Esclarecimento da CNE

Tem circulado de forma generalizada na Internet e através de correio electrónico uma mensagem de apelo ao voto em branco. Esta mensagem induz os cidadãos em erro, na medida em que afirma que se for obtida uma percentagem maioritária de votos em branco a eleição do Presidente da República, do próximo dia 23 de Janeiro de 2011, será anulada.
Por essa razão, um número significativo de cidadãos tem vindo a solicitar à Comissão Nacional de Eleições esclarecimentos sobre a veracidade da informação divulgada.
No sentido de promover o esclarecimento objectivo dos cidadãos a este respeito, a Comissão Nacional de Eleições vem informar o seguinte:

– Os votos em branco e os votos nulos não têm influência no apuramento dos resultados;

– Será sempre eleito, à primeira ou segunda volta, o candidato que tiver mais de metade dos votos expressos, qualquer que seja o número de votos brancos ou nulos.

Ao abrigo do artigo 11.º do Decreto-lei n.º 85-D/75, de 26 de Fevereiro, determina-se a divulgação da presente nota.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

11 respostas a Esclarecimento da CNE

  1. Renato Teixeira diz:

    Também tu? Alerta! Alerta!

    • Tiago Mota Saraiva diz:

      O comunicado inicial da CNE começava assim:

      Tem circulado de forma generalizada na Internet um tal de Renato Teixeira…

      • Renato Teixeira diz:

        Eu li outra coisa: tem circulado de forma generalizada na Internet que a capacidade de mobilização das candidaturas está de tal ordem, que se receia que na dúvida todos acabem por votar branco. 😉

        Na verdade acho que identificaram o verdadeiro perigo das candidaturas à esquerda. Será titânico o esforço necessário para mudarem as ideias que parecem fortes na maioria dos eleitores e daí o dramatismo colocado neste e noutros alertas.

  2. Bruno Nunes diz:

    Sei bem que não anula coisa nenhuma mas o meu voto vai ser em branco porque não vejo nenhum candidato com vontade de discutir os assuntos que interessam ao País. Fala-se do que ganhou este e do que ganhou aquele, tudo em negócios um pouco esquisitos. Estava inclinado para votar em Fernando Nobre mas a sua falta de preparação afastou-me dessa vontade inicial. Portanto, como nenhum merece a minha confiança, o meu voto será em branco. E gostava muito que a grande maioria dos portugueses, em vez de ficar em casa (que é o que vai acontecer), fizesse o mesmo. Esta classe politica precisa de um sinal. São todos farinha do mesmo saco e estão mais interessados em defender os seus interesses pessoais que os interesses do povo português.

  3. Desculpem »atrirar um pouco ao lado» mas foi-se agora um homem delicado, elegante, e que nunca se punha em bicos de pés, mesma “coisa” que vitimou a minha mãe (que gostava dele…) e o meu reconhecimento ao Albano Freire Nunes (já tinha saído quando eu entrei no Técnico) e nunca fui do partido dele, mas escrevia muito bem, ainda tenho coisas para o IV Seminário de Estudos Associativos algures.
    O meu agradecimento por teres memória.

    http://aeiou.expresso.pt/obitovitor-alves-pcp-diz-que-nome-de-capitao-de-abril-fica-ligado-a-luta-pela-liberdade=f624987

  4. Rui Dantas diz:

    Seria uma bonita homenagem a Saramago que os votos em branco ganhassem a Cavaco…

  5. susana diz:

    bom, mas votos em branco são contados juntamente com os nulos, segundo percebo; qual o protesto veiculado?

  6. É injusto que não haja maneira de uma pessoa ir lá e declarar «nenhum destes me convence, voto contra…» : e depois, sei lá, elencar/riscar os nomes dos fulanos em que não se acredita nem à lei da bala.
    Mas como eles fizeram a lei de modo a beneficiarem-se a si próprios mesmo que os votantes não queiram…
    🙁

Os comentários estão fechados.