Queimar livros: um desporto norte-americano

 

O Pentágono confirmou que comprou e destruiu cerca de 10 000 exemplares do livro “Operation Dark Heart” por supostamente conter segredos de Estado. A editora já anunciou que irá re-editar o livro com as 250 alterações exigidas pela inteligencia norte-americana.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

20 respostas a Queimar livros: um desporto norte-americano

  1. João Silva Santos diz:

    Ah, o mítico reductio ad hitlerum… Nada melhor para começar logo a perder a razão.

  2. rafael diz:

    o campo de similitude dos conceitos que conformam a ideia de censura podem variar na intensidade, na sua expressao potencial ou “de facto”, mas em nenhum momento deixam de ser componentes de uma mesma ideia de controlo, de estarem interligados por uma rede que provoca sentidos semelhantes. Repetiçoes sistémicas, mesmo que em territorios distintos do pensamento e da acçao humana, que portam no seu interior a génese, o nó gerador e multiplicador do pensamento censório. Essa era a unica intençao da amostragem dos dois videos. Se acha que isso é perder a razao, eu acho que é discutirmos os aspectos estruturantes do pensamento censório infiltrado nas diversas formalizaçoes de estado. Mas pronto, cada um é livre de pensar o que quiser…

  3. xatoo diz:

    Missing Links – The Definitive Truth About 9/11

  4. José diz:

    É difícil haver melhor campanha de de marketing para um livro! Os números das edições canadianas, inglesas e do resto do mundo anglo devem atingir a estratosfera.
    A estupidez tem destes efeitos.

  5. M. Abrantes diz:

    A comparação, enquanto ferramenta argumentativa, transformada em puta.

  6. a invejosa diz:

    Tratemos é da nossa vida :
    Que tal pregar um sustinho ao Mexia nos lucros da EDP,
    se cada um de nós não pagar a conta à EDP durante um mês (são precisos dois meses para um corte logo não passa nada)
    ninharias dirão eles
    ou não 🙂

  7. koshba diz:

    A Tortura democrática é infinitamente mais benigna,que a tortura totalitária.Os bombardeamentos democráticos com bombas de fragmentação,fósforo e todos os progressos cientificos menos maléficos q as bombas terroristas do Hamas,p.ex!

    O gamanço de velhinhas infinitamente mais prejudicial q os desvios,deslizes de banqueiros ‘com berço’ e,pagos pelo sarcrossanto contribuinte aos milhões de milhões q extravazam(claro,não há milagres para ninguém mas,last but not the least) para a contribuição na ordem dos 75%!!!!!,no caso português para a Dívida Pública)

    É este argumentário estupidificante de certos comentadores xico-espertos.Só me apetece dar-lhes com uma marreta pelos cornos abaixo.Eu sei q estou fodido mas,não gosto q me gozem….

  8. antonio diz:

    São países que não nos merecem respeito nenhum…. Toda a gente sabe que a URSS e o Cambodja (por exemplo) nunca queimaram livro nenhum…nada…nickles….zero….

  9. Rafael Fortes diz:

    ò antonio, e se fosse para a porra? o PCP fez a critica à URSS há já bastante tempo, se existe alguem que apoiou o regime dos khmers vermelhos é malta que está no Bloco actualmente (e eram fervorosos apoiantes) e os factos que aqui relato referem-se há uma semana atrás, nao há 20 anos…

  10. Miriam diz:

    Na Alemanha nazi, queimaram-se todos os livros considerados “heréticos” pelo regime. (leia-se: livros escritos por judeus, comunistas, democratas, liberais etc)

    Neste caso que refere, a motivação é assaz distinta, como pode ler aqui:

    “Shaffer’s book was reviewed and cleared in writing by the Army Reserve earlier this year, but this summer the Defense Intelligence Agency objected to the use of the names of American intelligence officers, among other issues.”

    http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2010/09/09/AR2010090907747_pf.html

    A sua comparação é demagógica e não faz qualquer sentido.

    Aqui estão as provas de que nos EUA o “first amendment” é sacrossanto. Todas estas publicações que menciono abaixo teriam sido queimadas pelo regime nazi:

    http://www.telospress.com/

    http://www.amazon.com/Manufacturing-Consent-Political-Economy-Media/dp/0375714499

    http://en.wikipedia.org/wiki/Alternative_press_%28U.S._political_left%29

    A sua demagogia é que é muito semelhante à demagogia dos nazis.

    Os EUA apenas estão a tentar proteger segredos de estado. (os nomes dos agentes da DIA que participaram em missões secretas no Afeganistão e Paquistão cujo objectivo era o de eliminar a al qaeda, uma organização democrática que respeita a liberdade de expressão e os direitos humanos.

    🙂

  11. Miriam diz:

    O Rafael censura comentários de pessoas que não concordam consigo?
    Os EUA queimam livros com segredos de estado.O Sr censura comentários.Tudo dito.

  12. Miriam diz:

    Ah,assim sim,como se diz na minha terra.
    Afinal o Rafael nao censura coisa alguma.Bravo!

  13. rafael diz:

    ò miriam, demasiado rapida a tirar conclusoes, nao? e já agora, nao comparo, expliquei isso no 1º comentario

  14. Miriam diz:

    Olá Rafael,

    O que você escreveu no seu primeiro comentário, recorrendo a um vocabulário algo conturbado e nebuloso, não faz muito sentido.

    “…o campo de similitude dos conceitos que conformam a ideia de censura podem variar na intensidade, na sua expressao potencial ou “de facto”, mas em nenhum momento deixam de ser componentes de uma mesma ideia de controlo, de estarem interligados por uma rede que provoca sentidos semelhantes.”

    Sim, estamos a falar de controlo em ambos os casos, em termos superficialmente genéricos. Contudo, esta similitude primordial, se prolongada, pode levar a uma mui debilitante ofuscação. Queimar livros que contem segredos de estado NÃO é a mesma coisa que queimar livros de literatura, poesia e de critica política. Num caso, a queima serve para proteger pessoas que defendem uma democracia e um governo legitimamente eleito para o qual trabalham. No outro, o controlo e a opressão é aplicado indiscriminadamente a TODA a sociedade e tem como fim impedir a livre expressão de opiniões. Num caso estamos a falar de totalitarismo (a pratica do controlo aplicada em todo o corpo social) e no outro da tentativa de proteger a identidade de pessoas que servem um regime democrático. São coisas muito distintas.

  15. Miriam diz:

    O PSD e o PCP defendem ideais de justiça.

    Consideraria, à luz desta “similitude” inicial, que são conceitos de justiça semelhantes ou ideologicamente compatíveis???

    Fiz-me entender?

  16. rafael diz:

    ò Miriam, vá lá ler uns filosofos franceses e depois volte cá…

  17. Miriam diz:

    logo vi que você é fan da filosofia francesa. Confunde retórica e ofuscação com profundidade. Leia o que escreveu.Você quis parecer inteligente (e até pode ser um génio incompreendido) com aquelas frases rococó. Tente pensar de forma clara e compreender o que pensa antes de manchar o papel com tinta. ok. vá berdamerda…

  18. Rafael Fortes diz:

    devolvo-lhe a sugestao, que apreciei enormente, com amor e carinho

  19. Se a editora fosse minha, fazia prai um milhao de cópias. E depois mais 10 ou 15 edicoes! Com um cliente como este..ainda se queixam de crise! “Livro mais vendido no mundo, foi lido apenas por elementos do pentágo”

  20. E ainda fazia mais uns milhoes de cópias..

Os comentários estão fechados.