Sporting 0 – SAD 5

O Sporting perdeu. Mas não foi ontem nem o culpado é o Paços de Ferreira. O Sporting, e todos os outros clubes perderam quando passaram a SAD’s, rapidamente dominadas pelos “empresários” do futebol e pela banca.
Não sei se haverá outro clube que o tenha conseguido, mas nos últimos onze anos houve dois jogadores que obtiveram o prémio de melhor jogador do ano e que foram formados nas suas escolas – Figo e Ronaldo. Curiosamente, nem um nem outro, obtiveram sucessos desportivos no clube pois rapidamente foram sugados por outros mercados.
As SAD’s não existem para que o clube obtenha sucessos, mas para que os seus accionistas obtenham lucros. Bettencourt fez o seu papel na tribuna VIP, agora pode regressar ao Santander como um herói.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a Sporting 0 – SAD 5

  1. JDC diz:

    Olhe que não, olhe que não… O afundamento dos clubes começou quando se contratavam jogadores desconhecidos por mais de um milhão de contos. Durante as décadas de 80 e sobretudo 90, os clubes gastaram muito dinheiro que, efectivamente, não tinham! E, agora, pagam as favas…

  2. maradona diz:

    o porto tem sofrido imenso com a banca, a sad e os lucros dos accionistas.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      Nos últimos 50 anos o FCP foi dirigido por uma certa burguesia industrial nortenha que se mantém, haja SAD ou não. Ou entende que a presidência de Pinto da Costa se alterou antes e depois da SAD?

      • LAM diz:

        Não Tiago, o maradona tem razão. Talvez só no Porto a SAD tem sido uma entidade efectivamente empresarial, que não se tem limitado a suprir as necessidades únicas ou imediatas do próprio clube. Daí as paletes de jogadores que todos os anos ali aportam, alguns deles, está na cara, nunca servirão ao próprio clube. Ao contrário da maioria das outras SAD (talvez….todas) que estam à espera que lhes apareça um Figo ou um Cristiano Ronaldo que lhes resolva o problema.

      • maradona diz:

        parece acusar a SAD (e as implicações de gestão que elas implicam) como responsavel pelo estado do sporting; contesto isso, acho que não existe a mais vaga prova de que isso seja assim. o porto cresceu e vence porque é futebolistiamente bem gerido, com sad ou sem sad (como disse) e, arrisco dizer, com pinto da costa e alguns dos seus manfios à sua frente , até se fosse gerido sob regime comunista o FCP prosperaria; não tem nada a ver com a “burguesia industrial”, por deus; burguesia para ali e para aqui, a burguesia para vocês é plasticina ideológica; o que fez o porto foi o futre e o madjer, o joão pinto e o andré; o jardel e zahovic, o mourinho e o deco; foram coisas simples, caramba. e o dominio do sistema, pois então, que ele conquistou ao benfica e ao sporting, não esquecer que também lhe cabe o mérito de ser um melhor mafioso que os outros.

        • Tiago Mota Saraiva diz:

          Não é a SAD que contesto, mas o modelo de gestão que permite que se esvazie os poderes das assembleias de sócios em favor dos “directores” tão dependentes que estão dos Oliveiras, Mendes e afins – que são os mesmos em todos os clubes!
          A SAD do FCPorto sempre foi diferente, porque enraizada numa cultura mais antiga. O FCP vive um reinado que pouco se deixou afectar (e não! o FCP nem sempre deu lucros!) pela SAD – controlada por Pinto da Costa e sus muchachos.
          Que salganhada, o João Pinto e o André nada têm a ver com o Futre! É como comparar uma batata e uma abóbora com um robalo.

      • gg diz:

        Não me digas que é a classe operária que está À frente do SCP ou do SLB….

        maradona, o FCp sofre, como todos os outros, com o facto de ser uma SAD. Entram Milhões e milhões, basta vêr os valores pagos por jogadores e trinador na época a seguir à segunda taça dos campeões, para vêr que há quem se esteja a encher! no porto, no benfica e no sporting!

  3. António Figueira diz:

    Avoir tort avec Tiago, ou raison avec Maradona (pron: Má-rá-dô-ná)? É lixado, Tiago.

  4. Pingback: A decadência do Sporting, a SAD e Pinto da Costa « O Insurgente

  5. P.M.S diz:

    A memória é muito curta.

    As SADs foram um balão de oxigénio para os clubes – e não apenas pela entrada de capital fresco aquando das subscrições, mas também, e principalmente, pelos muito mais rigorosos controlos externos que lhes são impostos (às cotadas). Eu tenho uma quase total confiança na informação financeira divulgada pelas SADs e desconfio muito que quem não o tem e sugere conspirações simplesmente nunca leu um R&C de qualquer das SADs – um óptimo exercício para perceber o que é o futebol em Portugal, as imensas limitações do negócio e o pouco ajuizado que é sugerir que os clubes sofrem por causa das SADs. Eles sofrem é por estarem num país pequeno e pobre.

    A ideia de que as SADs existem “para que os seus accionistas obtenham lucros” demonstra bem o grau de alienação e de desconhecimento do autor no que toca a estes assuntos. Eu sou accionista da SAD do Sporting desde a OPS (gastei uns 150 contos na altura) e nunca estive sequer perto de receber dividendos – para lá do valor de venda neste momento ser para aí 1/4 do valor de subscrição.

    Desconheço se o Tiago Mota Saraiva acompanhava o SCP nos tempos pré-SAD e com que proximidade o fazia, mas pessoalmente raramente falhei uma AG desde 85, por aí. Recordo-me bem de não haver dinheiro para pagar salários e de como o meu pai fiou gasóleo para as carrinhas durante ano e meio (que anos depois, já o meu pai morto, me seria pago, sem juros, pelo Sousa Cintra com um cheque pessoal dele)- ou do apelo desesperado do Amado de Freitas, que dizia não ter ainda enviado as cartas para renovação (coisas da altura) porque nem para dinheiro tinha selos.

    A SAD não foi o problema. O Sporting perdeu por dois grandes factores: o Pinto da Costa tem olho para escolher treinadores e jogadores e criou no Porto uma cultura organizacional muito boa (há tempos estava a ouvir o João Pinto a falar do Futre, dos hábitos do Futre quando chegou ao Porto e de como eles o receberam e percebe-se muita coisa por aquela meia dúzia de frases) e devido ao chamado projecto Roquete (componente imobiliária + anos Duque) que resultou no afundamento do Sporting num mar de dívidas no qual possivelmente morreremos afogados. Só me faz lembrar o Belém quando se meteu a construir o Restelo e perdeu o comboio financeiro na altura em que o futebol se estava a profissionalizar a sério, infelizmente. Apostar – e depois insistir até ser tarde demais – nessa estratégia foi um erro trágico.

    Se quer uma interpretação que lhe confirme os preconceitos marxistas, ou classistas ou algo do género, bata é no Roquete e no optimismo cego e desajuizado deste que lançou o Sporting numa aventura no imobiliário fatalmente mal sucedida. A SAD só impediu males maiores.

Os comentários estão fechados.