Notas breves sobre a discussão da Moção de Censura

  1. Ouvi o discurso de Jerónimo de Sousa na Moção de Censura e não poderia estar mais de acordo com a sua essência, com as referências ao desemprego, aos interesses financeiros ou a luta dos trabalhadores, na forma com que foram feitas. 

   2. Tal como eu, seguramente grande parte dos deputados do Bloco de Esquerda concordaram com o teor do discurso,… mas não houve nem um aplauso. Este exemplo repete-se em TODAS as intervenções de todos os partidos e é uma demonstração do carneirismo e do corporativismo partidário que cada vez mais invade a nossa democracia. Neste contexto, as sessões parlamentares são cada vez mais meras fantochadas, puros exercícios de estilo e de forma (há excepções, mas pouco ou nada de fundo se discute) e é também isto que permite que surjam na política estas figuras inqualificáveis, como Sócrates ou Passos Coelho.

  2. Se isto fosse um país a sério, ouvir Sócrates falar da “ética da responsabilidade”, deveria revoltar-nos  profundamente e dar uma volta nas entranhas de cada um de nós. Mas como não é…  

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

5 Responses to Notas breves sobre a discussão da Moção de Censura

  1. Martina Navratilova diz:

    Caríssimo, os aplausos são o menos, aliás, acho uma palhaçada essas manifestações em sede parlamentar.
    Ora ri, ora uiva, ora manda boca, ora faz cara de mau, ora manda alguém ir dar uma volta, ora bate na mesa como se um aluno irrequieto da primária se tratasse… palhaçada!! E nem sequer têm o nível dos parlamentares ingleses.
    O Bloco não aplaudiu mas votou a favor. O resto é lastro.

  2. Augusto diz:

    Certamente, como os deputados do PCP estiveram de acordo com a intervenção do Francisco Louçã, o BE apoiou as palavras de Agostinho Lopes e de Honorio Novo, o PCP esteve de acordo com as palavras de Ana Drago, as palmas aqui não têm relevância.

    Aliás tambem não vi os deputados do PCP aplaudirem as palavras da Heloisa Apolinio, será para se demarcarem dos verdes….

  3. Abilio Rosa diz:

    Apreciei as declarações de Jerónimo de Sousa.

    Interesse nacional é deitar este governo abaixo antes que nos deite abaixo definitivamente.

    Os passistas-coelhones, ao serviço exclusivo do Sr.Silva, querem manter o impostor (de impostos, vejam lá!) até Portugal se tornar numa colónia de Bruxelas ou de Frankfurt!

  4. Justiniano diz:

    Ora, caro Abílio Rosa, a esses há que juntar o agrupamento de esquerda…mortinhos por consagrar a coisa!!

  5. helder diz:

    Ó João , não é volta nas entranhas, é riso histérico, de quem está prestes a ser atirado de uma ponte e escuta uma anedota sobre aviões e falta de pára-quedas.
    Esteve bem o Jerónimo, ao não se deixar enrolar na palha que o socras vomita.

Os comentários estão fechados.