“Não esquecemos”

Ontem Cavaco:
Antes de Alegre, no discurso do almoço tinha falado o deputado do Bloco de Esquerda, que recordou “uma geração inteira que saiu à rua e foi recebida por bastonadas em frente ao Parlamento”, disse referindo-se às manifestações de estudantes no tempo em que Cavaco Silva era primeiro-ministro. “Não esquecemos”, disse Soeiro

Hoje Sócrates:
A concentração de dirigentes, delegados e activistas sindicais da administração pública junto a residência oficial do primeiro-ministro, em Lisboa, para contestar os cortes salariais terminou com confrontos com a polícia. Uma sindicalista queixa-se de ter sido agredida.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

7 respostas a “Não esquecemos”

  1. Bolota diz:

    Isso tem um nome: Farinha do mesmo saco.
    Aliás tem dois…a merda é a mesma o cheiro é que é diferente

  2. sem nome diz:

    mas o Soeiro não andava de fraldas quando a “geração inteira (…) foi recebida com bastonadas”?

  3. resumo diz:

    A brava policia finalmente já começa a bater nos sindicalistas.Não levaram os banksters mas alguém tem q levar com elas democraticamente.Asim é que é policia-2 pesos duas medidas

  4. Youri Paiva diz:

    Finalmente? Não é propriamente uma novidade. A novidade é o mau timing.

  5. J. Madeira diz:

    Quizeram imitar o candidato Coelho, passeando na rua 18 da quinta da coelha, atravessar
    o território nacional não é crime, mas se rua estiver fechada ao trânsito pedonal e, com a
    autoridade presente, passa a ser desobediência!

  6. Pingback: Chapéus há muitos | cinco dias

  7. lingrinhas diz:

    ó tiago não me diga que a agredida foi a sindicalista Avoila.

Os comentários estão fechados.