O provocador de serviço

João Proença está imparável nas provocações. Depois da tentativa da CGTP em esperar pela sempre atrasada UGT – na minha opinião um erro estratégico, e provavelmente à saída da Comissão Nacional do PS que declarou apoio a Alegre (a Lusa omite onde foram recolhidas estas declarações), Proença tenta-se barricar com os trabalhadores sindicalizados na UGT, dentro do Largo do Rato. Veremos se consegue.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.