1+1=2

ACTO PRIMEIRO РDia 29: Grande Manifesta̤̣o Nacional da CGTP РNOVO RUMO COM A LUTA DE QUEM TRABALHA

Espera-se que venham aos milhares, que encham as ruas, que transbordem as avenidas, que gritos e gritos de revolta ecoem de Lisboa às ilhas, que o Povo expresse o seu descontentamento, a sua ira perante a injustiça de ser sempre usado como bode expiatório e cordeiro de sacrificio. Ah! vai ser linda, a luta!

ACTO SEGUNDO – Dia 29: Reunião da Comissão Nacional do PS para decidir o apoio a Manuel Alegre às Presidenciais

Espera-se que venham dirigentes socialistas de todo o país, que discutam acerrimamente, que postulem as suas divergências, que, no final, os socialistas possam dizer: “Somos de esquerda, porra”, que levem em ombros o candidato patriótico, democrata e anti-fascista e de esquerda, poeta e letrado, símbolo da nação.

ACTO TERCEIRO РDia 29 e 30: A Comunica̤̣o Social

Um directo a meio da tarde, nos canais informativos, está claro. Na televisão aberta é que não! “Vai-se agora interromper a matiné da tarde que tanto dá para entreter os míudos. Um gajo trabalha a semana toda, mata-se. Mata-se todos os dias e chega ao Sábado e ainda nos tiram este conforto.” À noite, no meio das noticias, depois da serôdia e esperada, rodeada de comentadores, do apoio final ao Alegre, depois desse anunciado parto de cesariana e já fora de prazo, talvez com uma internacional pelo meio, talvez apareçam uns segundos da Luta! Uma entrevista ao Carvalho da Silva ou, talvez, um excerto da sua intervenção, uns apanhados tipicos das manifestações, umas histórias particulares que apelam à lagrimazita até ou ao sorriso condescente ou empático.  A festa da Luta vilipendiada na sua grosseira caricatura de acto bizarro circense.

No dia seguinte, a cara de Alegre estampada em todos os jornais para provar que o PS “é de esquerda, porra”.

1+1=2, não?

também publicado aqui

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

17 Responses to 1+1=2

  1. Rita diz:

    Obrigadinha oh Rafael, com uma imagem tão animadora da luta, até apetece ir para a praia…

  2. Renato Teixeira diz:

    Creio que não Rafael. Nem a equação nem o resultado. A transformar a coisa matematicamente diria que é 1+1+1=1. PS+Alegre+BE= PS.

  3. Rafael Fortes diz:

    Talvez nao tenha sido explicito o suficiente. o que queria dizer com 1+1=2 era apenas dar o exemplo de um raciocinio lógico ao alcance de qualquer um, assim como o facto do PS ter preparado a candidatura de Alegre para o dia da Manif nacional apenas para desvalorizá-la e apresentar-se como de esquerda num dia de mobilizaçao popular. Nesse sentido 1+1=2 quer dizer nao se tá mesmo a ver a jogada do PS?

  4. Olaio diz:

    Mas o que eles não vão conseguir esconder é o espirito que animará as pessoas que estarão na manif, porque se esse ambiente for de luta e determinação, bem podem eles esconder à vontade que o pessoal acaba por lhes ir às fuças na mesma!

  5. rafael diz:

    Mas, Rita? Que imagem é que quer? Que a luta nao terá os seus inimigos? Que a luta é um passeio pela Avenida? A festa da luta é feita de entusiasmo e raiva, mas também de muita persistência e paciência

  6. Tiago Mota Saraiva diz:

    Seria divertido juntar os dois acontecimentos: Manifestantes vão à Comissão Nacional do PS…

  7. Tiago Mota Saraiva diz:

    … aposto que Alegre não ficaria contente.

  8. j diz:

    estou certo que não ignorariam a luta de tentássemos invadir o ministério das finanças, ou a sede do PS no largo do rato. Nada como uns bons coktails molotov para chamar a atenção!

  9. Rafael Fortes diz:

    sim, Tiago. isso seria extremamente divertido. 😉

    Caro j, embora nao negue a legitimidade de quase nenhum tipo de luta, acha realmente que a luta sairia beneficiada com invasoes e incendios a sedes partidárias? Acha que o extremar das formas de luta trariam mais gente para ela ou ao contrário?

  10. Renato Teixeira diz:

    Andas bélico Tiago… Depois do Continente, a Comissão Nacional do PS? Qualquer dia és citado no El Mundo mas por outros motivos. 😉

  11. j diz:

    o que acho mesmo é que, mesmo que lá estejam 200 000, 500 000, 1 milhão que seja, vão ser sempre olimpicamente ignoradas. a conversa será sempre: “as pessoas têm o direito de se manifestar, mas o governo deve continuar a sua linha de actuação, através de medidas inevitáveis para salvar o país”. Ora, eu estou-me borrifando para esta conversa e penso: se meter várias centenas de milhares de gajos na rua não os assusta nem os faz repensar (e este “os” são o governo, o psd e os media”), o que é que fará? Creio que uns cachaços poderão surtir o seu efeito!…

  12. carlos diz:

    a Luta sabe bem, todos nós, como poderá reconfigurar o terceiro acto. A CGTP talvez não, até porque a Luta pode ser prejudicial à própria CGTP.

  13. Rafael Fortes diz:

    Carlos, desenvolva lá como a luta pode ser prejudicial à CGTP. Essa teoria nunca tinha ouvido. Conte, conte…

  14. carlos diz:

    Como não ouvido? Ainda ontem dia conheci um velhote marxista surdo, não me diga que também não ouve?

    Seria uma tarefa hercúlea, enumerar todos os momentos revolucionários do últimos 150 anos em que as burocracias foram ultrapassadas, dispensadas, pelo processo revolucionário. A Luta faz muito mal à burocracia.

    E se não percebe isto, é talvez porque encara o presente como uma eterna social-democracia. Tenho trinta anos e acho que esse tempo acabou. Olhe a grécia, olhe.

  15. rafael diz:

    O 5dias é mesmo fantástico! Nunca tinha sido acusado de social-democrata. Incrivel.

  16. Nuno Ramos de Almeida diz:

    Habitua-te, Rafael, e ainda não comentou o xatoo. 🙂

Os comentários estão fechados.