MUITO fixe, Brasil!

A Presidência a ser disputada por dois antigos resistentes à ditadura, como bem escreveu o Paulo Granjo, e a ser ganha por quem resistiu mais e melhor – vulgo, os mais consequentes (e o que eu gostava de estar lá agora…)

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

3 Responses to MUITO fixe, Brasil!

  1. Abilio Rosa diz:

    Outra música da resistência no Brasil nos anos de chumbo da Ditadura.
    Chico Buarque d’Hollanda em «Construção», um tema muito actual aqui em Portugal, quando se quer desregulamentar o trabalho e infernizar a vida dos operários e dos trabalhadores em geral.

    http://www.youtube.com/watch?v=P7mHf-UCZp0&feature=related

    No Brasil, a resistência consequente e frontal está no poder. Aqui, neste Portugalinho de cobardes e vendidos, e principalmente por causa dum Partido «Socialista» que meteu o «socialismo na gaveta» e que engraxa os sapatos e alisa a careca dos banqueiros e dos capitalistas, estamos já pior do que na década de sessenta do antigo regime: fome, emigração, perda de direitos, ditadura do capital externo e corrupção por todos os lados.

    No Brasil conseguiram. Aqui, devido aos Soares, aos Alegres, aos Sócrates, aos Guterres e tantos outros «socialistas» de carteira recheada, em vez de governarem em favor do povo, governam a favor dos «mercados», a favor de Bruxelas e a favor dos grandes bancos e monopólios que chupam todos os euros arrecadados nos nossos impostos.

    A verdadeira esquerda só estará no poder em Portugal quando conseguir reduzir a cinzas – repito, a cinzas – o actual partido que auto-intitula-se de «socialista».

  2. Pingback: Quando voam alto, até as pombas parecem bonitas. | cinco dias

Os comentários estão fechados.