Todos os noticiários abriram com um acidente na linha do Oeste…

Foi isto, vezes 3.

Tudo dito sobre interesse público, qualidade e variedade informativa.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

5 respostas a Todos os noticiários abriram com um acidente na linha do Oeste…

  1. Abilio Rosa diz:

    O país à beira da bancarrota; o país às portas da maior ofensiva do capital sobre o trabalho; a miséria, a fome e a corrupção a alastrar por todo o país,etc, e as televisões generalistas sempre a explorar o sensacionalismo e a desgraça individual das pessoas.

    Para que serve uma RTP – alegadamente de «serviço público» – e que mais não é do que uma caixa de ressonância dos ministérios da propaganda?

    Para que serve esta RTP , que é um autêntico sorvedouro de impostos, onde muita gente ganha chorudos ordenados, reformas e cachets, à custa dos contribuintes?

    Não será melhor extinguir a RTP de uma vez por todas, no lugar dos portugueses estarem a sustentarem um autêntico monstro informativo e um autêntico monstro financeiro que devora milhões e milhões?

  2. Índio Joe diz:

    A RTP serve como propaganda do regime…

    Basta ver as pequenas reportagens em torno da saúde ou a forma como tentam impor o medo ao telespectador, como, por exemplo, as multas impostas pela ASAE… as novas doenças… o crime, etc…

    Tentam meter medo, mas aquilo é tudo uma mediocridade sem paralelo… Basta ver o programa “Prós e Contras” e a sua apresentadora… a maneira como constantemente interrompe os convidados…

    Quanto aos outros canais, vejo os jornalistas como funcionários que fazem o seu papel… que é olhar para o teleponto e lerem umas coisas que escrevem e que depois têm de dizer com um ar sério… O pior de todos é o José Alberto de Carvalho, que se engasga vezes sem conta a dar as notícias e, como todos, julga ser um grande profissional da televisão…

    O melhor mesmo é seguir a imprensa alternativa e quanto à televisão, compremos uns DVD’s baratos e vejamos bons filmes e bons documentários, pois estes “ditos profissionais” só servem para ler e comentar futebol… Nisso, são campeões… Por exemplo, o telejornal da hora do almoço é dito de maneira monótona e meio séria até chegar ao desporto… Quando chega ao futebol, o apresentador abre os olhos e desperta para a câmara… É fantástico, vale a pena ver.

    toksha ake wacinyuanktin ktelo!

  3. Vitor Ribeiro diz:

    Não percebo qual é o problema… Quando tanta gente sai a terreiro a defender o jornalismo(???) de Manuela Moura Guedes e José Eduardo Moniz, elevando-os ao estatuto de mártires, ou elegendo Mário Crespo como o último paladino da liberdade de imprensa, querem exactamente o quê? Eu, desde que o sr. Fernandes tratou de começar a destruir, laboriosamente, o Público, deixei de comprar jornais. Quanto a noticiários televisivos, deixei de lhes dar importância a partir do momento em que começaram a abrir com noticias do pontapé na bola – hoje, para lhes espremer alguma coisa, tenho de os sobrepor (tipo transparências…), pois só assim se consegue ter algumas imagens, não digo completas, mas mais ou menos aproximadas da realidade…

  4. Renato Teixeira diz:

    Índio e Abílio, notem que não se tratou apenas da RTP. Está certo que no seu caso é mais grave, mas o plasma está generalizado.

    Boa Fé, sem dúvida um dos melhores. A republicar por estas bandas um dia destes. Abraço.

    Vitor Ribeiro, está visto que percebe perfeitamente o problema.

Os comentários estão fechados.