Morreu o Allison

Morreu Malcolm Allison, que por cá treinou o Sporting, o Vitória de Setúbal e o Farense. Em Inglaterra orientou, entre outros, o Crystal Palace e o Manchester City, mais que uma vez. Não lançou nenhuma maldição como a do Bela Guttmann (nos anos 60 ao Benfica), mas a verdade é que depois de ter levado o Sporting à vitória no campeonato em 1981-82 e saído, o clube de Alvalade ficou 18 anos em seco.

Dizia o Allison que os portugueses eram medrosos: tinham sempre mais medo de perder que vontade de ganhar; só se descontraíam se a cinco minutos do fim do jogo estivessem a ganhar por 3-0. Há por aí muitos portugas empenhados em dar-lhe razão.

Que a relva lhe seja leve é o voto deste belenense.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a Morreu o Allison

  1. É a vida com as suas mortes, caro António.

  2. Há Belenenses no 5 Dias, ainda bem. A prova que eles estão em todo o lado, de Valença a Vila Real de Sto. António.

  3. Fernando Martins diz:

    Por causa do Allison, lembro-me do BELÉM também ter tido um treinador inglês inesquecível (1983-1986): Jimmy Melia. Recordo-me de o ver ser sempre calorosamente ovacionado pelos sócios e adeptos azuis cada vez que entrava no relvado antes do início dos jogos no Restelo. Na altura, o homem virava-se para a bancada poente e acenava agradecendo muito calorosamente. É claro que com o Belém não ganhou nada (tinha ganho uma taça de Inglaterra à frente de uma equipa modesta), mas era bom treinador porque me lembro da equipa jogar bem sob a batuta daquele treinador calvo, de baixa estatura, olhar vivo e fortíssimo carisma. É claro que também houve o Jimmy Hagan que safou o Belém da descida e o John Mortimore que conseguiu que na 1-ª eliminatória da taça UEFA o Belém eliminasse o Bayer Leverkusen, então detentor do troféu.

  4. Marota diz:

    >Dizia o Allison que os portugueses eram medrosos: tinham sempre mais medo de perder que vontade de ganhar; só se descontraíam se a cinco minutos do fim do jogo estivessem a ganhar por 3-0. Há por aí muitos portugas empenhados em dar-lhe razão.<

    Segundo estas palavras, Allison não foi só treinador do melhor clube português, ele também foi um grande visionário. Os portugueses têm mais medo de perder do que vontade de ganhar, QUE VERDADE! Infelizmente ainda hoje muito actual e em tudo aquilo que se faz. Muito blá blá blá blá em vez de se agir, com medo que nos roubem o "Quase nada que ainda temos". Medo de quê? Já não há nada a perder, a nós só nos restam as mãos… uma para tapar à frente e a outra o rabiosque – o resto já nos roubaram… tenham cuidado, senão ainda ficamos manetas.

    Façam alguma coisa, nem que seja ela mínima! Por exemplo assina esta petição:

    http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=ARTIGO47

  5. Pisca diz:

    Aos Belenenses, cuidado, muito cuidado, o Carlos Guedes pode aparecer, depois não digam que não avisei

  6. António Figueira diz:

    Terceiro ano da fac., Sporting campeão, long live Allison!

  7. «o clube de Alvalade ficou 18 anos em seco»

    Dezassete.
    Foram, apenas, dezassete anos ou dezassete épocas se preferir.

  8. Renato Teixeira diz:

    De notar que a Bola, na matéria que dedica ao tema, nem refere a passagem pelo Belenenses. Sintomático, camarada. Sintomático. Abraço, boa estreia e continuação de boas postas que espero que sejam sobre temas onde não temos posições irreconciliáveis.

  9. Pisca diz:

    Renato
    Fui confirmar no ZeroZero e o Allison nunca esteve no Belenenses

  10. Renato Teixeira diz:

    indeed Pisca, com a saudação do Paço pensei que também era um património do restelo. Enfim… embirrações. 😉

Os comentários estão fechados.