A CIP: porta-voz oficiosa do Governo

António Saraiva, presidente da CIP, confirmou hoje que está prevista a aprovação de novas medidas no Conselho de Ministros, incluindo a diminuição do volume das indemnizações a pagar pelas empresas nos despedimentos, o que deverá acontecer para “novos contratados”.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a A CIP: porta-voz oficiosa do Governo

  1. O Saraiva que fazer crer tratar-se de grande humanista, quando afirma que a flebixização da lei quanto a indemnizações apenas se aplicam a “novos contratados”. Tem consciência da injustiça e então poupa os outros. Mas os “novos contratados” não são gente? Não são mesmo, em parte substancial dos casos, “velhos contratados a recibo verde”?
    O que é indesmentível é que as novas disposições legais da relação laboral consolidam a precariedade e a insegurança na vida de muitos cidadãos, sem que nada resolvam.
    De resto, no Reino Unido e nos EUA, países de leis laborais flexíveis, o panorama é quele que o The Guardian hoje refere – http://www.aventar.eu/2010/12/15/a-flexibilizao-das-leis-do-trabalho-a-farsa/.

Os comentários estão fechados.