O fenómeno Renato Seabra

O bárbaro homicídio de um cronista social, em princípio, não me motivaria grandes comentários. A evidente desestruturação de alguém que, depois de matar, declara sob várias formas o ódio e o desprezo que tinha pelo seu companheiro insere-se num quadro de perturbações do foro psiquiátrico e/ou cultural sobre as quais pouco tenho a acrescentar (isto se se confirmar as informações detalhadas que têm vindo a público).
Contudo, a notícia que em Cantanhede cerca de 400 pessoas se terão manifestado em solidariedade para com Renato Seabra preocupa-me, pois revela uma potencial perturbação colectiva. O que quereria esta gente que se manifestou?
Se é um facto que Seabra precisará do apoio dos seus amigos no tempo de vida que lhe resta (e que, se calhar, lhe tem faltado), esta demonstração de solidariedade transpira a homofobia e vontade de transformar a barbárie em espectáculo. A propósito, muito gostaria de saber se o Governador Civil de Coimbra Henrique José Lopes Fernandes terá autorizado esta manifestação ou se estaria demasiado ocupado a fazer o seu caminho na respectiva distrital do PS.
Por outro lado, a notícia que Renato Seabra estaria envolvido na campanha de Cavaco Silva (lida neste post do Bruno), tendo participado em acções de campanha e ocupando um lugar de honra no seu concelho de origem, tem um significado político. Não porque Cavaco fique vinculado à desestruturação intelectual de um dos seus destacados apoiantes, a questão é outra. Apesar de antes deste episódio nunca ter ouvido falar de Renato Seabra, creio que a sua popularidade estava intimamente ligada ao facto de ter participado num programa de televisão de qualidade miserável – digo-o porque vi alguns dos comentários dos “especialistas” do júri, e pela sua relação com o cronista social Carlos Castro, personagem conhecida do que se entende por jet set luso. Pelo que se tem percebido, antes deste episódio, Renato Seabra era o que os anglo-saxónicos denominam de wannabe, alguém que deseja ser famoso, sabe-se hoje, a todo o preço. O que não é politicamente irrelevante é que sejam escolhidos estes jovens para simbolizar o apoio da juventude a Cavaco.

P.S. – E o que também é politicamente relevante é que, com tanta cobertura mediática sobre o caso, apenas ontem tenha sido publicada uma notícia sobre o facto de Seabra ser mandatário da juventude em Cantanhede da campanha presidencial de Cavaco Silva

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

25 respostas a O fenómeno Renato Seabra

  1. António Figueira diz:

    Bom post.

  2. JMJ diz:

    Presumo que “renato sampaio” seja “renato seabra”?

  3. Leitor Costumeiro diz:

    OLá..

    A reacção das pessoas de Cantanhede, é digna do Texas. Ninguém nessa vila provinciana sequer se lembrou da vitima, seja qual for a razão, o gajo matou uma pessoa tem de ser julgado..No Texas fariam exactamente o mesmo, esquecer o gay e tentar justificar e desculpar o hetero?! que é bom menino, vai à igreja e vota no Mccain…
    De resto, não é preciso muita imaginação para responsabilizar o Cavaco. Ele é um dos grandes responsáveis pelo estado cultural e civilizacional a que chegamos, que é uma espécie de vácuo…
    O ridículo deste crime é tão grande, que como de costume já se ouvem piadas.
    “O Puto disse que dava o cu e quatro tostões para ser famoso. O Carlos Castro nunca lhe viu o dinheiro…”

    • Von diz:

      Lamentável a atitude de pessoas que “homenageiam”(?) alguém que mata num crime, aparentemente, passional.

      Acho o arrastamento a Cavaco exagerado, já que não me parece que a escolha passe por ele. Aliás, tendo em conta quem está na comissão de honra…

      Agora, as anedotas?… Tudo é, foi e será objecto de humor, e procurar homofobia neste tipo de anedota é anedota.

  4. coraçaodeatum diz:

    O ‘destino’ ten destas coisas.CC,um reaça q representou uma peça sobre a Maria de Lourdes Pintassilgo a gozar com melhor 1ª ministra e única,a seguir a Vasco Gonçalves(já sei q veêm aí as bestas…) infinitamente mais séria e honesta do q aquele gajo da aldeia da coelha, foi barabaramente assassinado por um ‘compagnon de route’ e apoiante do candidato fascista!Tomem lá,chupem-no todo!,o vosso ‘ideal'(não é surreal!)-é a Teoria do Feed-back ou o do ‘Cospe para o ar e,….’.Telenovelas ao serão,’wannabe’,fama,sucesso.
    Parabéns pelo amigo do cavaco,e do sócas’ ,na Tunísia,um ganda democrata;o preto da Guiné apaparicado pela gaja que mandou os homofílicos prá cova,nino vieira-um modelo de sucesso,de gestão rigorosa e competete do hub de droga(não esqueçam o Kosovo!!!!outro exemplo de sucesso….).
    Qdo jovem,os ‘amigos’ reaças mandavam bocas sobre o Homossexual José Carlos Ary dos Santos e que o PCP era um partido de paneleiros-vejam a baixeza dos ‘moralistas’ metidos em bichonas,assassinios,negócios da china com os ‘gestores’ do cavaco,’compra’ de propriedades com os pivots da SLN ,Bpn e quejando.É este o modelo capitalista ……

  5. RM diz:

    Não se entende o que queres dizer neste post. Vês homofobia em concentrações de apoio. A notícia não sugere isso mas nós sabemos que nem é preciso. Depois misturas tudo com o seguinte,

    “Por outro lado, a notícia que Renato Seabra estaria envolvido na campanha de Cavaco Silva tendo participado em acções de campanha e ocupando um lugar de honra no seu concelho de origem, tem um significado político.”

    Como sei que aqui as coisas são ditas até ao fim deves revelar-nos que significado político retiras deste acontecimento. Sorte.

    • antónimo diz:

      Não sabes ler, óh, RM?:

      «Não porque Cavaco fique vinculado à desestruturação intelectual de um dos seus destacados apoiantes, a questão é outra.

      Apesar de antes deste episódio nunca ter ouvido falar de Renato Seabra, creio que a sua popularidade estava intimamente ligada ao facto de ter participado num programa de televisão de qualidade miserável – digo-o porque vi alguns dos comentários dos “especialistas” do júri – e pela sua relação com o cronista social Carlos Castro, personagem conhecida do que se entende por jet set luso.

      Pelo que se tem percebido, antes deste episódio, Renato Seabra era o que os anglo-saxónicos denominam de wannabe, alguém que deseja ser famoso, sabe-se hoje, a todo o preço.

      O que não é politicamente irrelevante é que sejam escolhidos estes jovens para simbolizar o apoio da juventude a Cavaco.»

      • RM diz:

        Não é por repetires o texto e colocares a negrito que ele fica claro.

        Mas eu leio, eu leio. inferir a todo pela parte, sobretudo num caso destes é propositado. A meu ver, este é um tema que tem zero de política.

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      RM, a pergunta que faz encontra-se respondida no texto.

  6. Ho Chi Mihn diz:

    RM:

    O significado político que eu retiro do facto revelado é bem simples – a indigência intelectual da grande maioria acéfala que apoia Cavaco Silva, como se vê pelo seu mandatário por Cantanhede…

    Quanto ao Carlos Castro (tb outro apoiante de Cavaco Silva), que dizer senão reconhecer que não passava dum predador sexual (tipo Berlusconi, tás a ver) que aliciava rapazinhos de 20 anos com uns jantares, viagensecas e “cantigas do bandido” sobre o mundo do “social ” e do qual escrevia crónicas “jornalísticas”?

    Olha, como dizia o outro: “menos 2 votos no Cavaco”! E muito sinceramente, quero mais é que os parasitas do “jet set” se f£d@m todos

    • RM diz:

      Eu queria saber qual é o significado POLÍTICO da situação pela boca do autor do post. Ainda vai a tempo de justificar aquilo que diz e que não é um pormenor.

      Em relação a ti, o que fazes são acusações gratuitas tipicas das “fontes” de um pasquim como o Diabo.

      • antónimo diz:

        eu confesso que não vejo como seja possível clarificar mais o que o Tiago Mota Saraiva escreveu – e que eu repeti acima com negrito e tudo.

    • Von diz:

      Ho: mais uma vez, um comentário de quilate… Tu esmeras-te, pá!

      • Ho Chi Mihn diz:

        RM e Von: nao sejam sonsos. Toda a gente percebe quem eram o Carlos “jet set” Castro e o Renato “Wanna be” Seabra, que relaçoes se estabeleceram entre os 2 e porque eh k o chaval se passou da cabeça.

  7. miguel serras pereira diz:

    Reflexão exigente no momento certo, Tiago. É o que eu chamo “chamar à razão” a apreciação do caso.

    msp

    • LAM diz:

      MSP,
      se, politicamente (concordo consigo), esta relação de Renato Seabra com a candidatura de Cavaco e as estruturas do PSD é assunto que morre por aqui; sociologicamente não só essa relação como as reacções que despoletaram davam para um tratado.

      • miguel serras pereira diz:

        Caro LAM,
        cem por cento de acordo.
        Abrç

        msp

      • resumo diz:

        NÃO,não morrem.É preciso dizer q o cavaco(desculpa-me oh serras pereira)-o gajo já não tem a aurea de Honesto mas sim de um attaché à corrupção,um gajo de mão,um ordinário,um sabujo,um elemento anti-humanidade,um palhaço dos banksters(gagsters dos bancos!).E q isto não é democracia mas um lugar mal frequentado por mães de Cantanhede,do mandatário do cavaco,da bicha ordinarona ….

  8. Z diz:

    desconhecia este fenómeno.
    🙂

  9. LAM diz:

    A distância de um “mandatário concelhio” para um “mandatário nacional” deve ser enorme. Creio que neste caso Defensor Moura não correria o risco de, por exigência do PR, ter de contratar o modelo nem de, propositadamente lhe construir uma passerelle para desfilar, numa próxima visita presidencial a Viana. Mas nunca se sabe…

  10. resumo diz:

    É assim q se vêEM os ideais cavaquistas(de MERDA!!!!).CHUPEM-NO TODO.É ASSIM….
    JÁ AGORA O AMIGO DE CAVACO TEVE QUE ‘SAIR’ DA TUNISIA PARA UM PAÍS DEMOCRÁTICO-ARÁBIA SAUDITA.AHAHAHAH

Os comentários estão fechados.