A Time mostrou que não se ganham Pulitzers sem a devida vénia ao imperialismo

Se uma boa capa seria uma boa capa, uma má capa também não deixa margem para dúvidas.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 respostas a A Time mostrou que não se ganham Pulitzers sem a devida vénia ao imperialismo

  1. o da boa-fé diz:

    Que fofinho, este Marco Monte de Açúcar ou Mark Zuckerberg, para quem preferir no original…
    Já agora o que é essa coisa do Facebook, feissebuque em português; tenho ouvido falar muito nisso , mas continuo sem saber o que é. Vêem-se gajas nuas, gajos com a pichota até ao joelho, anões com 3 testículos, filmes do Taveira? Afinal porque será que se fala tanto na coisa?

  2. xatoo diz:

    nos tempos que correm, em que muita gente passado mais de 100 anos ainda não reconhece a teoria moderna de Lenine, “vénia ao imperialismo” será um chavão pouco preciso. O correcto seria admitir uma “vénia ao lobie judaico” (uma vez que Zuckenberg roubou a ideia aos colegas de Harvard, esses sim, ainda apenas imperialistas wasp)… e depois etc. para desenvolver a empresa precisou do financiamento de milhões de que só o tal lobie pode dispor…

Os comentários estão fechados.