Inundações

Já está. Meia Lisboa debaixo de água. Imprevisível? Não. Inevitável? Sim. Nada, repito nada, pode justificar que se continue a tolerar as inúmeras operações de impermeabilização de logradouros e espaços públicos. As imagens também são impressionantes.

(corrigido a 30.10.2010)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

8 respostas a Inundações

  1. Bruno Simão diz:

    Em Loures, o Presidente da Câmara já aconselhou as pessoas a abandonarem a parte baixa da cidade, porque diz que não manda na chuva.

  2. Abilio Rosa diz:

    O edil Costa, no lugar de andar a largar guedelha naquela mesa televisiva tipo «mesa redonda/ideias quadradas», antes fosse governar a cidade de Lisboa.
    Há muito que Lisboa está entregue aos bichos e aos especuladores!

  3. Temo por Lisboa, bela cidade. Que tudo corra bem.

  4. M. Abrantes diz:

    Basta um bando de aves aliviar-se sobre a capital para o pessoal local ficar com água pelos tomates. Custa a perceber.

  5. Subscrevo 100%
    Deves querer dizer «evitável»…

  6. Tiago Mota Saraiva diz:

    António, com a construção em massa dos nossos logradores e terreiros isto é inevitável. Não há limpeza de sarjetas ou substituição de condutas que nos valha.

  7. Noutro século, fui de Engª Civil.
    Como é que se pode construir legalmente em cima de linhas-deágua, entubar rios e ribeiras (as ditas), impermeabilizar bacias de infiltração das pluviais, “amuralhar” caves na baixa impedindo que a preia-mar do Tejo molhe a estacaria, construir ao nível e abaixo do nível do mar, e depois esperar que tudo corra bem quando vem uma chuvada ?

    Essa gente fex (ou foi ‘autorizada’ a faxer…) a cama onde estão deitados…
    Como é que se pode ser tão ignorante e tão estúpido ??

    🙁

  8. Pingback: Tweets that mention Inundações | cinco dias -- Topsy.com

Os comentários estão fechados.