Delito de opinião punido com dois anos de prisão nos EUA

“Obama deve morrer”: as palavras podiam ter valido a Brian Dean Miller uma pena de prisão de mais de cinco anos, mas ao ter-se declarado culpado por escrever a ameaça de morte ao Presidente norte-americano, este homem de 43 anos acabou por ver reduzida a pena a mais de metade do tempo.

Brian Dean Miller foi condenado a 27 meses de prisão sem liberdade condicional.

A mensagem foi colocada no site “Craigslist” na noite em que o Congresso aprovou a reforma da saúde de Obama, uma das suas batalhas políticas do segundo ano de mandato.

O autor prometia tornar-se um terrorista se o projecto fosse aprovado. E escreveia: “Dedico a minha vida à morte de Obama e a toda a equipa do Governo federal”, “isto é uma guerra. Juntem-se a mim”.

Um morador de Arlington, no Texas, informou os serviços de segurança dos Estados Unidos sobre as ameaças, o que levou as autoridades a deter Miller na sua residência em Dallas, lembra a Associated Press. O seu computador foi apreendido.

Inicialmente, Miller recusou-se a responder às perguntas das autoridades, mas acabou por reconhecer que era o autor das ameaças – mas dizendo que tudo o que tinha colocado no site não passava de ficção, escreve a mesma agência.

Um livro publicado por Ronald Kessler no ano passado estima que Barack Obama é alvo de mais de 30 potenciais ameaças de morte por dia, 400 vezes mais em relação a George W. Bush, desde que tomou posse em Janeiro de 2009.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

12 respostas a Delito de opinião punido com dois anos de prisão nos EUA

  1. adeus-vai-te-embora diz:

    Há uma linha ténue entre uma opinião, desabafo ou graçola e uma ameaça. As primeiras devem ser toleradas e respeitadas, a última deve ser reprimida e castigada.

    • Rafael Fortes diz:

      considera que um gajo que escreve que quer matar alguém num site ou num blog está a fazer uma ameaça? se cá assim fosse, teria que pedir aos comentadores do 5 dias para terem cuidado, nao fosse a PJ intimar-nos a dar os ips…

  2. Leo diz:

    Alguém deu por algum norte-americano ter alguma vez ameaçado Bush de morte?

    Eu que até me dou ao cuidado de espreitar alguns dos seus media online não me lembro de tal ter acontecido.

    Que muita gente dos povos que ele ocupou o tivesse feito é apenas um sinal de sanidade.

    Que muitos dos que estão contra as guerras que ele promoveu tal tenham verbalizado é normal e democrático. Eu próprio me fartei de berrar morte ao Bush, Blair, Aznar e Barroso pelas ruas de Lisboa. Ou já não vale a liberdade de expressão?

    Mas o que acho extraordinário é que um país que condena com penas até cinco anos qualquer cidadão apenas por uma boca contra o seu presidente, tenha a lata de criticar outros países que condenam nacionais seus que cometeram atentados contra os seus co-cidadãos.

  3. José diz:

    Embora adivinhando algumas reacções, que aconteceria ao autor desse blog se se encontrasse na Síria, Irão, Cuba, Coreia do Norte ou, caso existissem blogs na altura, a antiga URSS?
    Parece-me um evidente exagero o ocorrido com o referido blogger, mas o aproveitamento que está a ser feito para criticar os EUA não é menos exagerado.

    • Leo diz:

      Sei que em Cuba toda a gente pode falar e escrever à vontade, porque já lá fui e constatei isso mesmo. Dos outros sítios não posso dar testemunho pessoal, nunca lá estive.

      E concordo consigo que é um exagero o ocorrido com o referido blogger. Já quanto a não se poder por causa disto criticar os USA discordo. Isto não é uma crítica aos USA é uma crítica a um exagero dos USA.

  4. Há uma tradição nos USA de assassinar/tentar assassinar presidentes (comecem a fazer as contas a quantos…) daí o Secret Service e a paranóia…

    🙁

  5. mesquita diz:

    Se o incitamento ao odio racista, é crime na maior parte dos países democráticos, porque razão o incitamento ao odio e à morte, de uma pessoa em concreto, não o deve ser?

  6. Ana Paula Fitas diz:

    Caro Rafael,
    Vou agraciar o Cinco Dias no A Nossa Candeia.
    Um abraço.

  7. mesquita diz:

    Leo,
    Se 2 está num conjunto de números pares, se num acto em concreto, defender o 2, não excluo os outros números pares.
    O que é mais irritante, é que o autor do post ,defende, estou certo, países em que o degredo é o caminho para cidadãos por delito de opinião.
    Isso é execrável..
    Ab.

  8. Leo diz:

    Hoje o YouTube anunciou que removeu todos os sermões do clérigo norte-americano Anwar Awlaki, satisfazendo numerosos pedidos de autoridades britânicas e norte-americanas e do congressista democrata de Nova Iorque Anthony Weiner que alegou que as ideias de Awlaki constituíam um perigo para a segurança dos USA e um perigo para os cidadãos norte-americanos.

    As regras do YouTube incluem razões para remoção mas o site geralmente não aplica as relativas a ameaças ou incitamento para cometer actos violentos dado que respeitam assuntos de política estrangeira.

    O que é mais extraordinário neste caso é que ao mesmo tempo que removeu todos os sermões de Awlaki, o YouTube mantém os discursos de autoridades norte-americanas apelando ao assassínio de Awlaki.

    Confirme aqui: http://news.antiwar.com/2010/11/04/citing-us-british-demands-youtube-censors-anwar-awlaki/

Os comentários estão fechados.