“Sim mas… a terra treme, os dias maus vão acabar. O contra-ataque não se teme, se toda a gente se juntar. Se toda a gente se juntar!”

O Coro da Achada é um dos projectos em curso no Centro Mário Dionísio. Dirigido por Pedro Rodrigues, o maestro saltitante, este grupo pretende seguir trilhos muito interessantes e algo desaparecidos da cena musical. Ousando levar a música aos que poucas vezes cantaram, procura também levar a sua música onde ela é cada vez menos ouvida. A pesquisa de músicas ligadas ao movimento social (operário e camponês), bem como a redescoberta dos textos do Mário Dionísio (em tudo ligados aos operários e aos camponeses) constituem o chão que o Coro quer cantar. E como cantam. Com pessoas de todas as idades, cores e ideias, com profundas ligações às lutas e à cultura, fazem deste Coro um grupo único no panorama nacional, com ideias ambiciosas e cheias de vigor revolucionário.

De entre todos os elogios que tem recebido, este, apesar de curto, é dos que melhor resume o projecto. Parabéns pois aos seus dinamizadores, à Casa da Achada – Centro Mário Dionísio e a todos os que se recusam a ter o corpo atrelado à miséria e que dão voz à vida que se adivinha.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

1 Response to “Sim mas… a terra treme, os dias maus vão acabar. O contra-ataque não se teme, se toda a gente se juntar. Se toda a gente se juntar!”

  1. Pingback: cinco dias » cincodias sem o cincodias

Os comentários estão fechados.