E os oportunistas, conseguem dormir?

Esta tarde, testemunhei a violência nos arredores da residência oficial do primeiro-ministro. Depois de um plenário de dirigentes e activistas sindicais, a polícia barrou a saída aos trabalhadores e ordenou-lhes que dessem a volta ao quarteirão. E como os direitos se defendem exercendo-os, avançámos sem medo. Atiraram-se como cães esganados. Simplesmente, porque íamos para casa por onde queríamos e não por onde eles queriam. Houve gente pontapeada no chão. Bastonadas a torto e a direito. Saltaram vários polícias infiltrados à paisana. Tudo valeu para reprimir a luta dos trabalhadores.

No fim, apesar da dura resistência, conseguiram levar detidos dois sindicalistas. Mas ninguém arredou pé. Durante várias horas, a estrada esteve cortada pelos trabalhadores. Ninguém se calou. Ninguém quis sair sem o regresso dos camaradas. A meio, apareceu a solidariedade dos deputados do PCP. Depois a mensagem da deputada do Bloco de Esquerda. É preciso ter coragem quando se anda de mão dada com os donos dos que bateram nos trabalhadores.

Esta noite, pesará a consciência a muitos polícias. A outros nem por isso. Já o governo, o PS, o PSD e o PP dormirão tranquilos. Cumpriram o seu papel. Os trabalhadores também.

E os membros do Bloco de Esquerda? Conseguirão dormir?

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

30 respostas a E os oportunistas, conseguem dormir?

  1. bruno pereira diz:

    que post mais larvar!! que idade tens??

  2. Augusto diz:

    Tanta demagogia junta, o Bloco de Esquerda já condenou a agressão, e pediu explicações ao ministro da tutela.

    Até Alegre tambem condenou o que se passou.

    Mas para os militantes do PCP serve tudo.

    Atenção o adversário de domingo é Cavaco Silva a ver se não se esqueçem…..

    E quanto a alianças, que moral tem para criticar , quem se alia com o PSD e até com o CDS em tantas Camaras e juntas de freguesia…..

  3. CausasPerdidas diz:

    Unidade, unidade…

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      … do trabalho contra o capital!

      • CausasPerdidas diz:

        O “post” reflecte isso, né?
        A coisa até que estava boa, só com trabalhadores e “a solidariedade dos deputados do PCP”, foi pena terem aparecido aquelas duas deputadas do Bloco de Esquerda… só faltou dizer que vieram com ou trouxeram a polícia.
        O texto é um nojo, um hino ao sectarismo mais imbecil. E direi mais: seria capaz de jurar que o seu autor de certeza que não tem quaisquer responsabilidades sindicais. Qualquer militante sindical do PCP, que esteja numa empresa, sabe do que falo.

  4. Youri Paiva diz:

    Isso já me parece exagero. Por mais críticas que se possam apontar ao BE sobre o seu apoio a Manuel Alegre, parece-me completamente infundada a ideia de que o BE está ao lado da polícia.

    Até porque aí, ambos os partidos referidos por ti, já se portaram mal quando a polícia bate da mesma forma em pessoas que não são trabalhadores sindicalizados.

  5. ferzinho diz:

    aqueles aderentes do BE que sempre foram contra as alianças com o PS (desde o Sá Fernandes ao Alegre), sim. conseguiremos dormir e muito bem. dois lutadores foram “resgatados”. será uma noite tranquila concerteza.

  6. Nuno Ramos de Almeida diz:

    É interessante que o teu post se dirige mais ao BE do que ao governo. Serás mais inimigo destes do que daquele? Entretanto, a razão que usas para amalgar o BE com o PS (Alegre) condenou a agressão policial. Como ficamos?

  7. Paulo Jorge Vieira diz:

    Bruno
    No momento em que alguém foi vitima de violencia policial a quando do usufruto do seu direito de manifestação parece-te mais interessante atacar demagogicamente o BE.
    Fica-te mal!

  8. LAM diz:

    Post absolutamente lamentável e patético.

    (o blogue é seu, proceda como bem entender com este comentário.)

  9. Renato Teixeira diz:

    Lá que o SPGL anda um bocado paradote é verdade, e isso falta estar presente na análise do Bruno que assume que mais pessoas saibam o que ele sabe. Fora isso entendo que a ausência do BE no protesto, ou a sua participação sob a forma de mensagem, indigne os que lá estiveram sendo ou não do PCP. Eu não sou e ainda hoje me pergunto pelo quase desaparecimento da luta dos professores, com particular relevância no caso de Lisboa. Como é evidente a concordata entre o Mário Nogueira e o governo também não terá sido grande ajuda. Enfim. Esbofeteiem-se com mais ternura.

  10. puffypuffs diz:

    Então ainda há umas semanas na manif da NATO eram tão amigos e agora isto?

  11. Nuno Dias diz:

    Quando os protestos são politizados e as pessoas meros carneiros.

    É preciso é ter muita lata um comunista insinuar semelhante.

  12. Sérgio Pinto diz:

    Bruno Carvalho,

    Perante a inteligentíssima pergunta com que encerra o seu post, pergunto-me se respectivo título não será uma autocrítica.

    Uma questão um pouco lateral (ou talvez não)): e os que apoiam e apontam a China como exemplo, conseguem dormir sabendo que glorificam o país que mais trabalhadores explora no mundo?

  13. mi diz:

    Até Quando?
    Gabriel O Pensador
    Composição: Gabriel o Pensador; Itaal Shur; Tiago Mocotó

    Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta
    Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve
    Você pode e você deve, pode crer
    Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
    Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus sofreu
    Num quer dizer que você tenha que sofrer

    Até quando você vai ficar usando rédea
    Rindo da própria tragédia?
    Até quando você vai ficar usando rédea
    Pobre, rico ou classe média?
    Até quando você vai levar cascudo mudo?
    Muda, muda essa postura
    Até quando você vai ficando mudo?
    Muda que o medo é um modo de fazer censura

    (Refrão)
    Até quando você vai levando porrada, porrada?
    Até quando vai ficar sem fazer nada?
    Até quando você vai levando porrada, porrada?
    Até quando vai ser saco de pancada?

  14. “É interessante que o teu post se dirige mais ao BE do que ao governo. Serás mais inimigo destes do que daquele?”

    Mas há alguma dúvida???

  15. “O quase desaparecimento da luta dos professores”?

    Mas Renato, fazes alguma ideia do jogo de forças que actualmente domina a FENPROF? Se queres saber sobre a capitulação dos sindicatos ao ministério, porque não perguntas antes ao Bruno Carvalho, que, aí sim, deve ter algumas inside informations que nos permitam entender a misteriosa estratégia?

  16. Um pouco ao lado, sobre um ‘pormernor’:
    «Esta noite, pesará a consciência a muitos polícias…»
    Ilusão sua. Eles dormem perfeitamente. Dever/objectivo cumprido.
    Mas ninguém o impede de ter fantasias românticas sobre o assunto…
    Por mim, é de ir-lhes aos cornos primeiro, e perguntar se são «filhos-do-povo» depois.
    A alternativa é apanhar e queixar-se. Sempre foi assim.
    🙁

  17. Pedro Afonso diz:

    Assim se vê a força do PC. Vê-se também qual é o interesse que tem na luta dos trabalhadores e não me parece que este seja os trabalhadores…

    Na luta dos professores é só ver o que aconteceu no sindicato da zona sul e depois digam lá quem é que dorme mais descansado.

  18. brunopeixe diz:

    Bruno,

    antes de mais, votos de boas-vindas ao blogue, bastante atrasados.
    e deixa-me aplaudir a vossa coragem em não acatar a arbitrariedade e a prepotência da polícia. mas não posso deixar de ficar um bocado perplexo com a pergunta com que concluis o teu post. acima de tudo, não consigo deixar de me lembrar do que se passou na manifestação contra a NATO, em que alguns manifestantes desfilaram cercados de forças policiais, com a cumplicidade de um tal « serviço de ordem », e o silêncio cúmplice da maior parte dos outros manifestantes. ainda bem que os trabalhadores, activistas e dirigentes sindicais decidiram não servir a ordem que a polícia lhes estava a impor.
    por isso pergunto-te: dia 20 de Novembro o PCP dormiu bem?

    um abraço,
    bruno peixe

  19. lingrinhas diz:

    Pois é sr bruno eu tambem lá estive porque fui avisado pelos camaradas que ia haver merda e tambem assisti à cena que foi montada pelos “trabalhadores”o que vi foi alguns valentões profissionais a quererem arranjar caldeirada mas que não foram seguidos pelos “trabalhadores”claro que houve empurrões e algumas cacetadas bem dadas mas que não chegou para a vitimisação pretendida os “trabalhadores” moravam todos para o lado da estrela.mas não se esqueçam que foi a mesma linha de “trabalhadores” que há alguns anos mandou a policia militar malhar nos metalurgicos no pavilhão carlos lopes portanto tenham juizo façam a vossa luta mas lembrem se tem que haver ordem e não tentem arranjar caldinhos para se vitimizarem.

    • António Figueira diz:

      Os metalúrgicos & a polícia militar no Pavilhão dos Despostos em mil novecentos e troca o passo! A enésima quantagésima vez que o homem escreve esta história! A monomania de um cromo que se chama lingrinhas deve ser considerada uma espécie de anorexia mental!

  20. brunopeixe diz:

    Lingrinhas,

    Pelo que sei, não estive lá, os únicos valentões profissionais que queriam arranjar problemas foram os polícias que, sem razão aparente, não deixaram as pessoas transitar por uma via pública como era seu direito.
    Viu as justificações da polícia? Disseram às pessoas que não podiam ir por ali e as pessoas desobedeceram. E pronto. O que me deixa contente é que os trabalhadores e activistas não tenham aceite uma ordem só porque é uma ordem, independentemente das razões de quem a enuncia. É um excelente sinal para os tempos que se avizinham, quando se começa a dessacralizar a ordem legal e os seus portadores.
    De resto, obrigado por lembrar a malta que tem de haver ordem. Pode até ser que tenha de haver, não estou certo, mas de uma coisa estou seguro: é que não tem de ser esta ordem.
    fique bem,
    bruno

  21. paradise café diz:

    sem querer defender o bloco em nada, pergunto-lhe: e o seu sono como anda desde a manifestação contra nato e protestos dos dias anteriores. Olhe que os bastões que impediram a livre manifestação de pessoas nessa manifestação foram os mesmos que agora carregaram sobre os sindicalistas, a diferença é que no primeiro caso a polícia agiu em conluio com o pcp e a cgtp e no segundo com o governo.
    bons sonhos bruno, para si e para o seu partido (quando nos calha a nós doi sempre mais não é?)

  22. lingrinhas diz:

    SR Antonio figueira é muito dificil esquecer aquilo a que assisti em mil novecentos e troca o passo e como a tropa fandanga é a mesma mais dificil ainda e como já cá ando há muito tempo j´aprendi a conhecelos á distancia poderia contar-lhe muitas coisas mais mas não vale a pena porque voces já sabem tudo e as palas são grandes e o cd carrega mais que cassete. cumprimentos sem insultos. lingrinhas.

  23. Carlos Homem Bispo diz:

    Falta apenas o ‘botas’. De resto… mais Estado Novo…. é impossível.

Os comentários estão fechados.