Descubra as diferenças

A mesma responsável sindical afirma sobre o Pacto de Estabilidade e Crescimento: «[…] este pacto é um “colete-de-forças” e […] o Banco Central Europeu e a maior parte dos governos nacionais parecem ter-se esquecido da componente crescimento do pacto. Ora, a Europa vive uma fase de desaceleração do seu crescimento económico e os seus Estados membros estão impossibilitados de utilizar outros mecanismos, como mexer na moeda, pelo que há que flexibilizar a interpretação de algumas áreas do Pacto de Estabilidade e Crescimento[….]».

(…)

Quem expôs estas preocupações – em 5.10.2003 – foi a actual ministra do trabalho do Governo Sócrates, Helena André. Exactamente a mesma que, sete anos passados, considera que uma ainda maior redução dos apoios aos desempregados é forma de «incentivar o seu regresso ao mercado de trabalho».
A mesma que, perante a gigantesca manifestação de 29 de Maio, veio afirmar que «o que o país precisa é de mais concertação e de menos contestação», ou seja, que os trabalhadores e o povo deveriam comer e calar o PEC concertado entre PS e PSD.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

1 Response to Descubra as diferenças

  1. Abílio Rosa diz:

    Tudo gentinha sem espinha dorsal. Sem ideias. Sem convicções.

    A história recente da politica portuguesa nestas últimas três décadas está recheada com as personagens mais mirabolantes, traidoras e asquerosas.

    O que dizem hoje, negam amanhã.

    O que defendiam ontem; renegam hoje.

    Por um prato de lentilhas vendem os interesses superiores da nação e dos trabalhadores aos interesses das potências estrangeiras.

    Desmantelaram o tecido produtivo nacional, desde as pescas, a agricultura, a indústria, a marinha mercante, etc. a troco de subsídios de curto prazo e esmolas «comunitárias» que humilham qualquer povo soberano.

    Com os «bons ofícios» desta gente – muitos deles renegados do PCP, oriundos da extrema-esquerda maoista e dos aparelhos dos partidos do centrão «sucialista» – esta valorosa nação de 900 anos encontra-se na miséria e à mercê dos banqueiros especuladores.

    Mas não se admirem se esta gentinha vier a ser condecorada num qualquer 10 de Junho…

    Em Portugal, é assim mesmo. O crime compensa.

Os comentários estão fechados.