A ressurgência de um insurgente

[E agora vamos aos excedentes de Rui Oliveira e claro, da família Pahlavi.]

Ao que parece não foi só Washington e Tel Aviv a ficar com estados de espírito paradoxais e com os sonos trocados. A prosa de Rui Oliveira é reveladora. Atente-se na seguinte passagem: “Apesar de não se poder menosprezar a ameaça que o Irão representa para a paz na região, também não há qualquer motivo para entrar em pânico, pois o Irão continua a ser, por enquanto, um tigre de papel.”

Impõe-se a pergunta: Ao dizer que “não se pode menosprezar a ameaça que o Irão representa” na mesma frase em que se declara que a República Islâmica é “um tigre de papel” é ou não “motivo para entrar em pânico”?

O que Rui Oliveira quer tirar do fundo do mar é o amor à liberdadezinha do costume:

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

7 Respostas a A ressurgência de um insurgente

  1. Em ’69 (séculos passados) estive em Paris , pela 1ª vez, e havia ‘éne’ exilados iranianos por lá.

    Parece que esse senhor da foto tinha uma polícia política com a qual a PIDE empalideceria em comparação, e que aleijava mesmo as pessoas, quando não era pior…

    :-(

  2. Diogo diz:

    «o Irão continua a ser, por enquanto, um tigre de papel.»

    Comentário de Renato Teixeira
    Data: 23 de Agosto de 2010, 14:48

    Diogo, Irão e o Pentágono? Em conluio? Não serão filmes a mais?

    Talvez não. O complexo militar-industrial americano precisa sempre de potenciais inimigos para poder continuar a produzir porta-aviões, jactos, bombas, etc. O Irão tem cumprido bem esse papel (tal como a Coreia do Norte).

    Abraço

  3. Carlos Carapeto diz:

    Renato; qual o conselho que dava a estes dois países ou àqueles que se sentem ameaçados por o intervencionismo Americano? Pshiu, calados, e não se mexam. Era?

  4. Pingback: cinco dias » Perceber o Irão além da lapidação, só um bocadinho. Combater a lapidação além do Irão, também só um bocadinho.

  5. Pingback: E agora fomos aos excedentes da Alemanha nazi (2) « O Insurgente

  6. Renato Teixeira diz:

    A que dois países se refere Carlos?

    E o que ganha o Irão com isso? Continuo na minha. Muitos filmes. Eu só vejo o mais clássico imperialismo. Sem mais conspirações do que isso já comporta.

  7. PPP diz:

    Claro. Mas isso é ver mesmo muito pouco.

Os comentários estão fechados