Campanha de baixo nível

Se a direcção do BE se prepara para justificar com estes argumentos um eventual falhanço da candidatura de Alegre, espero que haja muitos companheiros aderentes do BE que reconsiderem a sua militância.

P.s. – Toda a atenção para os comentários

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

18 respostas a Campanha de baixo nível

  1. Pingback: Coisa de ocasião | cinco dias

  2. Renato Teixeira diz:

    Não arranjavam outro para fazer o balanço justificativo? Tinha que ser o Fazenda? Será que vai ser ele a falar amanhã à noite? 🙂

  3. Rui F diz:

    o que se vê nas sondagens (Lopes com menos % de votos que Jerónimo) é que muitos comunistas colocam em causa os ditames do partido.

    • andré costa diz:

      O que se viu na sondagem da Intercampus foi F. Lopes com 8,2%. E o que se vê nelas é Alegre 20 ou 25 pontos abaixo da soma PS+BE.

    • António Figueira diz:

      Ru F, sai dessa (queres saber o que é que as sondagens dizem à soma de votos PS + BE?)

      • Rui F diz:

        coloquemos as coisas ao contrário

        e que tal um partido com 20 e tal por cento resultando de Bloquistas e Socialistas do PS?

        • Antónimo diz:

          Está-se mesmo a ver que o BE vai conseguir captar esses tais militantes socialistas do PS. Devem estar desertinhos por remar por lá, enquanto esperam que os tachos pinguem quando formarem governo com o PS mais velho (e só, pois os PCPs são excluídos, claro).

        • Antónimo diz:

          Aliás, esse é um problema do BE votam quase sempre com o PCP e vice-versa.

          Mas prefere ensaiar reuniões com o Alegre no Teatro da Trindade, dizendo que toda a esquerda é bem-vinda mas convidando só alguma para o encontro; ou malhando no candidato P«S» ao Parlamento Europeu, mas gritando num seu blogue de grande audiência que foram os malandros do PCP que cascaram no homem.

        • António Figueira diz:

          Que esperteza!

  4. Augusto diz:

    Caro Tiago, problema tem o seu partido, o PCP, com a candidatura de Francisco Lopes, quando poderia ter avançado com uma candidatura abrangente como a de Carvalho da Silva.

    Mas como estamos em dia de pensar bem, e para qualquer homem e mulher de esquerda a principal, tarefa é obrigar Cavaco Silva a uma segunda volta, e derrotá-lo, hoje fico-me por aqui.

  5. António Figueira diz:

    La-men-tá-vel: sectarismo em estado puro, para desculpar o indesculpável (no palco com José Sócrates e os seus rapazes).

  6. rui david diz:

    os “companheiros” que pensem bem… a oferta de “companheiros” está por dias, os saldos acabam já amanhã. Depois voltam a ser social democratas neoliberais, social fascistas, quiçá… é pegar ou largar.

  7. Augusto diz:

    Ramalho Eanes o homem do golpe contra revolucionario do 25 de Novembro.

    Mario Soares nem precisa de apresentação

    Jorge Sampaio dirigente do PS

    O que têm em comum estes 3 cidadãos.

    Foram Presidentes da Republica, APOIADOS pelo PCP

    E esta…….

    • Rui F diz:

      em caso de 2ª volta o PC apela à derrota do Cavaco, seja o Alegre o Nobre o coelho

    • António Figueira diz:

      V. é de um sectarismo delirante; a realidade objectiva e incontornável – o facto de Alegre ser o candidato do BE e do PS – é chata, muito chata; “para a troca”, V. invoca o precedente da eleição de 1980 ou da 2ª volta de 86, apesar das diferenças de contexto enormes, e de nunca terem implicado uma aliança objectiva, como esta, com um governo como o actual; e depois, no fim, sempre umas reticências que nunca mais acabam, uma saída à Fernanda Pessa, ou outra possidoneira qualquer!

  8. mp diz:

    Pus este breve comentário no esquerda.net, não sei se será publicado mas de qq maneira fica tb aqui:

    Alegre desalinhado com PS?

    Diferenças entre a candidatura de há 5 anos?

    Há 5 anos é que esteve desalinhado com o PS, nestas eleições partilha os palcos com Sócrates e companhia (Louça, Fazenda, António Costa, Garcia Pereira, Augusto Santos Silva), assume a inevitabilidade da aprovação do Orçamento, etc e etc….

    Com o aproximar da desgraça começam as tácticas de controle de danos, o PS culpará o BE, o BE desculpa-se com o PCP….

    É desgraçadamente caricato que o Fazenda tente dizer que o PCP se preocupa com as legislativas quando foi, pelo contrário, a sua própria agremiação que nos seus habituais tiques de oportunismo parlamentar se lançou na caça ao voto dos descontentes do PS em plena campanha presidencial…

    A questão é que o único discurso de esquerda, que durante a campanha claramente apontou e denunciou as políticas e os políticos responsáveis pela situação do país foi o do F Lopes. a direcção do BE está-se a borrifar para isso, o que pensarão os militantes do BE?

Os comentários estão fechados.