“WILLFUL KILLING” – A citação proibida no relatório (fantasma?) da ONU sobre a Flotilha da Liberdade!

O relatório da ONU sobre o ataque de Israel à Flotilha da Liberdade teve destaque na generalidade da imprensa nacional e internacional. Todos sublinharam as conclusões que todos já esperavam: houve uso desproporcional da força; violaram-se resoluções e convenções; há um problema humanitário em Gaza; etc; etc; etc. Todos repetiram as mesmíssimas citações, e eu próprio, quando aqui dei conta do relatório, não fiz diferente. Pesquisando um pouco mais podemos identificar duas curiosidades e daí retirar algumas conclusões dramáticas.

A primeira é que não se encontra o relatório. Citações avulsas nas mais variadas línguas, sim, o documento propriamente dito, não. Com os milhões que tem ao seu dispor e o exército de burocratas modernos e especializados, porque raio é que o documento não está disponível na página oficial da ONU?

A segunda é que no meio de tanta citação, as palavras “willful killing”, que em português significam “homicídio intencional”, só aparecem citadas na Press TV que, não obstante o seu bom trabalho, é ligada aos interesses iranianos.

Das duas uma, ou ninguém leu de facto o relatório, e anda toda a gente a dar voz a declarações que podem nem sequer ser do relatório da ONU, ou a comunicação social ocidental anda a levar um banho dos meios supostamente subjugados à tirania de regimes obscurantistas e despóticos.

A ONU só tem um caminho se quiser ser levada a sério: ou intervém para travar a política colonialista de Israel e condenar os que levaram a cabo willful killings, ou mais não é do que uma organização estatística do terrorismo de Estado. Não há meias palavras. Se Israel continuar impune, a coragem narrativa da ONU de nada serve nem aos palestinianos nem a nenhum outro povo, nação ou Estado, e acaba cúmplice dos crimes que parece condenar.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged , , , . Bookmark the permalink.

30 respostas a “WILLFUL KILLING” – A citação proibida no relatório (fantasma?) da ONU sobre a Flotilha da Liberdade!

  1. Abilio Rosa diz:

    Só agora reparei que a PSP e os sindicatos de policia usam a estrêla de David (estrela de seis pontas) nas suas bandeiras.

    Isto tá pior do que julgava…

  2. Renato Teixeira diz:

    Calma Abílio… respire fundo. Eles ainda não estão atrás da porta. O assunto, porém, é mais grave do que lhe pode parecer.

  3. Leo diz:

    Também está no Telegraph, Renato e até de modo mais cru:

    “The conduct of the Israeli military and other personnel towards the flotilla passengers was not only disproportionate to the occasion but demonstrated levels of totally unnecessary and incredible violence,” the report said.
    “The circumstances of the killing of at least six of the passengers were in a manner consistent with an extralegal, arbitrary and summary execution,” it added.

    http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/middleeast/israel/8019443/Israel-used-incredible-violence-against-Gaza-aid-flotilla-says-UN-Human-Rights-Council.html

  4. joão viegas diz:

    Apenas um reparo muito lateral.

    Quando você escreve “Com os milhões que tem ao seu dispor e o exército de burocratas modernos e especializados”, você tem a mais palida ideia daquilo que esta a falar ? Não tem, pois não ?

    O orçamento da ONU, muito por culpa dos paises desenvovidos, com destaque especial para os EUA, é uma miséria em relação às suas atribuições e à importância que devia ter nas relações internacionais (como alias neste caso especifico você concordara com certeza).

    Mas é mais facil cantar “eles comem tudo”, como é mais facil dizer que ha por ai sordidos burocratas que adam a tramar o povo (era melhor quando os oficios publicos eram dados à nobreza, não era ?).

    Desculpe la, mas custa-me sempre ver pessoas que se dizem de esquerda com esse tipo de discurso leviano e irresponsavel.

  5. Luís Teixeira Neves diz:

    Abílio Rosa fazendo palhaçada.

  6. Sioux diz:

    Pois. Também não percebo. O facto é que, ao que sei, aquele relatório não é propriamente da ONU ou dos seus enviados para avaliar a situação. Trata-se de um relatório do departamento ligado aos direitos humanos que, obviamente, tem que denunciar as condições humanitárias dos Palestinianos.

    Em termos legais basearam o seu relatório no facto de não ser possivel bloquear um país aonde exista um problema humanitario.

    E bem, quer dizer o problema das pessoas é sempre mais importante do que as ideologias. O problema é que o Hamas, que governa Gaza, é parte nos conflitos. E quer se queira ou não, tem provocado com sistematica maldade a população de Israel atirando rockets e misseis discriminadamente para alvos civis.

    Portanto colocam-se dois direitos: 1) o direito a abastecer uma eventual crise humanitaria em Gaza 2) o direito a tomar medidas que evitem ataques terroristas a Israel.

    Parece-me que o problema REAL está na verdade nos lideres de Gaza, o Hamas.

    Sioux

  7. Renato Teixeira diz:

    Boa dica, Leo, hoje já se lê em mais um ou dois sítios. Mas o essencial mantém-se: porque é que a citação mais importante é a menos citada? Porque não foi uma única vez citada em Portugal? Porque não torna a ONU o relatório público?

    João Viegas, colocar um documento online. Tão simples quanto isso.

    Sioux, para sua fúria islamofóbica e para a sua veia sionista eu já perdi a paciência. Para o ler e em boa medida para lhe responder. Para si, a culpa das vergastadas que os escravos levaram foi sempre do seu comportamento. Bem dadas, diga lá se não foram!

  8. Sioux diz:

    «Para si, a culpa das vergastadas que os escravos levaram foi sempre do seu comportamento» Renato

    Francamente.

    A culpa não é do povo palestiniano, mas sim de quem o lidera, obviamente.

    Não sou islamofobico, nem anti-judeu. Sou simplesmente anti-ditadorzecos terroristas.

    V.exa. aparenta ser simplesmente anti-judeu e coloca a ideologia acima dos interesses do povo. E para isso eu é que não tenho paciência. Vergastadas precisavam todos aqueles que se aproveitam do povo para exercer o poder pelo poder, a ideologia pela ideologia, seja ela qual for.

    Os Palestinianos nem sequer podem dizer ao mundo se querem que o Hamas os continue a liderar (rumo ao abismo)… aonde estão as eleições?

    Neste momento, após tantos anos de eleiçoes, podemos afirmar que o Hamas é um ‘governo’ ilegitimo do povo. O povo quer libertar-se das amarras daquela gente cujas ambições são a ideologia e o poder. O povo palestiniano, esse sim, leva vergastadas TODOS OS DIAS por parte do Hamas… ai de quem discorde.

    V. Exa. apoia cada exemplo. Mais, se V.exa. investigar, saberá que em tempos, a disminagem no IRÃO, aquando da guerra Iraque/Irão era coordenado pelo actual lider e sabe como? utilizando crianças iraquinas raptadas. Que moral tem esta gente para falar?

    Eu acho, sinceramente, que v.exa. ainda não se apercebeu que tem vindo a defender monstros humanos…

    Sioux

  9. Sioux diz:

    Mas enfim, digo-lhe, que acho MUITO estranho este relatório…

    Um relatório feito à pressa e que nem sequer espera pelos resultados da investigação Turca. Que coisa estranha. Que não espera pelas conclusões das pessoas designadas pela UN para investigar o incidente.

    É básicamente um relatório politico. Como tal merece ser investigado quem o produziu. Parece que Isarel vai processar CRIMNALMENTE as pessoas que produziram tal relatório.

    Sioux

  10. Renato Teixeira diz:

    Pelo que se está a ver, a investigação turca vai ser muito mais simpática para com os crimes de Israel.

    Mas comente lá Sioux: “WILLFUL KILLING”, o que lhe parece?

    Ezequiel?

    Carmo da Rosa?

    O resto da turba de sionistas?

    (ops… só sobram três…)

  11. Luís Teixeira Neves diz:

    “Parece que Israel vai processar CRIMINALMENTE as pessoas que produziram tal relatório”.
    Que gracinha.

  12. joão viegas diz:

    Renato Teixeira,

    Sim o meu comentario não era sobre isso. A ONU sera criticavel por não ter posto o docuemnto on-line, e provavelmente por muitas outras razões.

    Mas as palavras “com os milhões que tem ao seu dispor” eram escusadas. A ONU não é uma administração rica, é antes uma administração pobre, escandalosamente pobre se atentarmos às suas incumbências, aos seus custos perfeitamente anedoticos para os paises desenvolvidos e à facilidade com que esses mesmos paises que pagam mal e atrasado desatam aos gritos culpando-a por não fazer nada…

  13. ezequiel diz:

    Eu já disse o que penso acerca deste assunto. Israel foi estúpido. Caiu numa emboscada política muito bem montada e fez precisamente o que os organizadores (civis inocentes da mui democrática IHH Turca, claro) anteciparam que fizesse. Israel agiu de forma imbecil. Tragicamente imbecil.

    Alguns reparos:
    um comando naval que pretende o willful killing dos que estão a bordo, lança-se para tal empresa armado apenas com uma pistola e uma paint ball??

    willful killing?

    se o willful killing tivesse sido o objectivo da missão, nem sequer um daqueles “civis inocentes” da IHH teria sobrevivido.

    as imagens mostram tudo.

  14. Leo diz:

    “O relatório da ONU”? O relatório é da missão de inquérito do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

  15. ezequiel diz:

    Renato,

    já agora, devolvo-te uma pergunta:

    Porque é que achas que “a investigação TURCA vai ser muito mais simpática para com os crimes de Israel??”

    Uma outra pergunta: não achas que já é high time do Direito Internacional PUNIR severamente as actividades insidiosas de ONG’s como a IHH Turca???

    Achas que eles são democratas, resistentes, confrontados com um malévolo Império que os oprime bla bla bla….

    Tu um dia vais ter uma surpresa e pêras!!!

  16. Leo diz:

    O relatório da missão de inquérito do Conselho de Direitos Humanos da ONU tem 56 páginas, será apresentado ao Conselho de Direitos Humanos da ONU em 27 e 28 de Setembro e depois dessa apresentação, os três membros da missão darão em 28 de Setembro uma Conferência de Imprensa.

    Há pois que esperar mais uns dias pelo relatório das 56 páginas.

  17. Renato Teixeira diz:

    O que eu gostava de perceber Leo, é quem é que fez o primeiro resumo, e os mecanismos que levam ao praticamente desaparecimento das palavras: “WILLFUL KILLING”.

    Ezequiel, gosto quando lhe dá rebates de realismo: “Israel agiu de forma imbecil. Tragicamente imbecil.”

    Relativamente à Turquia não percebeu, por certo, a ironia da minha afirmação. Espreite a identidade dos assassinados. Pode ser que assim continue a ter rebates.

  18. Leo diz:

    Parece-me que não houve nenhum “primeiro resumo”, pelo menos não encontrei nenhum resumo “oficial” . O relatório foi emitido na Quarta-feira e foi certamente disponibilizado a alguns media e cada um deles resumiu como bem entendeu. Online deve estar apenas daqui a quatro dias.

  19. Sioux diz:

    Imbecil. Claro que a actuação foi imbecil.

    Teria sido mais eficaz ‘avariar’ o motor do barco ou o leme sem sequer lá entrar…

    Numa situação de guerra, qualquer outro país, teria afundado quem quer que tentasse trespassar o bloqueio.

    Sioux

  20. ezequiel diz:

    Todos os que foram mortos pelas IDF eram membros da IHH.

    Estes membros da IHH não embarcaram com os verdadeiros activistas. Embarcaram separadamente, com uma agenda totalmente diferente.

    Dezenas de depoimentos de activistas presentes demonstram que a intenção dos activistas IHH era a de provocar um confronto bélico com a IDF. Esta não era a intenção dos verdadeiros activistas que de um momento para o outro viram a sua agenda ser monopolizada e instrumentalizada pelos radicais que embarcaram separadamente para o Mavi Marmara.

    Israel está a ser julgado como um estado pela comunidade de estados e pelo Direito Internacional.

    A IHH não é um estado. É uma “ONG” com um longo historial jihadi. A IHH, apesar de ter sido considerada uma organização terrorista pelo próprio governo Turco, beneficia (tal como esta organização, ver abaixo) das leis permissivas das democracias liberais. Mobilizar, angariar apoiar e até incitar, etc não são crimes punidos pelo direito internacional.

    Os metodos da IHH são parecidos com os desta organização. Parecidos, apenas. A IHH é infinitamente mais radical. Segundo Jean-Louis Bruguière e Evan Kohlmann do Danish Institute of International Studies (e etc), a IHH prestou assistência logistica e não só a diversos movimentos jihadi globais. Está activa em toda a Europa, da GB à Alemanha. O seu objectivo é muito simples: promover a Sharia como forma de governo.

    a IHH assemelha-se a esta organização.

    http://www.youtube.com/watch?v=NYq6_5GYxBM

    Como é que o Direito Internacional pode punir “ONG’s” como esta?

  21. Renato Teixeira diz:

    Ezequiel, costumava ser um comentador mais cuidado. Está enganado relativamente ao IHH. Aquilo é uma espécie de AMI com cariz islâmico. Inofensivo. Até o Erdogan gosta.

  22. ezequiel diz:

    Renato.

    Todos os “activistas” que foram mortos pela IDF eram membros da IHH que, curiosamente, embarcaram à parte no Mavi Marmara.

    Inumeros testemunhos dos verdadeiros activistas, cujo propósito não era um confronto bélico com israel mas sim um “political statement” demonstram que a troop do IHH tinha algo diferente em mente. Depressa os verdadeiros activistas viram a sua agenda monopolizada e instrumentalizada pelos hooligans que embarcaram à parte. São eles-as, activistas (genuinos), que o afirmam.

    Israel está a ser julgado como um estado pela comunidade de estados e pelo Direito Internacional.

    A IHH, organização que presta apoio logistico(etc) a organizações Jihadi por este mundo fora é uma “ONG”. Não é um estado susceptível de ser julgado. Nada disso. É apenas uma ONG. Coitaditos. Eu penso neles como uma versão pós-moderna da Madre Teresa de Calcultá. Sempre prontos a ajudar os seus Irmãos…Jihadi.

    A IHH está activa em toda a Europa.

    http://www.haaretz.com/misc/article-print-page/french-judge-i-knew-turkish-group-behind-gaza-flotilla-had-terror-ties-in-1996-1.302415?trailingPath=2.169%2C2.216%2C2.217%2C

    http://www.diis.dk/graphics/Publications/WP2006/DIIS%20WP%202006-7.web.pdf

  23. ezequiel diz:

    oops

    pensava que não tinha conseguido publicar o comentário das 15:44

    saiu repetido

  24. ezequiel diz:

    Renato,
    Não insultes a malta da AMI.

  25. ezequiel diz:

    mas tens razão: O Erdogan gosta da IHH.

    A IHH e outras ONG’s islamitas, através das suas extensivas acções políticas e sociais, alargaram substancialmente a base eleitoral do partido (islamista) de Erdogan. A capacidade de mobilização da IHH é um importante recurso do governo de Erdogan.

    O governo turco fez um belo negócio.

  26. Luís Teixeira Neves diz:

    Então se eram terroristas está bem, não é?! Ainda bem que eram terroristas…

  27. ezequiel diz:

    Sim, ainda bem, Luis T Neves. Teria sido uma tragedia infinitamente maior se a IDF tivesse dado cabo de canastro de um verdadeiro activista. Quer que eu chore a morte de gente que anda pelo mundo a apoiar activamente movimentos que pretendem o fim da democracia liberal e a instituicao de um califato na Andalusia…

    tome um xarope e deite-se

  28. Abilio Rosa diz:

    O hassídico Ezequiel está completamente possuido pelo Demónio.

    Isso, mesmo, o Demónio que vem nos livros velhos do «povo eleito»!

    Não diz coisa com coisa.

    Quem viu o filme «O Exorcista», poderá avaliar e compreender o estado lastimável desta pobre alma…

  29. ezequiel diz:

    hoje fui eleito
    foi-me atribuido um papel pelo Sumo Pontifice Abilio

    afinal o gajo nao e’ comuna
    eu nao falo com malta que nao e’ comunista
    tenha Santa Paciencia, Abilio

    com crentes nao da’!!

    as minhas desculpas.

    melhores cumprimentos

  30. paula diz:

    Olá!

    Não sei se o relatório só foi acrescentado depois no site da ONU, mas ele pode ser baixado aqui, em notícia datada de 23 de setembro:

    http://www.un.org/apps/news/story.asp?NewsID=36086&Cr=flotilla&Cr1=

    Encontrei usando palavras chaves mais genéricas na busca, apenas flotilla e israel e analisando os resultados servidos.

    Abraços
    Paula

Os comentários estão fechados.