FMI e a futura União Nacional

A entrada do FMI apenas trará um consequência positiva: o muito provável abandono de José Sócrates do cargo de primeiro ministro. Ainda que Sócrates tenha sido fortemente suportado pelos grandes grupos económicos nacionais, a quem tanto deu a ganhar, creio que o apreço e solidariedade se manifestará sob a forma de um exílio abastado, longe da governação. A União Nacional que o FMI convocará tenderá a livrar-se de qualquer responsabilidade passada, para aplicar o seu tratamento de choque. A bem do “mercado”.

No Aparelho de Estado.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

2 respostas a FMI e a futura União Nacional

  1. Citação: …um exílio abastado

    Também quero, e o meu curso é melhor que o dele e tenho sobre a criatura a “vantagem competitiva” de nunca ter sido ministro coisa nenhuma, e ambição nula de o vir a ser…
    😉

  2. serraleixo diz:

    A saída de Sócrates do cargo de 1M não tem nada de positivo nem de negativo. É completamente indiferente.

Os comentários estão fechados.