Golpe de estado no Equador

No momento que escrevo estas linhas, o desfecho do que parece ser uma tentativa de golpe de estado disfarçado de reivindicação salarial ainda não é claro. A informação ainda não é completamente esclarecedora, mas é certo que uma parte da Policia e do Exército aprisionaram o presidente do Equador, Rafael Correa, num hospital policial. Já houve tentativas de invasão e controlo da televisão publica por parte da direita equatoriana, num assalto comandado pelo advogado do ex-presidente do Equador. Manifestações de populares em apoio a Correa multiplicam-se por todo o Equador, assim como também se multiplica a repressão dos policias golpistas com cargas violentas sobre a população, utilizando gás lacrimogénico e, em algumas situações, segundo alguns relatos, munições reais. Confirma-se um morto e vários feridos. O balanço pode aumentar. Em Quito, populares são dispersados à bala, segundo a Telesur.

Depois do golpe de estado bem sucedido em 2009 nas Honduras, com uma repressão contínua desde então sobre sindicalistas, opositores, activistas de direitos humanos e jornalistas, assistimos hoje a mais uma tentativa de reprimir e calar pela força os governos progressistas ou revolucionários da América Latina. Esta América Latina, que durante décadas sofreu a repressão das ditaduras fascistas (apoiadas pelo governo norte-americano) que perseguiu, torturou e matou centenas de milhares de opositores, activistas, sindicalistas, comunistas, esquerdistas ou simples progressistas. Há cerca de 10 minutos, o vice-presidente venezuelano fazia um apelo ao Povo venezuelano para se solidarizar de forma massiva com o Povo Equatoriano, referindo a importância da vigilância popular constante, da unidade entre Povo e Forças Armadas que é preciso atingir. O golpismo da direita não dorme e a falta de vigilância revolucionária pode acabar rapidamente em muitas mini-operações condor.

Aqui, na nossa Europa já completamente dominada pelos oligópolios neo-liberais, com o controlo completo da opinião publica pela inevitabilidade dum modelo económico que assume claramente o seu sentido regressivo, espantamo-nos com estas intentonas (tantas vezes) repetidas. A direita do capital, dos interesses obscuros, não tem ética, não respeita nem de perto, nem de longe a vontade popular. Perdida na sua lógica umbilical, consome o seu entorno, canibalizando a sociedade.

“Quando a reacção mostra os dentes, temos que parti-los antes que morda”. Espero que o Povo Equatoriano ainda vá a tempo e que mostre na rua, enfrentando heroicamente os golpistas, a sua dignidade.

Adenda às 4.00 (portuguesas): Rafael Correa foi libertado. Fez um discurso emotivo à populaçao, onde denunciou a conspiraçao da oposiçao e defendeu a necessida de uma maior unidade para continuar da Revoluçao tranquila e ciudadana. Terminou a intervençao com “Hasta la victoria, siempre”.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , . Bookmark the permalink.

5 Responses to Golpe de estado no Equador

  1. Abilio Rosa diz:

    As oligarquis pós-coloniais e o grande capital ao serviço do Império nunca perdoarão a emancipação social, politica e económica dos povos da América Latina.
    Estão à espera de oportunidade para incendiarem a Bolívia, a Venezuela e o Equador, já que no que toca ao Brasil e à Argentina, a correlação de forças é muito diferente e mais complexa.

  2. antónimo diz:

    deve ser destes casos de que se fala tanto quando se refere os “crimes do socialismo”. Até ver, ou o socialismo se torna criminoso ou são os democratas que o assassinam, como em, Espanha, no Chile ou tentam assassinar como no Equador ou na Venezuela

  3. Caro Rafael,
    Para o império do norte, do norte das américas, é absolutamente indispensável duas coisas: que não existam exemplos de países onde a simples ideia de Socialismo triunfe; que as reservas de petróleo existentes a sul lhes possa fugir das mãos. Por isso, até vir o momento de avançarem em força para a Venezuela, onde está o que procuram lá pelo distante Iraque, precisam de deixar passar algum tempo entre a tentativa frustrada em 2002 nesse País, e entretem-em os seus operacionais do planeamento golpista a tentar derrubar presidentes daqueles Países vizinhos com sonhos de independência, e quando a isso juntam um projecto de sociedade onde a justiça e a igualdade se abraçem com a liberdade, melhor para o império. Foi assim na Venezuela, na Bolívia, nas Honduras, agora no Equador, em fila de espera o Panamá, etc. Mas a resposta popular foi uma lição, como já havia sido e continua a ser, todos os dias, nas Honduras. Enquanto aqueles que querem um mundo de iniciativa dos povos não se convencerem de que existem imperialismos, que estes têm os meios activos para responderem às suas necessidades de agenda múltipla, dirigida em várias frentes, até esses se admiram destas coisas acontecerem. Mas o mundo vai de roda, como a dança!

  4. obrigados diz:

    Agora, só tem que fuzilar esses filhos da puta,sem dó nem piedade.

    Vejam o q acontece(u) nas Honduras onde o ‘preto'(atençaõ,esta é a maneira como as’elites’ tratam a os africanos sipaios) apoiou o golpe e,como seu pais trabalharam para a CIA!!!Têm havido ‘desaparecidos’,assassinados, e toda a sorte de violência q os media de referrência privados(!!!!) não dizem, assim como muitas outras….

  5. A. Silva diz:

    “A direita do capital, dos interesses obscuros, não tem ética, não respeita nem de perto, nem de longe a vontade popular. Perdida na sua lógica umbilical, consome o seu entorno, canibalizando a sociedade.”
    Sem duvida!

Os comentários estão fechados.