Nem remendos, nem côdeas. Votei nulo contra o plebiscito entre dois charlatões. Que o duelo seja de classes e o Eduardo Gageiro me perdoe.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

26 respostas a Nem remendos, nem côdeas. Votei nulo contra o plebiscito entre dois charlatões. Que o duelo seja de classes e o Eduardo Gageiro me perdoe.

  1. a anarca diz:

    eh eh eh
    já agora como anulou 🙂 diga: nos com desenho ou palavra ????
    já votei e tirei uma voto (como prova )

  2. Pascoal diz:

    Vai-te preparando para logo ires buzinar festejando o novo-velho emproado presidente eleito à primeira volta.

    • Renato Teixeira diz:

      Não. Tenho uma palete de minis no frigorífico na esperança de celebrar a primeira derrota do Sócrates.

  3. Renato Teixeira diz:

    Roubei do cartão os dois principais candidatos do regime. Estão na foto do Gageiro para ser eu a ganhar concurso do domingo sem sapos.

    http://5dias.net/2011/01/19/concurso-por-um-domingo-sem-sapos/

  4. Alfredo Caiano Silvestre diz:

    Essa posição pretende ser de esquerda ou de direita? E não será, ao invés, de puro desinteresse?

    • Renato Teixeira diz:

      A minha? De extrema-preocupação.

      • «Nem remendos, nem côdeas. Votei nulo»

        Votar nulo em presidenciais é não votar.
        Os votos nulos e brancos em presidenciais «ajuntam-se» com os não votos (gajos e gajas inteligentes que não vão votar).
        Em presidenciais só os votos, claramente, expressos num dos candidatos são considerados.
        Concluindo é como se viesse aqui para o «blog» gabar-se que tinha passado uma noite com a Angelina Jolie que lhe tinha dado uma grande fo** mas que não houve penetração.

  5. António Figueira diz:

    És um gajo porreiro, mas um tolo do caraças!

  6. Leitor Costumeiro diz:

    Ainda me vou divertir um bocado hoje…

  7. Atenção !
    Aki ao pé de mim (Massamá) parece que há filas de 30 metros (ou trinta minutos, não percebi bem..) para ir la pôr a cruzinha, deve estar toda a gente enregelada, todos muito empenhadíssimos, cheios de portáteis e sabe-se lá o que mais.
    Massamá dantes eram quintas, agora são prédios enormes, restaurantes mexicanos (??) a servirem um “gauacamole” horroroso, e nem sequer o general Spínola ainda está vivo, nem o cavalo dele…
    😉

    • Von diz:

      E você vive num desses prédios enormes ou tem quinta? E o guacamole? Experiência própria? Atire-se antes a umas iscas. Ou um bacalhau afogado em azeite.

  8. RSP diz:

    Em nome de Cavaco Silva agradeço-lhe o voto nulo.

  9. Von, eu vivo numa aldeia a uns 15 kms disso, 2000 habitantes e todos nos conhecemosuns aos outros, aki não há prédios p’ra ninguém.
    Mas é claro que já fui lá ‘investigar’ akilo…
    Não fikei muito mais esperto, diga-se.
    🙂

  10. RM diz:

    Eu também não votei no M. Alegre mas dei o meu contributo para a segunda volta. Eu entendo quem se está a marimbar para a segunda volta. Mas também me lembro que alguns militantes do bloco, há uns anos, quando falávamos de propinas que por princípio seriam gratuitas, se esqueceram dos princípios de então e gritaram “reduzir até ela cair”. Um passo de cada vez e o pensamento, para mim, será o mesmo.

    Abraço a todos

    • antónimo diz:

      a última vez que dei pela posição do BE sobre propinas, não me pareceram muito irritados com a sua existência – optam mais por uma cena à la Guterres

  11. rui david diz:

    Pure lunacy…
    parece que as classes não estão lá muito interessadas em duelos. Pelo menos uma delas, que ficou nas covas com o frio enquanto a outra deu uma pacífica maioria absoluta ao Cavaco (mas o que interessa isso se o que vale a pena é visionar nisto uma derrota do Sócrates?).

  12. A.Silva diz:

    Parabéns Renato, parece que ganhas-te!

Os comentários estão fechados.