O guarda-Costa de Cavaco

Há uma intervenção de Cavaco Silva no debate de ontem à noite que não se deve deixar passar em claro. A determinada altura, quando Francisco Lopes insiste na necessidade óbvia de substituir as importações por produção nacional, Cavaco dispara na defesa obediente das agências de rating e dos “mercados”. O mais curioso neste argumento, para além do nonsense de defender as mesmas entidades que provam a falência da sua política (veja-se o que pensam do orçamento da recessão), foi a falta de confiança do actual presidente da república na sua opinião, sentindo-se forçado a invocar a opinião política do ex-chefe de gabinete do eurodeputado do PSD João de Deus Pinheiro e actual governador de Portugal Carlos Costa, como se de um “técnico” se tratasse.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.