Tentáculos esquisitos

Mapa com colonatos e territórios de administração palestiniana (à esquerda, em cima, Cisjordânia): pedaços soltos, despegados, oferecidos por Israel para que os outros assim formem um país. (Quem o quer?)

Comentário de Magen (??) ao meu post “E porque é que Israel ‘tem’ ou ‘deve’ existir?”

Le nabot Carlos Vidal, qui ne connait visiblement rien à la question (ni historique ni archéologique ) retrouve les accents de Torquemada de catholique antijuif ignorant.

(…)

“Le «droit à exister», d’Israël, n’a pas besoin de votre accord , ni de celui de personne .

(…)

Je vais vous dire une chose très importante, si le monde , par folie , tentait de poser “radicalement” cette question, les temps ayant changé, les armes d’Israël poseront radicalement l’avenir de l’humanité , et je serait le premier candidat pour presser le bouton rouge.

Mon pauvre Carlos, vous êtes un lourd abruti au front bas, regardant fixement votre haine ancestrale , maquillée en “idée” .

Entretanto no blogue Philosémitisme:

“L’histoire universelle jugera cette anormalité [Israël] comme un événement macabre et une faille “humaine” de l’espèce humaine, parce que, au fond, errer est humain.” (Carlos Vidal, intellectuel, professeur et critique d’art portugais)

(…)

5dias.net “E porque é que Israel “tem” ou “deve” existir?” (Pourquoi donc Israël ‘doit’ ou ‘devrait’ exister ?) par Carlos Vidal.  Extraits:

[Etc…]

Agora a sério: quem é esta gente? Chamo a atenção para este blogue de estranho título Philosémitisme, pois é um lugar estranho: não há um único argumento, uma única discussão sobre este tema que aqui, no 5dias, tem ocupado muitos de nós e nossos leitores. Este “Philosémitisme” é um lugar única e exclusivamente de delação: são aqui citados textos e nomeados autores europeus críticos de Israel, sem discussão. Vale a visita. Um espaço sintomático. Sem argumentos.

Este artigo foi publicado em cinco dias and tagged . Bookmark the permalink.

11 Responses to Tentáculos esquisitos

  1. Abílio Rosa diz:

    Realmente, e fazendo fé no mapa que o Prof. Carlos Vidal nos faculta, o que os israelitas querem «oferecer» aos palestinianos não é um país, mas sim um «queijo suiço», todo esburacado e impróprio para consumo.

    Não sou profeta nem sou vidente mas o povo judaico muito vai sofrer no futuro por causa desta geração extremista que lidera o Estado de Israel.

    E vai sofrer por onde menos se espera, nos próprios EUA.

    Não devemos esquecer que a Alemanha, antes da ascenção do nazismo, era, talvez, a nação do mundo mais culta e com maior poderio cientifico e tecnológico, onde os próprios judeus estavam bem integrados e também faziam parte da élite económica e cultural.

    Certamente houve qualquer coisa que deu o «click», e não foi só o ancestral anti-semitismo dos alemães e dos austríacos que sempre fizeram parte do ADN destes….

  2. miguel dias diz:

    Esta gente, perguntas, vai-te furar os pneus senão te pões a pau.
    Desmarca-te, se é que vais a tempo.

  3. Estou farto desses nacional-sionistas…construir um estado à força de baionetas, expulsando os habitantes sob a asa protectora dos states…cobardolas!

    Agora a bíblia é uma caderneta predial?

  4. Carlos Vidal diz:

    miguel,

    Cá os espero, cá os espero, grande arquitecto.
    (O que se passa?, apareces por estas bandas só de 3 em 3 meses…)

  5. miguel dias diz:

    (estou em África a reconstruir um país, pá, demasiado atarefado para comentar muitas vírgulas…)
    aquele abraço

  6. Délation? Ce site relaye et diffuse des opinions comme les vôtres. Hélas en Europe majoritairement obsessionnelles et négatives sur les Juifs. Rappelons que l’Europe est le plus grand cimetière de Juifs dans le monde.

    Des opinions comme les vôtres tombent par milliers quotidiennement sur la toile. Pleines de son, de furie, de complots et de conspirations…

    Bien entendu – et Philosémitisme leur rend hommage – tout le monde en Europe, loin de là, ne pense comme vous.

    Charles-Joseph, Prince de Ligne, écrivait en 1801 “Une colère de 1800 ans me paraît avoir duré longtemps assez”. Visiblement, tout le monde n’est pas Prince de Ligne.

  7. Ricciardi diz:

    Um pouco de história recente, para os mais esquecidos:

    «Ariel Sharon foi escolhido como novo primeiro-ministro em 2001 durante uma eleição especial. Durante seu mandato, Sharon realizou seu plano de retirada unilateral da Faixa de Gaza e também liderou a construção da barreira israelita da Cisjordânia, para dificultar os atentados terroristas de homens-bombas palestinos.

    Com a eleição de Ariel Sharon, Israel passou a negar qualquer negociação com os palestinos sem antes a cessação dos frequentes ataques terroristas aos civis israelitas.

    Em 2004, Yasser Arafat morre. A Autoridade Palestina passa ao eleito Mahmud Abbas.

    Em 2005, Israel evacuou e destrói de forma unilateral os assentamentos Judeus e os postos militares avançados da Faixa de Gaza e do norte da Cisjordânia (Plano de retirada unilateral de Israel).

    Entretanto, apesar de ter conquistado soberania sobre Gaza (mas não sobre a Cisjordânia), os palestinos entraram num conflito interno que ocasionou a tomada de poder pelo Hamas da Faixa de Gaza e o recrudescimento dos ataques com mísseis caseiros contra Israel a partir desta região, paralisando novamente as conversações de paz.

    Em 2006 o Hamas, grupo terrorista fundamentalista que não reconhece a existência de Israel, é eleito democraticamente através de voto popular e obtem a maioria das cadeiras no Parlamento Palestino.

    No final de Dezembro de 2008, o cessar-fogo entre o Hamas e Israel acabou após foguetes serem disparados a partir da Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas. Israel respondeu com uma série de intensos ataques aéreos.»

    RB

  8. Semeador de Favas diz:

    Se fosse a si, Carlos Vidal, adquiria o mais rapidamente possível -se é que não tem ainda – um revólver, e passava a dormir com ele debaixo do travesseiro (todas as noites) como fazia o Rigaut.
    Há-os em conta no mercado negro. Mas deixe-me que lhe aconselhe algo mais irónico( e ligeiramente + caro): uma Uzi. Os amigos da Mossad que lhe fizessem a visita, ficariam surpreendidos por serem recebidos com uma rajada de tiros de fabrico israelita.
    Por certo, os «filosemitas» do tal blog, fariam imediatamente um post a demonstrar que os agentes tinham ido a sua casa apenas para lhe aconchegar as mantas sendo recebidos com inesperada violência.

  9. Justiniano diz:

    miguel dias, viva!!
    realmente, o nosso caro Vidal tem razão, e essa desculpa do trabalho, pá,… francamente!! Um grande abraço!!

    Caro Vidal, realmente, o nosso caro miguel dias tem razão! Essa gente é meio atravessada da cabeça e marca um tipo assim à laia da carraça! Mas, por outro lado, é a internacionalização!
    Um bem haja,

  10. isto sim, o vero combate de blogs.
    O West Bank a quem o trabalha, fora com os proprietários.
    Boa Michael, estás a reconstruir a África do Sul? Parece que o país do arco-iris está a afundar-se a toda a força, qual Titanic de argumentos semelhantes aos dos palestinianos.
    Força Michael, parte aí o pão de milho.

  11. miguel dias diz:

    viva Justiniano. Pois é, o nosso amigo é capaz de ter arranjado um trinta e um da armada. Um grande bem haja!

Os comentários estão fechados.