Dr. João Barros

Segundo conta o DN uma cidadã “bastante debilitada” terá entrado no Centro de Acolhimento de Xabregas na sexta-feira à tarde. Dormiu e, no dia seguinte, ter-se-á esquecido de entregar a chave do cadeado do armário como obriga o regulamento. Na noite de sábado, como determinou o “Dr. João Barros”, esta cidadã foi condenada a que o Estado não lhe abrisse a porta do Centro de Acolhimento, o que provocou a sua morte. Triste história a destes “Dr.s” que incham a exercer poderes sobre as vidas dos outros e com as visitas da primeira dama.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.