Cavaco e Alegre

Quando a campanha entra na fase do slogan fica tudo muito mais fácil.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

24 respostas a Cavaco e Alegre

    • Renato Teixeira diz:

      A ver se com a inclusão do logo do BE eles a ouvem e desistem de apoiar o candidato do bloco central. Ainda iriam a tempo de emendar a mão. Claro que tudo isto não passam de prodigiosas fantasias… Não é assim?

      • Renato Teixeira diz:

        Quanto à photoshopagem anterior os meus parabéns pelo busto do Cavaco, apesar da frase não fazer qualquer sentido (a não ser como resumo do que se transformou a campanha). Ainda assim arrisco a pergunta: podemos esperar por um com a pompa do Alegre?

  1. The Studio diz:

    Ainda vamos ver o Renato a fazer campanha pelo Alegre na segunda volta 🙂

    • Renato Teixeira diz:

      Isso é que vai ser. Porta a porta a convencer o povo para que tudo fique na mesma. Ainda acredita no delírio da segunda volta? Veja, há coisas às quais devemos dizer nunca sem grandes problemas de coerência no futuro.

  2. carissimo, re-digo: se eu achasse que o socrates votava alegre, até percebia a hesitação. como tenho cá um palpite que esso não é o caso… (daí isto ser toda uma situação tão estranha que uma piada sarcástica dá este estrondo todo).

    … mas acho muito bem que votes francisco lopes. ou seja quem for… a ideia é exactamente essa, é o mínimo múltiplo comum. para já, anti cavaco, marchar, marchar. depois logo vemos.

    • Renato Teixeira diz:

      Ora bolas. E eu que queria tanto crossar um busto do Alegre feito por si…

    • Olaio diz:

      A verdade é que estas eleições não vão alterar o rumo que as coisas estão a tomar, ganhe Cavaco ou Alegre.
      Este tipo de democracia está falida e criar nas pessoas a ilusão de que podem mudar as coisas através do voto neste momento é inglório.
      Portanto temos é que pensar em dar a volta a isto por outros meios, com grandes e decididas movimentações de massas.
      É claro que estas eleições devem ser aproveitadas para se trabalhar nesse sentido.
      Abraço gui e prazer em encontrar-te por aqui 🙂

  3. Koshba 666 diz:

    Onde é que está o Sagrado ‘Segredo Bancário’?Assim que faça jeito, às urtigas as ‘boas maneiras’ burguesas.De facto,isto está mesmo muito mal.
    Governos corruptos,ao principio(bem,não muito ao principio) era o cavaco,o Impoluto,pq a Mafia precisa dum palhaço limpo à frente da quinta e a sua corja de ‘gestores’ -ladrões,pura e simples abreviatura para escumalha de alto gabarito que se abotoaram,juntamente com a clientela de caciques e ‘bem pensantes’-em que os fundos estruturais foram muito bem ‘aplicados’ em montes e Todo o Terreno,com o fecho da agricultura,pescas e industrias para construir o novo portugal de putas,serviços de merda com o ‘beneficio’ da concorrência que todos sabemos.

    Depois,do muito inteligente Guterres e as suas ganda cólidades deu de froskes e,foi pra onu.
    Veio o saudoso mestre de cerimónias,coisinha triste e invertebrado clerk ali dos azores.Veio o santana lopes e (viva!) veio com o putedo e aquela vontade de servir bem as familias de antigamente com brio nada católico.Ópois,veio este sócas,’filho’ do velho traficante de armas para o savimbi,um fdp que agora vai entregar os ficheiros do BI e o que mais ao preto obama-TRAIÇÃO NACIONAL!aos pretorianos do pentágono,ninho de criminosos contra a humanidade.Por fim,este caçador de garrafão de águeda(seg. Braganza Mothers,dixit) e voz marcada cagar postas de pescada.Se o outro foi pago com uma ‘atençãozinha’ pelos bosses este é outro mentiroso e,estão bem fodidos pq,EU não vou votar em palhaços,nem agora nem NUNCA!Bem pode vir o PCP e o BE darem música,que na 2ª volta não há nada para ninguém.

  4. O PÓS DO CAVAQUISMO

    Clientelismo partidário, secretismo e a opacidade,mediatização e personalização do discurso político, falta de transparência do financiamento da actividade dos partidos,corrupção e conflito de interesses, uma tecnoburocracia rampante,eis o pós do cavaquismo,o enfraquecimento do estado e da economia, da iniciativa cooperativa e de auto-gestão,
    a expropriação pública,a degradação da justiça e do estado de direito-tratamento desigual, qual legitimidade democrática qual quê,o [des]controlo do poder político e da responsabilização,a desinformação política,a impunidade e a percepção de que as eleições não são suficientes para punir como forma de responsabilização,a incapacidade de agentes autónomos em relação ao governo para controlarem abusos de poder,a falta de autonomia do poder político das pressões externas e do poder ecnómico, enfim uma crise da representação política e da ordem constitucional.

  5. Miguel diz:

    Caros leitores e autor do texto:

    Há duas variedades de eleitores neste país: os votantes à esquerda e os votantes à direita.

    Os que votam à esquerda, vão votar quando estão fartos de um governo de direita – do género Pedro Santana Lopes. Aí votam no PS, CDU e BE.

    Os votantes à direita, votam sempre no seu candidato ou partido, faça chuva ou faça sol. Como secretário em várias mesas eleitorais, pude notar as suas diversas características: não sabem o seu número de eleitor; enganam-se na secção de voto e perguntam ao presidente de mesa se sabe onde é a secção onde votam; perguntam ao presidente de mesa, onde está o PSD… falam quando votam, etc, etc…

    Os votantes à direita vão lá sempre, de manhãzinha e depois vão à missa, porque “a missinha” não pode faltar e ninguém lhes tira “a missinha”.

    Vão votar no seu candidato – Cavaco Silva – e depois vão para casa, ler o jornal, ver a televisão, literalmente “cagam no assunto”, porque para os votantes da direita, “isto é tudo a mesma vergonha”, “esta coisa dos partidos”, “no tempo do Salazar é que estavamos bem”, etc…

    Portanto, das duas uma: ou os senhores leitores também “cagam no assunto” e deixam esta corja votar no Cavaco Silva ou no próximo dia 28, contribuiem com o vosso voto num candidato à esquerda.

    Dizer que “não vou votar” ou, como alguns ingénuos, dizer que votam em branco, é deixar o candidato da direita vencer.

    Por mim, já decidi. Vou votar!

    Saudações e cumprimentos ao autor do texto, trabalhador incansável das letras.

    • Doutor diz:

      Que comentário mais pseudo-elaborado para utilizar o mesmo argumento dos alegristas: “tudo contra cavaco”.

      Fraquinho…

  6. Miguel, o que vai fazer nesse dia é apaziguar a sua consciência.
    De resto (do ponto de vista da eficácia se me permite…) é indiferente.
    Sorry…
    🙁

  7. a anarca diz:

    Eu que até sou às direitas , vou votar no Chico 🙂
    a maioria dos que costumam votar na direita como comodistas que são, não vao votar pois acham que o cavaco já não precisa de votos para ganhar 🙂
    o alegre é um anti voto
    logo
    quem vos disse a vocês que não chegou a altura de surpreender a populaça
    votem no único possivel que é o Chico ,será difícil mas não é impossivel 🙂
    pelo menos o cavaco se ganhar será por uma miserável votação e isso desmoraliza até um cara de pau …

  8. Miguel diz:

    O Doutor vais votar Cavaco?

    Ou é daqueles que vai lá pôr o voto em branco?

  9. Paulo Granjo diz:

    Votará Miguel em Manuel Alegre?

    E o pseudo-Doutor? Votará em Cavaco?

    E o que dizer de Renato Teixeira? Votará em Fernando Nobre contra Manuel Alegre?

    E Jaime, o cozinheiro-Alvega, fará um pacto com o imperador Ming, do planeta Zhor?

    Não perca os próximos episódios deste fabuloso debate, aqui em 5 dias.

Os comentários estão fechados.