Perfeito, perfeito… era uma revolução a estalar todos os dias e um anúncio, agora a sério, de um candidato presidencial!

Publicidade retirada do programa da Festa do Avante

Gosto do Avante. Assim. Simplesmente. Ao contrário de todas as outras iniciativas partidárias, ali não há o arrebanhamento típico de um Chão da Lagoa ou de um acampamento de jovens do Bloco de Esquerda. No Avante o movimento é realmente popular. Durante algum tempo deixei de ir por celebrar na concorrência, mas como o Nuno tratou de demonstrar, não posso dizer que tenha sido mal recebido. Confesso que quanto mais me afasto do PCP do ponto de vista ideológico mais me aproximo da ideia da Festa do Avante e não é por esta estar melhor todos os anos. Este, por exemplo, a palavra de ordem que mais se repetiu foi “patriótico”, que segundo os camaradas é a mais-valia do Francisco Lopes relativamente aos candidatos patrióticos contra o patriótico Cavaco Silva.

Não gosto do Avante para ouvir o comício a ou b, mas para pressentir os abafos e os desabafos de quem salta ao som da Carvalhesa ou dos que enchem a cara numa das tascas regionais. Além de rever alguns companheiros de luta (bem… outros nem tanto) do PCP, agrada-me o júbilo do povo de esquerda que de Norte a Sul do país enche a quinta da Atalaia muito além das fronteiras orgânicas do partido. Logo depois dos cortejos do 25 de Abril e do 1º de Maio, este é o terceiro momento do calendário onde tal abstracção, a do povo de esquerda, se concretiza.

Dos recantos mais ortodoxos, do Barreiro a Coimbra, à ecuménica secção internacional (onde paradoxalmente aflui uma quantidade incrível de esquerdistas), quem ali se desloca (por bem) é seguramente gente de esquerda.

Nenhum direitista consequente vai fazer nada ao Avante a não ser que seja um provocador tipo Esteves Cardoso ou um fanfarrão tipo Moita de Deus. Por mais defeitos que os socialistas tenham, incluindo, desta vez sem exemplo, os democráticos, não há história de nenhum que se tenha ido inscrever numa universidade de verão social-democrata ou soirée democrata-cristã só para beber umas jolas, comer uns couratos para morder o ambiente em Matosinhos ou ver como param as modas num concerto de skinheads.

Sobre o Avante há apenas uma coisa certa: todos os anos voltam a terreiro os avantólogos cheios de novas leituras sobre o certame, sendo que quanto mais filosofam menos revelam perceber sobre o assunto. Como acabei de cair nessa armadilha o melhor é mesmo deixar esta posta por aqui, acrescentando apenas os parabéns ao PCP por ao menos fazer uma festa como esta, e a reboque lamentar a escolha e a estratégia na definição do candidato e do caminho presidencial, que não garante sequer moral suficiente para ir a votos na primeira volta das eleições.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

27 respostas a Perfeito, perfeito… era uma revolução a estalar todos os dias e um anúncio, agora a sério, de um candidato presidencial!

  1. LAM diz:

    tu gostas é de conbíbio
    😉

  2. Abilio Rosa diz:

    Quanto à cerveja, para o próximo ano vou fazer lobby para que seja a Sagres.

    Quanto ao candidato à Presidência da República, apoiado pelo Partido Comunista, o camarada Francisco Lopes, é de longe o mais bem preparado para enfrentar a múmia paralítica que é o Cavaco.

    Cavaco está velho, rabujento, já não diz coisa com coisa, está preso a preconceitos e a conceitos da tempo da guerra de 14,etc.

    Os outros – Alegre, Nobre, Moura – ainda não apresentaram uma ideia para o país e para pôr o país no Mapa.

    O Alegre é sempre com aquela treta lirica e poética da I República e toda aquela tralha reaccionária do fado e do faduncho;

    O Nobre pensa que ser presidente da República é distribuir tendas e alimentos;

    O Moura é inenarrável.

    Quem tem juventude, convicção, energia, postura, patriotismo, sentido de Estado, amor a Portugal, defensor do Povo português, principalmente das classes mais desfavorecidas, é indubitavelmente o camarada Francisco Lopes.

    Enquanto Francisco Lopes sairia da Presidência da República com 60 anos (ainda com muita energia e lucidez), os outros sairiam (com excepção do médico Nobre) com quase 80 anos, mais para lá do que para cá.

    Quem vota Francisco Lopes não está a afirmar a sua militância.

    É antes de mais uma atitude de inteligência!

    Pois «salvadores da pátria» temos aí aos pontapés, e todos eles e os seus apoiantes, ao longo destes trinta anos puseram Portugal à beira do precepício.

    E depois digam que eu não avisei!

  3. Renato Teixeira diz:

    LAM, mai nada!

    Abílio Rosa, vejo em toda a sua prosa grande entusiasmo com o candidato. O mesmo, devo dizer-lhe, não notei na festa.

    Assim faço um melting pot do seu comentário para que gritem nas acções de campanha:

    Vota Francisco Lopes. O candidato que tem juventude, convicção, energia, postura, patriotismo, sentido de Estado, amor a Portugal, defensor do Povo português, principalmente das classes mais desfavorecidas!

    Um must mas parece não ser desta que as massas se dirigem para o Palácio de Belém ou a São Bento com a mesma energia com que marcharam ao de Inverno…

  4. Renato, olha que muita gente de direita vai ao Avante pelas mesmas razões que tu. Gostam do convívio, da festa, da partilha. Podem não ter a mesma ideologia, mas isso não os impede de ter o mesmo espírito.

  5. Vicente de Lisboa diz:

    Viva a Festa! Este vosso neo-liberal não perde uma desde que la descobriu, em 2002 se bem me lembra.

    Agora, todos os anos tenho o mesmo problema. Vejo montes de gente a tirar fotos com belas Camaras, mas depois nã vejo as fotos na net. Onde é que las andam a esconder? Flickr? Picasa?

  6. Renato Teixeira diz:

    João André, não estou convencido que seja “muita gente de direita”, muito menos que os poucos que lá vão estejam com o mesmo espírito.

  7. “O Nobre pensa que ser presidente da República é distribuir tendas e alimentos”.

    Escrever uma frase deste calibre sobre Fernando Nobre é uma pura provocação primária anti/tudo, lamentável, o desrespeito para com um homem que troca o sofá pela luta contra a pobreza.

  8. Foi pena, pá. Foi bonita a festa, pá, Renato.

  9. Renato Teixeira diz:

    Ora José Manuel Faria, estou certo que conseguirá bons resumos sobre o Alegre. O Abílio Rosa está farto de dizer que não papa grupos e que diz o que tem a dizer sem grandes complexificações.
    Se é redutora, a frase e a ideia, cada vez que ouço Fernando Nobre desde que é candidato sem dúvida que o traço predominante é a bonomia humanitária, que como sabemos é estupidamente inconsequente quando estamos a falar de uma eleição para a presidência da República e leva a que se defenda um governo de unidade nacional entre outros disparates com que nos vem habituando.

  10. augusto diz:

    Abilio Rosa o senhor até votava no macaco Adriano, se essa fosse a escolha da Comissão Politica do PCP, e certamente encontraria no macaco , grandes qualidades de lucidez e energia.

    Renato Teixeira tem a certeza que todos os que vão á Festa do Avante pagam bilhete….

    E que não há excursões gratuitas, para como diz , arrebanhar pessoas para a festa?

    É sempre agradável ler as suas certezas, o pior é que pode estar bem enganado, e lá fica com mais uma desilusão.

  11. António Figueira diz:

    Se eu bem percebo, o Augusto tem conhecimento de um filão de EP’s gratuitas para a Festa do Avante, para efeitos de arrebanhamento! Grande tarado que este gajo me saiu…

  12. Renato Teixeira diz:

    Acho que é efeito colateral de ter que ir votar no “macaco Adriano” que o Louçã escolheu para as presidenciais. 🙂

  13. José Manuel Vieira diz:

    Mais um renovador ?

  14. Bjorn Pal diz:

    A Revolução vai ser generosamente patrocinada.
    (terá percentagem das vendas?)

  15. Renato Teixeira diz:

    Claro Tiago. No contexto percebe-se de quem falo. Deveria ter dito hammerskins ou outra dessas seitas mas prefiro manter-me na ignorância sobre essa espécie de gente.

    José Manuel Vieira, renovação era o que já fazia falta ao BE e ao PCP. Mas desengane-se, estou longe de gostar de comer comida mastigada.

    Bjorn Pal, a revolução vai nacionalizar a Super Bock. Este é o cartaz para o PREC do amanhã que canta.

  16. Abilio Rosa diz:

    Oh mestre «Augusto»:

    Francisco Lopes foi eleito democráticamente dentro do seio do seu próprio partido, para se candidar à Presidência da República. Não foi imposto nem caiu do Céu!

    Ao contrário do BE, que não escolheu nada nem ninguém, e aceitou como inspiração divina a escolha do Pregador-Geral da República, o Prof. Louçã, que vos comunicou por «sms» que o candidato que o BE ia apoiar era o bardo Alegre, o mesmo que é apoiado pelo Inginheiro de Domingo à Tarde…

    Valeu, mestre Augusto?

  17. Caro Renato, eu assino sempre. Não sou o sr. das 16:12h.

  18. Renato Teixeira diz:

    José Manuel Faria desculpe a gralha do nome. Vou reformular. Cumps.

  19. Renato Teixeira diz:

    A montagem é sua LAM? Pode ser postada?

  20. Pingback: cinco dias » A reboque do entusiasmo revolucionário da Super Bock

  21. Renato, admito que não sejam de facto muitos (lapso teclae, se quisermos), mas há de facto umas quantas pessoas de direita que vão à festa e que lá se divertem com um bom espírito de camaradagem. Sei disso porque partilhei com alguns muitos momentos. A início há de facto uma espécie de estranheza mas o espírito rapidamente os conquista. E voltam no ano seguinte, sem que tenham que ser convencidos.

    Talvez não sejam muitos, mas há-os.

  22. Renato Teixeira diz:

    Eu sei que os há João André, e se reparar a posta acaba por ser em boa parte sobre eles. Confirma o perfil ou nenhum dos exemplos que conhece é provocador ou fanfarrão?

  23. Obviamente que conheço os provocadores e fanfarrões, mas (pensei que isso estivesse claro no meu comentário) também há quem não o seja. Que vai à Festa para dela fazer parte. Achas isso assim tão estranho?

  24. Renato Teixeira diz:

    Ora tirando os fanfarrões e os provocadores da absoluta minoria de gajos e gajas de direita que vão ao Avante, sobram quantos? Concedo portanto que haverá meia-dúzia de direitistas impecáveis que vão à festa para fazer parte dela.

Os comentários estão fechados.