A inteligência contra a ignorância

A inteligência social-democrata de Jorge Almeida Fernandes contra a ignorância sionista de Ferreira Fernandes.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

6 Responses to A inteligência contra a ignorância

  1. O título do artigo de opinião de Yossi Sarid no Haaretz é interessante, mas peca por defeito: “Sete idiotas no governo” esquece-se que há, pelo menos um , no Diário de Notícias.

  2. Renato Teixeira diz:

    Para Ferreira Fernandes ser um idiota era preciso que tivesse ideias. Eu diria que é apenas uma caixa de ressonância como tão bem explicaste nas tuas últimas postas.

  3. Caro Renato,
    Eu sou dos que querem um mundo outro, e com alguma facilidade fico frustrado com este, porque nele habitam muitos, repito muitissimos Ferreiras e tantissimos Fernades. Que fazer? Ser dialéctico nos pensares, nos dizeres, nos fazeres, nos…., percebe? É que antes de se removerem as barreiras naturais que tapam os horizontes da nossa crença, há que desentupir a passagem obstruida pela presença dos capazes do embuste. Os tais F.F. que se alimentam do que produzem, ou que recitam de olhos fechados? Estamos apenas no princípio do processo, ou estarei enganado?

  4. AP diz:

    Já o Jorge Almeida Fernandes apresenta, até à data, a análise mais interessante nos media oficiais e com a qual concordo quase na totalidade. Peca pela abordagem de pendor paternalista e pró-israelita, levando-o a terminar com um “só o Hamas ganhou a aposta” nitidamente exagerado, o que o levou a descurar a capitalização da Turquia neste processo (precisamente após os acordos com o Irão!), apresentando, vá-se lá saber como, a ideia que a Turquia sai a perder com esta última barbaridade Israelita.

  5. Abílio Rosa diz:

    Esse Ferreira Fernandes é um servo de Deus.

    Um antigo SUV armado ao pingarelho.

    Um socretino da pior espécie. Um sabujo. Um «judeu»!

  6. Renato Teixeira diz:

    José Luis Moreira dos Santos, não está nada enganado. Está dramaticamente certo.

    AP, ibidem ibidem! E o melhor de tudo é a sua última frase: “Todos perderam, só o Hamas ganhou a aposta.”

    Abílio Rosa, sabujo. De todas, a que melhor se aplica. Inacreditável.

Os comentários estão fechados.