5 minutos de prós e contras sobre o futuro de Portugal:

Soares mastiga ar e saliva enquanto faz juras de que os Estados Unidos da Europa vão resolver tudo por nós; Henrique Granadeiro chama Assembeia Geral à Assembleia da República; Ramalho Eanes confunde União Europeia com Zona Euro e Jorge Sampaio dorme sem dizer nada. Pelo meio um presidente da associação de estudantes aplaude o esforço dos portugueses mas diz que os crescidos é que têm que encontrar soluções e um reitor garante que o principal problema é burocrático. Estamos bem entregues, em suma.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

25 respostas a 5 minutos de prós e contras sobre o futuro de Portugal:

  1. Pingback: Tweets that mention cinco dias » 5 minutos de prós e contras sobre o futuro de Portugal: -- Topsy.com

  2. Jezuss H. Khrist, vou mesmo emigrar para Marrocos ou para a Tunísia…

    🙁

  3. Orlando diz:

    A foto diz tudo. Este país esta entregue aos merdas…

  4. Leitor Costumeiro diz:

    Bom dia!!

    Renato, na minha opinião o Reitor e o Sampaio,ainda foram os mais clarividentes, sempre em pezinhos de lã e sem aprofundar muito como seria de esperar.
    O presidente da associação de estudantes teve piada, ri-me um bocado da cara de Tono a dizer que os crescidos é que têm as responsabilidades e os jovens ão de se preocurar com assunto mais tarde.-Jovens não façam nada no presente que possa melhorar o futuro…
    Os outros Manfios protagonizaram demasiados negócios escuros e traições, deviam era tar calados e enfiarem-se num buraco qualquer….

  5. A. Silva diz:

    A imagem capta perfeitamente o ambiente!

  6. Índio Joe diz:

    Sim, também vi um bocadinho… Mário Soares, ainda com os mesmos tiques de velho a falar para a plateia (é outro Daniel Oliveira… mas mais velhinho… busca, de maneira constante, o protagonismo… quer lá estar…)… Jorge Sampaio, o ex-presidente chora-chora, ou o enigmático “Cabeça de lâmpada” ou “o cenoura”, sempre o mesmo discurso, “minha senhora, isto… minha senhora, aquilo…” Ramalho Eanes, com a barba por fazer… Céus! É arrepiante… e Fátima Campos Ferreira a mostrar o pernão para a plateia, com a cara pálida, borrada de batón… Uma seca absoluta.

    Por sorte, tinha um bom filme em casa… “O Meu Amigo, Eric” Alguém já viu?

    Toksha Aké!

  7. LAM diz:

    Que saudades dos tempos da queda da ponte de Entre-os-Rios, em que em cada português havia um engenheiro de pontes.

  8. Semeador de Favas diz:

    O meu modesto contributo para a análise do aroma mediático da latrina:
    http://artterrorfoundation.blogs.sapo.pt/28942.html

  9. LAM diz:

    A. Silva: “A imagem capta perfeitamente o ambiente!”

    concordo, perfeita. Faltará apenas na parede um daqueles escritos comuns nos w.c. : “sócrates was here”.

  10. Magnífica Instalação!
    É da Mafalda Santos?

  11. antónio sousa diz:

    – Bem se pode dizer que a imagem escondida não podia representar melhor o dito cujo mais os que lá assentaram praça.
    -Parabéns.

  12. Renato Teixeira diz:

    Índio Joe, não conheço o filme. Quer dar umas dicas. Mesmo só tendo visto 5 minutos de Prós e Contras preciso de um balsamo de qualidade indiscutível.

    LAM, no debate de ontem não faltavam “engenheiros de pontes”. 😉

    Muito bom texto Semeador.

    Donatien Alphonse François não faço ideia mas se bem me lembro quando a pirateei da net era de um artista estrangeiro. Ou seja, não faço a puta ideia. Se experimentar o pôr do sol consegue efeitos parecidos ao fotografar a AR, ou o Prós e Contras, claro.

  13. Axo que falhei esse debate.
    No meu tempo não havia “engenheiros de pontes”, as pontes são uma coisa complexa (cargas dinâmicas oblige…) e eram projectadas pelos gajús da opção Estruturas, a mais difícil do curso de Civil. As outras duas eram Urbanização (a minha) e Hidráulica.
    Hoje em dia já não sei.
    O meu único filho é engº (IST, somos todos…) por um curso algures entra Química, Civil e Metalurgia que não havia no meu tempo.

    🙂

  14. Abilio Rosa diz:

    Foi um momento da maopir cretinice e pouca vergonha.
    Só faltava ali o Cavaco para a cereja ficar em cima do bolo.
    O vinho já lá estava, pela mão do Granadeiro, que teve a ousadia de dizer que enquanto havia um Portugal miserável havia outro que funcionava e que «progredia»…

    Claro, «progride» à custa do Portugal miserável, seu escroque!

  15. Pois,Renato, A Mafaldinha ( dos Santos) também plagia …e vende pra a fundação edp…Um caso para o nosso especialista em artes…

  16. Renato Teixeira diz:

    DAF, aqui plagia-se mas não se cobra. 😉

  17. Renato Teixeira diz:

    Falava da colocação de imagens sem grande preocupação com os créditos.

  18. helder diz:

    Só há uma relação entre o prós e a a foto.
    O primeiro impele-me em passo de corrida para a segunda.

  19. Bolota diz:

    Renato,

    As mordomias as estas 3 imponentes figuras é vitalicia??? Menos 3 carros, menos 3 secretarias, menos uma serie de coisas se calhar dava jeito em tempo de crise…
    Numa coisa são unanimes, a culpa da crise é de todos.

    Estou em condições de chamar-lhes MENTIROSOS, o Bolota não tem culpa nenhuma, não fez que não fosse o que lhe é pedido, TRABALHAR.

  20. jorge sampaio desta vez não chorou?

  21. Renato Teixeira diz:

    E o segundo de regresso ao primeiro. Mais nada Helder.

    Bolota, acho todas somadas, as mordomias, são capazes de ter impacto no PIB.

    Ana Cristina Leonardo, não seja má e não confunda lágrimas com ramelas.

  22. Índio Joe diz:

    Renato, “O meu amigo, Eric” é um filme realizado por Ken Loach. É um bom bálsamo contra a nossa televisão, “do Zé, da Manela, da Fátima, da Judite…”

    Sobre o nosso “ex-chora-chora Sampaio, George”, tornado herói nacional depois do debate do “Prós e Contras”… recordemos a célebre frase dita, pelo telefone, à mãe (inglesa), quando este ganhou as eleições presidenciais: “We did it!”

    Toksha Aké!

  23. Daniel Nicola diz:

    Tudo pró-PECs, contra a agiotagem financeira nada! Em vez de um debate, uma União Nacional bafienta. Ex- presidentes e ex-ministros desfilam e opinam como se tivessem (des)governado noutro país, quiçá noutro planeta.
    Aplaudo Renato. Há imagens que valem mil palavras. O cheiro dispenso apesar de impregnar o ar da República centenária, que de tão velhinha e viciada, parece pedir uma refundação ou mesmo uma Revolução, desta feita, verdadeiramente popular. Até porque, os mercenários das forças armadas já não contam para nada.

  24. Renato Teixeira diz:

    Terei que ver que o K. Loach nunca me deixou ficar mal.

    Não contarão Daniel Nicola? É verdade que já não são eles que mandam mas não subestimaria…

Os comentários estão fechados.