Como o seitan pode parecer tudo sem saber a nada

O primeiro texto que li de Fabian Figueiredo começava assim:

O Tiago Mota Saraiva é daqueles que se pudesse teria feito campanha eleitoral pelo Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte e consequentemente por KimYong-Il

Hoje, a partir deste post do Renato, deparei-me com o segundo texto do mesmo autor. Começava assim:

O post do Rafael Fortes no 5 dias, abre um debate e uma reflexão interessante. Por um lado, dispensou a crítica gratuita e tendencialmente corriqueira – ao qual o 5 dias nos tem habituado, neste tema – por outro, diz-nos muito, sobre o que é o PCP, e como era construtivo para a Esquerda portuguesa, não ser (em muitos aspectos) o que ainda é

Entretanto reparo que Fabian respondeu ao Rafael tendo ficado sentido com a sua formulação contundente e clara preferindo, desta feita, lucubrar sob a capa de fiel arauto da seriedade. Sobre o seu último post confesso-me completamente baralhado, pois o que o Fabian escreve não parece fazer grande sentido à luz da acção política que pretende defender. De qualquer forma fico com a sensação que há cada vez mais pessoas no BE, que assumem a acção política do seu partido como se tivessem a comer seitan – a uns sabe a carne, a outros sabe a peixe, a outros a feijão e pode ser doce ou salgado. O que escrevem nos blogues é um esforço de auto-convencimento.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

4 Responses to Como o seitan pode parecer tudo sem saber a nada

  1. LM r diz:

    Mas tanta atenção a esse fulano, porquê?

  2. Tiago Mota Saraiva diz:

    É a doença infantil de gajos que têm dificuldade em ler blogues de direita.

  3. Renato Teixeira diz:

    O Seitan come-se “com todos”?

  4. Pingback: cinco dias » Bloco de Esquerda, para onde vais?

Os comentários estão fechados.