“100 + 1 Intelectuais contra o PEC”: uma tomada de posição URGENTE

100+1 intelectuais contra o PEC

HOJE, quinta-feira, 27 de Maio, às 17h30, compareça ao acto público de apresentação desta Posição Colectiva contra o PEC, junto às escadarias da Assembleia da República.

É muitíssimo importante a sua presença.

Consultar o texto, a convocatória, os subscritores (uma lista que poderá e deverá o leitor ampliar) no blogue:

100mais1contraopec.blogspot.com

100 + 1 subscritores iniciais – Ler na página seguinte:

 

Abel Neves

Dramaturgo

Abílio Fernandes

Economista

Albertino Monteiro

Músico

Alcino Soutinho

Arquitecto

Alfredo Maia

Jornalista

Álvaro Siza

Arquitecto

Amândio Valente

Professor

Ana Cecília Simões

Jurista

André Levy

Biólogo

António Avelãs Nunes

Professor Catedrático Jubilado

António Cartaxo

Músico e Rádio

António Luís Carlos

arqueólogo

António de Paula Campos

Médico

António Jara

Médico

António Leitão

Médico

António M. Nunes dos Santos

Professor Universitário

António Revez

Actor e Encenador

Armanda Carvalho

Directora de Som

Armando Silva Carvalho

Poeta e Romancista

Augusto Flor

Antropólogo, Investigador e Presidente da Conf. Portuguesa das Colectividades

Carla Santos Ribeiro

Jornalista

Carlos Antunes

Arquitecto

Carlos Roxo

Arquitecto

Carlos Vidal

Artista Plástico e Professor da Faculdade de Belas-Artes de Lisboa

Carmen Santos

Actriz

Catarina Morais

Economista

Catarina Pé-Curto

Artista Plástica

Cecília Cavaca 

Arquitecta

Cláudia Dias

Bailarina e Coreógrafa

Claudina A. Marques Rodrigues

Professora Universitária

Daniel Ricardo

Jornalista

Deolinda Machado

Professora

Desirée Pedro

Arquitecta

Domingos Lobo

Escritor

Eduardo Chitas

Professor Universitário

Eugénio Rosa

Economista

Fernanda Lapa

Actriz, Encenadora e Professora Universitária

Fernando Correia

Professor Universitário

Fernando Jorge

Actor

Fernando Marques

Economista

Fernando Martinho

Médico, Hospitais da Universidade de Coimbra

Filipe Diniz

Arquitecto

Francisco José Paixão

Museólogo

Francisco Melo

Editor

Francisco Santos

Professor

Francisco Silva

Engenheiro de Telecomunicações

Gastão Cruz

Poeta, Crítico Literário e Encenador

Gisela da Conceição

Filósofa

Guilherme da Fonseca

Ex-Juíz do Tribunal Constitucional

Helena Serôdio

Professora Universitária

Hernâni Resende

Historiador

Hugo Capote

Médico Cirurgião

Jaime Ferreira

Professor Catedrático Jubilado

João Valente Aguiar

Sociólogo

João Bizarro

Jornalista

João Freitas Branco

Filósofo

João Lucas

Músico

João Luís Lisboa

Professor Universitário

João Maria André

Professor Catedrático, Dramaturgo e Encenador

João Onofre

Artista plástico

Joana Villaverde

Artista Plástica

Jorge Feliciano

Escritor para teatro e Encenador

Jorge Leite

Professor Universitário Jubilado

Jorge Pinheiro

Pintor

Jorge Seabra

Médico Pediatra

Jorge Veiga

Professor Catedrático Jubilado

José António Gomes

Professor Universitário e Escritor

José Barata-Moura

Professor Universitário

José Carlos Oliveira

Conservador de Museus

José Casanova

Jornalista e Escritor

José Croca

Físico e Investigador

José Filipe Murteira

Professor

José Manuel Jara

Médico

José Viale Moutinho

Escritor

José Oliveira

Editor

José Paulo Gascão

Editor

José Peixoto

Actor e Encenador

José Robert

Maestro

José Russo

Actor e Encenador- Director do CENDREV

Laura Soutinho 

Galerista

Leonel Borrela

Artista Plástico

Leonor Moniz Pereira

Professora Universitária da Faculdade de Motricidade Humana

Luís Alfaro Cardoso

Investigador Científico e Presidente do Instituto de Investigação Científica e Tropical

Luís Francisco Carvalho

Economista e Professor Universitário

Luisa Mota

Bióloga

Luísa Veiga

Professora Aposentada do Ensino Politécnico

Manuel Augusto Araújo

Arquitecto

Manuel Coelho

Economista

Manuel Freire

Cantautor

Manuel Guerra

Professor Ensino Politécnico Aposentado, Encenador

Manuel Gusmão

Poeta e Ensaísta

Manuel Loff

Historiador

Manuel Lousã Henriques

Médico Psiquiatra

Manuel Pires da Rocha

Músico

Manuel Portugal

Jornalista

Manuel Ribeiro da Silva

Físico

Maria do Céu Guerra

Actriz

Maria Velho da Costa

Escritora

Mariana Avelãs

Tradutora

Mário de Carvalho

Escritor

Mário Nogueira

Professor

Modesto Navarro

Escritor

Nádia Bastos

Professora e Artista Plástica

Nozes Pires

Professor

Nuno Figueiredo

Músico

Nuno Góis

Actor

Nuno Nunes

Sociólogo

Nuno Pedrosa

Artista Plástico

Nuno Ramos de Almeida

Jornalista

Octávio Teixeira

Economista

Paulo Martins

Bolseiro de Investigação Científica

Paulo Martins

Investigador

Paulo Monteiro

Autor de Banda Desenhada

Paulo Ribeiro

Cantor e compositor

Pedro Carvalho

Economista

Pedro Maia

Filósofo

Pedro Tadeu

Jornalista

Raquel Bulha

Realizadora de Rádio

Rita Pais

Coordenadora Editorial

Rosa Martelo

Professora Universitária e Ensaísta

Ruben de Carvalho

Jornalista

Rui Rosa

Professor Universitário

Samuel

Músico

Sérgio Ribeiro

Economista

Sérgio Vinagre

médico

Silvestre Lacerda

Historiador

Susana Correia

Arqueóloga

Susana de Sousa Dias

Realizadora

Tânia Resende

Professora Universitária

Telo Faria

Médico

Teresa Villaverde Cabral

Cineasta

Tiago Cunha

Economista

Tiago Mota Saraiva

Arquitecto

Urbano Tavares Rodrigues

Escritor

Valdemar Cadinha

Economista

Valdemar Madureira

Economista

Virgílio Domingues

Artista Plástico

Zeferino Coelho

Editor

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

16 Responses to “100 + 1 Intelectuais contra o PEC”: uma tomada de posição URGENTE

  1. xatoo diz:

    olha o Zeferino Coelho!
    acho que lhe deves perguntar porque é que ele ainda não abandonou a Leya
    quanto ao PEC, vão barafustando contra este, porque lá para o fim das férias ainda virá o PEC III, ainda mais agravado

  2. Vanessa diz:

    Todos estes nomes são pessoas ligadas ao PCP, não é a forma ideal, de se lançar uma petição , que se quer o mais abrangente possível.

  3. Carlos Vidal diz:

    cara Vanessa,
    estes nomes não são ligados ao PCP, por vezes apoiam movimentos, grupos e partidos diferentes – terá razão se os considerar à esquerda do PS, mais não poderá dizer.

    Amigo xatoo,
    deixe estar o Zeferino e Leya. Não sei bem onde quer chegar.
    Eu (posso dar este exemplo?) já publiquei ensaio num livro colectivo do capitalistíssimo MIT Press (“Over Here: International Perspectives on Art and Culture”), e ainda estou vivo.
    Abraço amigo. CV

  4. Carlos Vidal diz:

    Quanto ao PEC III, tem toda a razão.
    Entretanto, cá estaremos – nós dois e outros, do mesmo lado, estou certo.

  5. Isabel Maria Logos Marota diz:

    Muito boa tarde exmas Senhoras e exmos. Senhores, será que eu como senhora das limpazas também poderia ter participado nestes protesto? Como costumo pensar muito durante o tempo em que desempenho a minha função, deduzo (com s ou com z? nunca sei estas coisas) que vossas Senhorias não tivessem nada contra a minha presença e participação muito activa. Se assim for o caso, eu gostaria de partecipar no próximo protesto. Eu consigo gritar muito alto, sei fazer muito barulho, assim as senhoras e senhores, não necessitavam de fazer escândalo porque eu gritava por todos. Anciosa aguardo a vossa decisão – um abração daqueles fortes e beijinhos – I. Marota

  6. Jaime Barbosa diz:

    Tenho 46 anos de idade, desempregado de momento (pelos vistos por tempo indeterminado), tenho vindo ao longo dos anos pós 25 de Abril de 74, a presenciar um “miasma” politico-economico a sobreviver parasitáriamente na sociedade portuguesa. Aos poucos e poucos têm mudado silenciosamente e com bastante paciência as Leis e as conquistas de Abril. Vemos que as pessoas honestas e trabalhadoras, que sobrevivem com dificuldades do seu trabalho cada vez mais “escravo”, sem conseguir evoluir ecomicamente ao longo da sua vida de trabalho serem chamados de “BURROS”, e os desonestos, especuladores, que enriquecem facil e rápidamente nos meandros desta sociedade corrupta cada vez mais, serem chamados de “ESPERTOS”, não de ladrões, nem criminosos, como deveriam ser tratados, mas admirados e enaltecidos por tais actos.
    Os principios morais pelos quais fui educado agora são os errados (?), aquilo que me ensinaram a desprezar e condenar é agora o certo (?).
    Este P.E.C., não passa de mais um avanço no sentido errado da evolução humana. Sinto-me envergonhado da minha impotencia perante tal degradação social, politica e economica.
    Não serão com certeza estas minhas palavras que mudarão a direcção da progressão do “MIASMA PARASITÁRIO” que se instalou, mas que sirva pelo menos á reflecção de quem por ventura as venha a ler.
    Sou completamente contra as medidas tomadas e são perfeitamente contrarias ao interesse da sociedade humana. Não são a única solução como nos querem fazer crer, mas sim o contrário do deveremos fazer para melhorar o País, a Europa e o Mundo em que vivemos.
    Deixo estas tristes linhas, esritas não por um licenciado ou catedrático, pois não é necessário se-lo para ver o que se passa, mas por “PEDREIRO LIVRE” que por acaso é escriturário.

  7. Senhor Jaime Barbosa, visite o meu blog por favor! clicar aqui

  8. Pedro Penilo diz:

    Isabel,

    Está a insistir num logro desnecessário.

    Os trabalhadores intelectuais não são pessoas “finas”, nem “especiais”, nem “super-inteligentes”. São trabalhadores que têm um trabalho com características específicas, tão necessário como todo o outro trabalho é.

    É errado subestimar a importância deste grupo de trabalhadores, a pretexto de um qualquer complexo sem razão. E a sociedade portuguesa está carregadinha de complexos anti-intelectuais de raiz fascista (que o fascismo cultivou, e a direita mais tacanha prossegue).

    Em última instância, este grupo de trabalhadores precisa de se organizar tal como todos os outros. Se o Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Doméstico ( http://www.stad.pt ), sindicato de grandes tradições, organizar uma acção de protesto própria, não me vou pôr a barafustar.

    Não sobram formas de nos encontrarmos todos na luta. Se isso não lhe causar nojo.

  9. Daniel Gonçalves diz:

    Sr. Pedro Penilo: “A sociedade portuguesa está carregadinha de complexos anti-intelectuais de raiz facista” NÃO É VERDADE.
    Temos de ter em atenção quando se emprega a palavra intelectual, ao PCP só lhe interessa os “intelectuais” que estão ao seu serviço, os “idiotas úteis”; na minha opinião de facto a sociedade portuguesa está é carregada de “falsos intelectuais” (como muitos que aparecem nesta lista) que se arrogam a tecer comentários (sim não passa disso o que sai das suas mentes) sem qualquer profundidade cultural ou sabedoria.
    Reparo que aparecem nesta lista médicos, engenheiros, músicos, realizadores de som????, ora antigamente um “intelectual” era alguém formado em LETRAS, e não em Medicina, Engenharia ou Cursos Técnicos.

  10. Combater o PEC e apoiar a meia-dose do TGV é um rematado disparate. Vão-se catar… camaradas!

  11. Pedro Penilo diz:

    Sr. Gonçalves: aquilo que escreve é muito bom. É bom mesmo. Por favor, não pare de escrever. Imploro-lhe.

  12. Pedro Pedreiro diz:

    Cara Vanessa. Ser Comunista não é crime, bem pelo contrario, deixou de ser em 25 de Abril de 74. Quem faz um comentário tão descriminatório como a Vanessa, ainda esta no antigamente. Por serem comunistas ou não, não está em causa. O que neste momento está em causa é o PEC. Se por ventura não pode apoiar uma boa ideia, ou a verdade só porque foi proferida por um, dito, por sí, comunista, então não está á procura duma solução mas sim duma fuga. Perdoe a franquesa, mas ser comunista não é ser retrogrado mas revolucionário. E o que precisamos actualmente é duma revolução, pelo menos social. Até amanha, Vanessa.
    Pedreiro Livre.

  13. Afonso Costa diz:

    Est@ tal de Vanessa deve andar doida por se encontar na cama com um comunista.

  14. Daniel Gonçalves diz:

    Sr. Pedro Penilo: face ao meu comentário a única coisa que lhe coube dizer foi “aquilo que escreve é muito bom. É bom mesmo. Por favor, não pare de escrever. Imploro-lhe”. O Sr. não refutou ou explanou as minhas afirmações, o que é sinal de uma indigência mental, só consigo imaginar a sua cara com um risinho cínico e hipócrata ao escrever a sua resposta anterior.

  15. Pedro Pedreiro diz:

    Sr. Daniel Gonçalves.
    Dou-lhe razão, ao PCP só interessa os “intelectuais idiotas”, mas não é por os apoiar. Vou aproveitar o comentário do Sr. Jaime Barbosa, ao qual, (lhe peço desde já desculpas por lhe subtrair o Pedreiro Livre para pseudónimo), de facto hoje em dia quem é honesto e ,põe como é o caso destes intelectuais que dizem estar ligados ao PCP, o seu intelecto e esforço ao serviço do bem público com poucas vantagens pessoais em vez de a colocarem ao serviço de quem lhes pode dar cargos e benesses de toda a espécie (dinheiro incluido), para sí são idiotas, para mim, são o supra sumo da probidade que nos deveria gerir a todos, principalmente quem ocupa cargos públicos e politicos.
    Pedreiro Livre.

Os comentários estão fechados.