Imposing Misery Forever, acusavam os manifestantes nas ruas de Dublin. A cara metade do FMI neste país tem nome: Brian Cowen!

O primeiro-ministro demissionário Brian Cowen é uma das grandes figuras da política irlandesa, tendo já ocupado o cargo de Ministro das Finanças (2004-2008), Ministro dos Negócios Estrangeiros (2000-2004), Ministro da Saúde e da Juventude (1997-2000), Ministro dos Transportes, da Energia e das Comunicações (1993-1994), Ministro das Artes, do Desporto e do Turismo (1993) e Ministro do Trabalho (1992-1993). 

Já se está a ver que se vai apresentar como o candidato da esperança e pode ser que nas eleições antecipadas de Janeiro volte a acrescentar novo mandato ao seu currículo. A ver vamos se os irlandeses se livram da crise.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

Uma resposta a Imposing Misery Forever, acusavam os manifestantes nas ruas de Dublin. A cara metade do FMI neste país tem nome: Brian Cowen!

  1. Como dixia akele cartaz ?
    Two ‘Brians’ , no brain<.
    Sentimentos divididos. Eu sou português na espinha e na medula, mas se houvesse duas vidas para cada pessoa seria também
    ‘brit’.
    No entanto, e ao contrário dos ingleses (de muitos deles) eu gosto dos mick‘s.
    They’re a bit rough around the edges, not always polite people however they’re real, and they refuse to live by any one other’s leave. Get me, ou tenho que traduxir esta m#$%&a ?

    Eu axo que os IRA’s se transformaram de um exército republicano num bando de terroristas e assaltantes, mas eles lá teriam as suas razões, ficar-me-ia mal julgá-los , a eles ou a quem quer que fosse. Mas claro, sempre tive uma simpatia, uma empatia, um sentimento, nem que disfarçado e silencioso por esses tipos, o mexmo com os gajús do Euzkadi Ta Askatasuna, apesar de eu estar deserto de saber que akilo é sopa da mexma gamela, e que fora os putos das cidades, a chamada base social de apoio dakilo é gente fina com enormes cães e um ódio raivoso aos pobretanas dos andaluzes e asturianos que lhes invadem as coutadas.
    Ressalvadas as devidas diferenças, same thing with the Irish Republican Army.
    Não li esta prosa no google, andei por lá a chocar-me com a pôrra da realidade concreta, é assim que ‘assento’ as poucas opiniões que tenho sobre seja o que fôr.
    Como dixia akele careca, ‘análise concreta da situação concreta’, whatever the f#$k that means…
    😉

    Sei perfeitamente que o futuro da Irlanda se dixcute entre o o pessoal do Fianna F. e os do Fine Gael e que a malta do Sinn Fein (para quem não saiba diz-se shin fin) só vai ter nisso um papel marginal.
    Claro que se pode tentar transformá-la, porém não adianta fingir que a realidade não existe.

Os comentários estão fechados.