e/ou marcelismo. Faz pois parte de um passado de névoas sem grande sentido, e, por acaso ou não, parece-me que estava no auge da sua carreira na música ligeira ainda eu não tinha nascido, ou estava prestes a tal. Nessa mesma época política, portanto.

Agora, está a figura noutro apogeu: no auge da sua decrepitude pensante, sendo que “artisticamente” nada ou quase nada há para dizer sobre Simone de Oliveira há largos anos (o que não é grave, grave é outra coisa). Mas, Simone tem algo para nos dizer sobre a, digamos, “política nacional”. Ouçamo-la, e pasme-se!! – este pedaço de escória textual está na página do candidato Cavaco Silva:

A cantora Simone de Oliveira pediu hoje ao candidato presidencial Aníbal Cavaco Silva, no comício de encerramento da sua campanha, em Lisboa, para tomar conta dos portugueses e para os ajudar a serem mais solidários.

“Queria pedir-lhe por favor que tome conta deste país, que nos ajude a ser mais solidários”, declarou Simone de Oliveira, no Coliseu dos Recreios. “Nasci aqui e quero morrer aqui. Senhor professor, tome conta de nós”, reforçou.

É um portentoso retrato de Cavaco Silva e de seus apoiantes-tipo ( da “cultura”, ou melhor, do que Cavaco entende ser “arte e cultura” ).

Se alguém quiser comentar isto, faça favor…

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

27 respostas a Pobreza sem nome

  1. João Torgal diz:

    Bem lembrado, caro Vidal. Depois do fado mais reaccionário, com Kátia Guerreira há 5 anos, agora temos a força do nacional cançonetismo. É a lógica de cultura “popular” do Professor Aníbal

    • Carlos Vidal diz:

      João, como sabes, o nacional cançonetismo ressurgiu há uns anos como moda e produto exótico: Calvário, Madalena e outros.
      Mas, em Cavaco, não é uma ressurgência exótica – é o seu (dele) presente!!

  2. Dédé diz:

    Tudo isto existe
    Tudo isto é triste
    Tudo isto é fado.

  3. Anóniomom diz:

    O Carlos Vidal que é crítico de arte, o que tem a dizer sobre a arte na URSS? O que entendia o CC-partido-estado soviético por “arte e cultura”? (Como vê, tem tudo a ver com o seu post.)
    Quanta arte se fez fora dos olhares da polícia de Estado? Que valor teve e a quantas pessoas chegou?

  4. Augusto diz:

    A Simone é a criadora da Desfolhada com versos de Ary dos Santos….

    E ao lado da Simone nesse final de campanha, com o o Coliseu meio vazio, estava José Carlos Malato , um bom profissional de televisão e que tem apoiado a CDU.

    O que tem o Carlos Vidal a dizer disto….

    • Carlos Vidal diz:

      Meu caro, não tenho muito a dizer sobre a “Desfolhada”.
      Não é coisa que eu ouça e volte a ouvir, para voltar a ouvir e a ouvir – lamento.
      De qualquer modo, uma ilhota não faz um arquipélago.
      Nem duas ou três ilhas.
      Como faço com outras coisas, não re-ouço aquilo.
      O caso do Malato, não me interessa muito:
      deve ser daqueles que vai a todas: deve animar os comícios de todos os partidos: é o que os tipos como ele dizem: são “profissionais” !!
      De qualquer modo, seria interessante ver com que cara ficou ao ouvir as “palavras” da cançonetista…
      (Se calhar com a cara dele.)

    • António Figueira diz:

      A “criadora”?

  5. António Figueira diz:

    Estou-me a marimbar para a Simone, e percebo o que queres dizer, Carlos, mas tenho uma queda por isto:

    http://www.youtube.com/watch?v=HsAbEjCh8oU

    (tinha 5 ou 6 anos, caminho de Azeitão para a Arrábida, Simca-Arondt do meu tio, a minha irmã cantava isto para os gnr’s fecharem os olhos, éramos 8 ou 9 no carro)

    • Carlos Vidal diz:

      Compreendo António.
      Mas isso retrata um tempo que, apesar de coincidir com a infância, como dizer, alegre ou jubilosa, também traz algu de amargo, desagradável, desértico.
      E Cavaco representa muito bem toda essa aridez.
      A ele e àSimone faltam-lhes dimensão trágica (apesar do acidente na voz da cançonetista).

  6. Nuno diz:

    O Carlos Vidal não é “passado”, mas com este “presente” só terá “futuro” na Coreia do Norte.

  7. LAM diz:

    A senhora tem uma história tão curiosa como tantas outras que na época pós 25A circularam, democratas a dar cum pau, pelas bandas de insuspeitos partidos de esquerda. Com o aparecimento do cavaquismo pelos 80s começaram a constituir-se como claque geriátrica do então eminente ministro (ou secretário de estado ?) da cultura Santana Lopes, a quem bastou um aumento cirúrgico nas reformas de algumas dessas figuras para arranjar quórum para uns jantares “espontâneos” de apoiantes pelas bandas do Parque Mayer.

    • Carlos Vidal diz:

      Mas há nesse “grupo” gente com qualidades que à Simone não podemos apontar: de Rui de Carvalho a Eunice – nem tudo é “simone”. Nem Rui nem Eunice, suponho que a troco de nada, diriam o que a senhora disse!

      • LAM diz:

        Eu não quis citar esses nomes por algum respeito que mantenho às suas carreiras. Mas em cavacadas anteriores, nomeadamente no que atrás cito mais numas camarais em que o menino guerreiro foi candidato, a coisa andou ela por ela…

  8. E gosto muito das mãos da Simone, uma grande Senhora.
    Deixa-lá o ISCUTE, A NOVA e que tais, refere-te, isso sim, a partir de amanhã às conferências nomeadas 100 Lições, 1″L ULIS 2011 com o alto patrocínio das LETRAS.
    Jovem, pois que és, imbuido nos mitos e ritos dos Godard’s, pedros costas, ozus e tal, falta-te a visionação e montagem da genial obra de autor, os Canhões de Navarone.

  9. Declaração de interesses.:
    1. Nunca gostei dessa Simone,nem da Madalena isso, nem do António Calvário, nem do António Mourão, nem de nenhum /a parecido/a.
    2. A«minha» Simone chama-se Bittencourt de Oliveira (é ‘fufa’, vive/vivia no Rio) conheci-a numa coisa chamada ”Festa do Avante’ no Alto da Ajuda , pois eu não sou do PC, mas não é por isso que deixo de frequentar essas, desde as do Humanité atá às do Unitá, as melhores…

    Aqui a têm, música do Bituca, letra do Fernando Brant:

  10. rui david diz:

    porra, Carlos Vidal, sinceramente, posso não concordar com muita coisa (com a maioria) do que escreves, mas mal por mal ainda confio no teu julgamento estético, com o qual confesso que tenho aprendido. Mas agora malbaratar talento em posts com a simone é uma descida de tom que não lembra a um careca…

    • Carlos Vidal diz:

      Tem toda a razão, falar da Simone de Oliveira é descer abaixo de tudo, diria mesmo de cão. Pesei bem as palavras sobretudo depois do que ouvi esta noite, da boca desta sra: “gostei de ver Alegre assim baixinho, baixinho ao nível de Argel”.

      Não aprecio o trajecto de Alegre depois de 74.
      Mas enquanto Alegre estava em Argel, S. de Oliveira estava onde??

      • maria costa diz:

        Caríssimo? e você estava onde? Então veja lá bem que Alegre estava em Argel, cheio de “papel”. na linha do “revolucionário” de caviar”. Respeito toda a gente, mas pareceu-me que vc era tipo que reflectia e acordava p’ra vida.

        • Carlos Vidal diz:

          Provavelmente, estava a nascer.
          Mas acho inadmissível que uma cançonetista comente o passado de alguém que, em Argel ou noutro qualquer lugar distante, trabalhava contra uma vida colectiva amarga de que Simone de Oliveira se alimentava.
          Até o José Cid lutou e foi censurado (julgo que muitíssimas vezes!!!), isto para citar gente do “espectáculo”, gente próxima e distante de Simone.

  11. João Pimenta diz:

    Vocês não vêem que é ela a pedir ao professor doutor dinheiro para pagar a renda da casa, o ald do carro e as férias nas Seychelles?
    Ao cavaco só pedia uma fotografia para obrigar os meus filhos a comer a sopa senão chamava o papão.
    Simone será sim a brasileira essa sim grande intérprete.

  12. M.RAMALHO diz:

    Também foi por isso (e outras coisas e promessas) que o Povo mal soube da vitória do Anibal veio para as ruas festejar, lançar foguetes, buzinar nos seus automóveis e vivas, muitos vivas por este nosso Portugal!!! Gostei!!! Gostei da festa deste Povo!!! Gostei!!!

  13. maria costa diz:

    Confesso que estou baralhada com tantas opiniões. Tão loucos? Nem sei bem como responder a tanta ignorância.
    Ó João Pimenta, você deve ter um problema de adição.Só um pormenor, Simone de Oliveira vive num T1 hà 37 anos. Faz 15 dias de férias em agosto na Ericeira, pagos por ela, como podem comprovar. Caso seja necessário enviamos, lista de reserva, factura recibo.
    Pelo menos Simone de OLiveira estava em Portugal no 25 deAbril de 74, provavelmente o candidato Alegre não estava. É claro que sabemos que não estava. Quanto ao que Simone pode ganhar por apoiar o Prof Cavaco Silva? GANHOU MUITO. Ganhou o que sempre pensou, um melhor país para todos e muito para os seus netos

    • Carlos Vidal diz:

      «Pelo menos Simone de OLiveira estava em Portugal no 25 deAbril de 74, provavelmente o candidato Alegre não estava.»

      maria costa, caríssima, esta frase é vergonhosa.
      Nem me vou dar ao trabalho de dizer porquê.
      A sra. Simone saberá.

      Como diz acima o António Figueira, estou-me marimbando para a Simone, mas não me é indiferente a frase “professor tome conta de nós”.

Os comentários estão fechados.