O contorcionismo sadomasoquista do Daniel Oliveira para defender que a esquerda não deve fazer cair o governo Sócrates

É de ir às lágrimas de tanto rir. Cada parágrafo, cada passagem, cada esforço literário é uma ode ao ácido lisérgico que tomou conta dos neurónios da esquerda democrática: “Bloco de Esquerda e PCP já deixaram passar a ideia de que não viabilizarão uma moção de censura vinda do PSD ou do CDS. A atitude é inteligente. O seu eleitorado não compreenderia essa aliança contra-natura”. Sabe o Daniel Oliveira, pelo BE e pelo PCP, que o seu eleitorado os castigaria nas urnas se estes conseguissem acabar com o pesadelo em que se tornou o actual governo? Então o eleitorado de esquerda, que já mostrou que outra coisa não quer do que ver o Sócrates pelas costas, castigaria o BE e o PCP se porventura pensassem de maneira diferente do Daniel Oliveira? Andará sua excelência a ver as sondagens para as eleições presidenciais? Será que ainda não percebeu que o eleitorado de esquerda parece é não gostar que alguma esquerda ande a apoiar o mesmo candidato a Belém que o governo Sócrates e o Partido Socialista?

O PCP não deve cair na ratoeira e nada do que diz Daniel Oliveira é o que ele está a pensar sobre o assunto. Ele sabe, como sabe, que tudo aquilo só é verdade para o BE, que deixou, há muito tempo, de fazer oposição efectiva a este governo. Aliado a isso, estão ambos no pântano em que se transformou a candidatura de Manuel Alegre e sabem que quanto mais perto das presidenciais estiverem umas eventuais legislativas, maior será o rombo. Se tiverem a clareza e a coragem que lhes faltou nas presidenciais, as hostes da Soeiro Pereira Gomes rapidamente perceberão que quanto mais cedo derrubarem Sócrates, melhor será o prémio que os eleitores lhe darão nas urnas e essa é a bad trip que o Daniel Oliveira e o BE parecem estar a querer evitar. O resto é conversa fiada ou derrame cromático provocado pelos poderosos alucinogénicos que andam a tomar. Esperemos que o PCP recuse este obsceno convite à complacência e ao imobilismo: “Será um ano de espera em que todos sabem que quem der o primeiro passo pode ser vítima da sua própria imprudência”.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , . Bookmark the permalink.

38 respostas a O contorcionismo sadomasoquista do Daniel Oliveira para defender que a esquerda não deve fazer cair o governo Sócrates

  1. Bruno Peixe diz:

    Renato, se calhar ando a tomar desse ácido lisérgico da tal esquerda democrática. É que não vejo mesmo porque raio é que o BE e o PCP haviam de votar uma moção da direita parlamentar. Podem até todos querer o derrube de Sócrates e do seu governo, mas com certeza que não será pelas razões plasmadas na moção da direita que tu achas que eles devem votar.
    O que é que significa uma moção de censura vindas dessas bandas? Nada mais do que impaciência para acelerar o rotativismo que nos aflige há mais de 30 anos: ao PS sucede-se o PSD e vice-versa. E neste quadro não me parece que se ganhe nada com a queda do PS e a subida do PSD. Parece-me que o eleitorado de esquerda sabe bem que do PSD só pode esperar um pesadelo igual ou maior do que o do PS.
    Um abraço,
    bruno.

    • Renato Teixeira diz:

      Grande, cuidado com as drogas de quem só anda à procura de chocolate. Pela sua última passagem: “Será um ano de espera em que todos sabem que quem der o primeiro passo pode ser vítima da sua própria imprudência”, o problema não é só fazer unidade com quem quer que seja para derrubar Sócrates. É que DO e o BE não querem derrubar Sócrates mesmo com uma moção de censura própria. Esperemos que o PCP veja as coisas de outra maneira.

      • Pedro Lourenço diz:

        A questão é: nunca o PCP viabilizaria uma moção de censura do PSD como não estou a ver o PSD a viabilizar uma moção de censura do PCP que aponta o caminho para o socialismo como aquele que deve ser trilhado por Portugal. São incompatíveis. E consoante a distribuição dos assentos parlamentares, é necessário que pelo menos dois partidos, um da esqueda e outro da direita (que tem necessáriamente de ser o PSD), se entendam quanto à moção, o que, pela razão apresentada, não me parece verosímil.

        Isto significa que o governo não cairá através de moção de censura.

      • antónimo diz:

        Primeiro. Acho de facto que muitas vezes os raciocínios do Daniel Oliveira – com cuja pessoa pública simpatizo – trazem vestida a camisola partidária (fiquei vacinado com a polémica do Arrastão ao Vital Moreira), desvirtuando a análise que faz no blogue. Nada contra, desde que se esteja avisado. Também eu tenho um certo “emBIASamento”.

        Segundo. Acho que ele tem alguma razão quanto ao que pode suceder com os partidos de esquerda se estes apresentarem moções. Infelizmente, os eleitores ainda não estão maduros para aceitarem que a queda só traz vantagens (desde que não substituída por um Governo de Arco da Governação, de Bloco Central ou de Direita). Mas nem por isso convém deixar de estar atento. Afinal, estamos há três dias a alimentar a crise que inevitavelmente baterá mais fundo à medida que o OE se for sentido nos nossos orçamentos privados.

        Terceiro. O BE se tivesse tido juízo teria esperado pela apresentação do candidato do PCP – sólido, consistente, rijo e uma boa surpresa para muita gente – antes de apoiar Alegre, que segundo parece ate é amigo pessoal do Dias Loureiro.

  2. A.Silva diz:

    “Resta esperar por o que acontece na Europa, onde nos demitimos de ter qualquer tipo de opinião.”
    Como diz o Cavaco temos é que estar todos caladinhos e bem comportados pra não chatear os senhores do mercado.

  3. Rui F diz:

    Renato

    As sondagens além de darem a vitória esmagadora a cavaco dão também uma irrisória expressão a outros, especialemnte à esquerda que não a do Alegre.

    Mas afinal onde quer chegar a Esquerda que pensa como Renato?

  4. A lado nenhum aonde vossa excelência se digne estar
    Que tal como ideia ?

    😉

  5. Von diz:

    Musicalmente, este post é uma seca…

    • Renato Teixeira diz:

      Von, para se meter com a Diana e com o Pedro há maneiras menos aborrecidas. Que pain in the ass!

      • Von diz:

        Adoro picá-lo com merdices inofensivas… Mas mantenho, a canção é secante. Apenas isso. Sem segundos sentidos.

        • Renato Teixeira diz:

          Algo que o Von nunca conseguira perceber…

          • Von diz:

            Se se refere ao segundo sentido da canção, aliás bastante óbvio, então resta-me dizer que essa sua postura de superioridade intelectual, muito semelhante ao da Casa da Achada (embora deva repetir, que fui bastante bem recebido), é no mínimo redutora, para si, que se reduz a esse papel de pedestal, onde os demais, meros peões culturais e ideológicos, não são dignos do seu papel de torre… ou bispo.

          • Renato Teixeira diz:

            Eh pah, se foi bem recebido arrume a viola. Ja li esse seu comentário pelo menos meia dúzia de vezes. Ele há tipos que merecem duas pedras na mão.

          • Von diz:

            Esta é a segunda vez. Deixe-se de tretas. Se o digo segunda vez, foi para melhor documentar a minha ideia. Coisa que você não sabe discutir, quando se arma em prepotente. E essa prepotência, muito própria de quem defende ou ataca ditaduras quando a cor lhe convém, traz agora e aqui, em resposta sem resposta a um comentário meu, benigno e sem a mínima ideia de ofender ninguém. Não quero ensinar nada, mas aprenda a ser tolerante!!!

  6. Bruno Peixe diz:

    Ok, agora percebi… Quando o Von dizia musicalmente referia-se ao vídeo. E eu que pensei que estava a fazer uma sofisticadíssima crítica à musicalidade da prosa do Renato Teixeira. Do que tinha lido do Von, não tinha nada ficado com a ideia de que era um adepto do simbolismo oitocentista na prosa bloguística, mas a reacção à portuguesa gosta sempre de apregoar umas bandeiras estético-lieterárias. E nesses casos lá vem o inevitável juízo do que é bem escrito e mal escrito.
    Von, pelas alminhas, poupe-nos ao esteticismo e seja um bom e simples reaccionário, sem Nelsons Rodrigues e coisas do género.
    Não mude de drogas, portanto.
    Um grande bem haja.

    • Von diz:

      Gosto essencialmente de música. E, tendo bastante definidas as dinâmicas que procuro numa canção, apenas comentei a dita. Os senhores tinham apenas que admitir uma crítica, repito, sem segundos sentidos ideológicos. Não o fizeram, e preferiram divagar por caminhos de entoação política em vez de se cingir aos da musicalidade.

  7. LAM diz:

    O problema é o dia seguinte. A não ser que se alimente a secreta esperança (é Renato?) de ver o Tozé Seguro arrastar o partido para reforçar o campo da oposição de esquerda. De outra maneira não estou a ver o ganho.

    • Renato Teixeira diz:

      O ganho concretiza-se na mensagem. As gentes dos partidos sabem ler nas entrelinhas. Se a maioria não lhes confiar o voto, tenderão a ser mais selectivos em escolhas futuras. Como o LAM já disse, por agora nada há a ganhar.

  8. LAM diz:

    Por outro lado, e em função de sondagens na altura, a Sócrates, caso as coisas estejam mal paradas, basta-lhe precipitar a aterragem do FMI para tirar as ideias de dissolução a Cavaco e ao PSD.

  9. O governo é mau. Sócrates é o PM mais privatizador de Portugal. O governo o mais ridículo e incompetente. Mas, não deve cair. O povo massacrado ainda não está amadurecido para votar BE e PCP, e por isso deve aguentar o PS, porque se sabe que o PSD vencerá.

    Este é o pensamento dos defensores do mentiroso Sócrates.

    Deixem o povo votar e correr com este “tipo”.

    • antónimo diz:

      não estou a enfiar carapuças, mas eu falei em amadurecimento, disse que uma moção de censura nesta fase de pouco serviria para criar uma verdadeira solução, que se corria o risco de levar com geometrias variáveis que incluissem o psd-ps-cds.

      e depois acrescentei que era preciso estar atento quanto à ideia da moção de censura, pois os portugueses vão fartar-se da crise e vão começar a levantar cabelo. Essa será a melhor altura para mandar Sócrates abaixo, minimizando a substituição por mais uma solução eleitoralmente legitimada no habitual arco da governação

    • Rui F diz:

      Amadurecido para votar PC?

      Assim de repente em vez de amadurecer fica mais “verde”. Segundo me parece, a cada eleição o PC cai.

      A culpa logicamente, é do Povo não amadurecido.

      • antónimo diz:

        Rui F, você decididamente dá-se mal com números. Deve ser demasiada formatação processada na sua cabeça pelos comentadores das televisões, que previram o desaparecimento dos gajos e embora a realidade não o confirme insistem na deles. O PCP tem subido quer nas percentagens, quer nos números de votos, mas isso que interessa.

        • Rui F diz:

          Antónimo

          Lisboa pelos olhos dentro é que não.
          Nem me vou preocupar consigo em apresentar-lhe as estatisticas dos ultimos 30 anos, que concerteza irá achar que foram manipuladas.

          • antónimo diz:

            Você já traz a área metropolitana toda metida pelos olhos dentro. Depois da quebra, o PCP não deixou de recuperar eleitorado – como se pode comprovar e até já lhe mostrei há tempos – mas isso que interessa quando temos a nossa verdadezinha, propalada pelos publicistas da comunicação, como certa? Caricaturando os lapsos temporais que v. escolhe para dizer que “a cada eleição o PC cai” até lhe digo mais. De há 40 anos para cá até cresceu brutalmente.

          • Rui F diz:

            Antónimo

            A verdadezinha é que o Alentejo deixou de ser um bastião do PCP faz muito tempo. Foi Brutal!Recuperam Alvito, perdendo Beja ou Aljustrel.

            Custa a engolir mas essa é a verdade.

      • Antónimo diz:

        Rui F, Você nem sabe ler o que escreve, nem interpretar números. Essa é que é a verdadezinha. Ouça o que eu lhe digo as curvas numéricas sobem e descem e não são analisáveis apenas pelos valores extremos. Se for ver quantas câmaras comunistas havia em 1973, garanto-lhe que o PCP cresceu e muito e não é por isso que a a análise ganha sentido.

    • Renato Teixeira diz:

      Nem mais!!!

  10. LAM diz:

    J M Faria, desculpe lá mas é um bocado abusivo dizer que “Este é o pensamento dos defensores do mentiroso Sócrates.” Abrenúncio, ta renego satanás!

    E depois, se é que não chega antes, qualquer um dos dois, ps ou psd, se vai socorrer do FMI para se desculpabilizar por medidas ainda mais impopulares e para afinação de estratégias político-fimanceiras ainda mais gravosas e irreversíveis a curto/médio prazo (a privatização da cgd já anda no ar…).
    Até lá, a ponderação sobre isto deve-se submeter à estratégia e conveniência própria da esquerda na altura, e nunca decidir o voto em função do que convém à direita. E nisto, pode-se até dar o caso de ser a esquerda a apresentar uma moção. Não basta pensar nas consequências do próprio dia em que este sabujo caia e nas rolhas que vão estourar, há que pensar no dia seguinte, sim.

  11. João Delgado diz:

    Se a esquerda censura a política de um governo não tem mais a fazer do que apresentar uma moção de censura. Não a apresenta porque isso abre o caminho à direita? E o que faz “a esquerda” para evitar isso? Traça rumos alternativos e propõe-nos ao povo português, ou permanece acantonada nas suas autodeterminações do que é o futuro próximo? Que comité central (não se ofendam camaradas do PCP) decidiu que o 25 de Abril era em 74? Actuamos ou reagimos? Não censuramos Sócrates para barrar o caminho a Passos? Não é evidente que amanhã não censuraremos Passos para barrar um qualquer Portas? E nós? Que coisas de esquerda temos a dizer aos portugueses? Que políticas alternativas? Que soluções de governo? Vamos perder as eleições? Também penso que sim? Mas é para ganhar eleições que somos da esquerda alternativa anticapitalista? Ou já não somos anticapitalistas? De que falamos quando falamos de esquerda? Há uma estratégia da esquerda ou flutuamos nas tácticas década após década? O Zé Mário tem umas boas respostas musicadas para estas perplexidades.
    O PCP já apresentou uma moção de censura. Falta o Bloco. O meu Partido.

    • Renato Teixeira diz:

      Triste mas bonito desabafo João, mas receio que o futuro trará lágrimas ainda mais dolorosas.

    • Rui F diz:

      O PCP apenas censurou.
      Falta o resto. Falta tudo como bem frisou.

      Não me parece é que a Esquerda convença alguém acantonada na barricada do PC.

  12. Ipsis verbis aspas aspas, Renato, nada mais a dizer.

  13. Venancio diz:

    O pcp está metido nesta embrulhada também. O pco só apresentou uma moção de censura quando já se sabia que o governo não caia…nã se enganem PC e Bloco são a mesma coisa embora cada um com as suas especificidades…

Os comentários estão fechados.