O mimo do Pedro Correia dá nisto – “Eheh. Como está o tempo aí em Teerão?” [actualizado]

Os prémios “De Mim Para Ti” estão a ser um sucesso, de tal maneira que alguns dos que não foram nomeados já manifestaram a sua indignação. Pedro Correia, que por estes dias se dedica a ser uma espécie de Gabriel Alves dos debates presidenciais, não gostou que eu não o considerasse por ser “consensual”. Irado, deixou a Bola Branca em que tem transformado o seu modesto mas esforçado blogue, para largar meia dúzia de impropérios.

Confuso, Pedro Correia achou que a caracterização de “consensual” é um grande insulto. Não podia estar mais enganado. De resto, a única coisa menos abonatória de que se podia queixar foi ter sido metido no mesmo parágrafo do que a Fernanda Câncio, mas está bom de ver que nisso o Pedro Correia deve ter tido orgulho. Ferido, ainda que sem motivos, Pedro Correia fez questão de numa única posta dar algumas citações que me cobrem de razão, embora acabem por mostrar que terei sido, porventura, incompleto. Ao “consensual”, ficou visto, faltou acrescentar o “previsível”. Verifique lá então se os mecanismos retóricos de Pedro Correia não estão ao nível de um menino da linha, antes, muito antes de chegar à puberdade e longe, muito longe do nível intelectual de qualquer adolescente, seja ele de Teerão ou de Nova Iorque. De todo o modo, e porque eu não sou de perder a esperança nem dar ninguém por perdido, fico à espera de encontrar qualquer coisa que seja deste Pedro Correia que consiga simultaneamente acabar  de ler e não provocar um bocejo. Repare, nem peço que me surpreenda. Apenas acabar sem me dar cabo da insónia, a fonte de toda a produtividade.

“O Renato Ahmadinejad Teixeira chama-me “consensual”. Estes gajos da extrema-esquerda, quando lhes falta um bom argumento, não hesitam em recorrer ao insulto.”

“Ele é um brincalhão, João Pedro. Brinca tão completamente que chega a sentir que é séria a ironia que deveras sente.”

“Devia ser aberta uma subscrição pública para oferecer ao rapaz uma viagem (só de ida).”

De seguida, uma dobragem do Ruca onde Pedro Correia poderá aprender algum vocabulário. Assim, quando estiver de cabeça perdida, no trânsito ou na blogosfera, e tenha necessidade de insultar alguém (pensará ele quando ler isto: “eu não tenho necessidade de insultar ninguém”), já poderá deixar de gritar (“eu não grito, sou democrata!” continua reflexivo) o estridente “consensual”, que estou certo, nunca tirou ninguém do sério (“mentira, fico danado quando mudam o Ruca da grelha”, efervesce).

PS: Pouco, muito pouco tempo depois desta posta ser publicada, Pedro Correia mudou finalmente de estratégia, revelando ter aprendido as lições do Ruca e ao mesmo tempo ser capaz de esboçar um elogio: “O termo “consensual”, proferido por qualquer outra pessoa, seria um elogio. Mas torna-se insultuoso precisamente por vir do Renato Teixeira. Porque qualquer elogio do Renato Teixeira é sempre pior do que o pior dos insultos.” Ainda dá sono, ainda não surpreende, e ainda se prende a in-fan-ti-li-da-des, mas pelo menos já se consegue chegar ao fim do que, com algum esforço, quer dizer.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

4 respostas a O mimo do Pedro Correia dá nisto – “Eheh. Como está o tempo aí em Teerão?” [actualizado]

  1. !!! diz:

    O Ruca parece a Morgada de V. no seu post inicial no 5dias.

  2. Anóniomom diz:

    Não lhe digas nada, mas comi-lhe a peida nesta caixa de comentários http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt/2487229.html#comentarios

  3. Renato Teixeira diz:

    Veja, João Carvalho, mas pergunte ao Pedro Correia se assim o entender, quando o Anónimo fala em “comer a peida nesta caixa” está evidentemente a falar em sentido figurado. Não se indigne.

    Compreenderá que lhe responda aqui, uma vez que parece ter sido o Pedro Correia a perder o sentido de humor e a censurar um simples, mas revelador, comentário final meu à sua posta: “Let it snow, let it snow, let it snow!”, numa fina ironia que ainda por cima publicita a sua posta seguinte. Diz-me que música ouves e eu digo-te quem és. Parece que não gostou nem mesmo sem sentido figurado e deu numa de Câncio. Debate perdido, debate censurado.

    Adiante.

    • Renato Teixeira diz:

      Afinal lá publicou. Todos os dias a melhorar este Pedro Correia. Um dia destes ainda o convidam para ir meter música ao salão de chá do Palácio da Pena.

Os comentários estão fechados.