Caro Miguel Serras Pereira…

Retomando uma nossa antiga conversa, caríssimo, quanto ao Mahler, e falando nós da Sexta, fique sabendo que eu prefiro sempre a leitura de Abbado à de Kubelik. Por outro lado, a Nona do Karajan deixa-me um pouco frio. Já o Bernstein, sempre psicologicamente inconstante, lembre-se do famoso late style do americano, é talvez o que melhor entende este seu/nosso problema.

(PS: E quanto à outra parte da nossa discussão, a cena que se diz Estaline ter feito aquando da estreia de “Lady Macbeth de Mtsensk”, isso obviamente foi mentira. Documente-se homem, documente-se.)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

10 respostas a Caro Miguel Serras Pereira…

  1. Abilio Rosa diz:

    Caro MSP:

    O camarada Abílio dedica a V.Exª. a Valsa nrº 2 de Dimitri Shotaskovich, um extraordinário e prodigioso compositor do período áureo da União Soviética:

    http://www.youtube.com/watch?v=tSBRrvzTpGw&feature=related

    Relaxe homem, relaxe…

  2. augusto diz:

    Sabendo o que este compositor PENOU assim como Prokofiev , é sempre interessante estes tiros no pé , que dão os apoiantes do PCP.

    Talvez com um pouco mais de informação e de sizo , pudessem sugerir antes , um desses compositores de quinto plano, totalmente obedientes ás directiva do PCUS e do chamado realismo socialista, e hoje totalmente esquecidos…..

  3. Abilio Rosa diz:

    Caro Augusto:

    Também tenho para você uma linda valsa, do eterno Aram Khatchaturian:

    http://www.youtube.com/watch?v=KNSDJoSNH-g&feature=related

    Relaxe homem, relaxe…

  4. augusto diz:

    E eu para si aconselho a ouvir do Rachmaninoff a Rapsódia sobre um tema de Paganini, pelo próprio, pelo Pletnev , até pelo Vladimir Ashkenazy.

    E relaxe…..

  5. Todos os compositores que vc. bostaram acima, e as respectivas músicas/sinfonias/óperas são algo de extraordinário e fora do comum.

    Depois cada maluco tem as suas manias, e há coisas que não ligam umas com as outras.

    P. ex, não preciso de ser ‘facho’ para axar que o Herbert von K. e a B.Ph.O eram o máximo, não preciso de ser comunista para gostar do ‘Shosta’ ou do ‘Katcha’ e etc.

    E há outra gente muito interessante “in between”.

    Depois há gostos e gostos.
    Sempre gostei do Abbado, mas posso elencar um monte de italianos que axo dispensáveis.

    Sempre gostei do Daniel Baremboim, mas sempre axei que a orquestra dele era uma boa m#$%&a.

    Por aí vai, por aí fica, fazer o quê ??

    🙂

  6. Já agora… a Waltraud (que por acaso até já cantou isto no São Carlos há uns tempos, mas claro que o maestro não era o Barenboim…)
    (é a morte de Isolda/Isolde/Iseult…)

    Para os menos versados em alemão, Liebestodt significa “morte por amor”, assim escusam de ir ao google…

    🙂

  7. Fahou-me a porcaria do lnikinho…

    Aí vai ele:

  8. Manuel Monteiro diz:

    Eu, para todos relaxarem, sugiro um malhão…
    Manuel Monteiro

  9. E já agora que estamos nisto, uma tipa e um tipo que além de serem geniais até gostam de ‘nóizinhos’ e tudo…

  10. tanta cultura e finura, cá pra mim o nó górdio da silence e da tendressi esta no moderneirismo dos bons dos ensimesmados.

Os comentários estão fechados.