Centenário da República III

O ESPLENDOR

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 respostas a Centenário da República III

  1. ezequiel diz:

    temos que ser Portugueses
    mas só nos faltam as qualidades…????

  2. Renato Teixeira diz:

    Ao que parece os defeitos já estão todos reunidos.

  3. ezequiel diz:

    e eu q pensava que os modernistas eram optimistas por excelência 🙁

  4. antonio diz:

    No dia em que destruírem isto eu juro-vos que venho cá ressuscitar e mato alguém

    (Nas tintas se foi o Salazar, o Duarte Pacheco ou a ‘vossa avó-torta’ que encomendou…)

    Mesma coisa para o painel à entrada da Gulbenkian.

    🙂

  5. Devo a Portugal aquilo que sou/uma dívida imensa/ maior que a própria vida/

  6. Renato Teixeira diz:

    António Geraldo Dias não deve nada a Portugal. Estou certo que é o país que lhe deve a si.

    E não são Ezequiel?

    António, não jure, venha.

  7. Pingback: Tweets that mention cinco dias » Centenário da República III -- Topsy.com

  8. A última vez que Portugal possuiu um desígnio nacional, mobilizou o melhor de si e construiu um imaginário verdadeiramente original e actuante, foi durante o 25 de Abril. Infelizmente, a experiência durou pouco.

  9. Renato Teixeira diz:

    Pois Pedro que procura… uma pena o PREC não ter parido uma República mais Rés e mais Pública…

  10. antonio diz:

    o Pedro que procura Inês a sua ingenuidade é comovente, e um enorme mito, quem sabe, necessário ?

    Mas mito all the same.

    Básicamente éram(os) meia-dúzia de actores, e depois uma data de figurantes.

    Estou propositadamente a encurtar razões, me ‘adisculpe’…

    Todavia, se tomar a nuvem por Juno é terapêutico para si, faça favor.

    E espero sinceramente que encontre o que procura, enquanto há vida…

    🙂

    Sempre melhor que suicidar-se ou não fazer nenhum.

  11. António:

    Depreendo, pelo seu comentário, que não sabe (ou insista em não querer saber) o que foi o 25 de Abril. Escolha, portanto, entre o imaginário do Portugal pluricontinental e a retórica do bom aluno da integração europeia. Bem sei que a primeira opção já foi e a segunda nunca chegou a ser, mas é como você escreve: se for terapêutico…

  12. antonio diz:

    o Pedro encontre Inês de uma vez…

    E se está à espera que eu saque dos pergaminhos a minha sugestão é que compre uma cadeira baratolas e espere sentado…

    🙂

  13. O Almada… Este não comemoraria os 100 anos da mamarracha, de certeza absoluta. Nada tem em comum com a gente nas fotos mais acima.

  14. Renato Teixeira diz:

    Ora… aproveitaria a efeméride para dizer das boas. Não anda por aí nenhum Almada?!?!?

  15. Pingback: cinco dias » Centenário da República V

Os comentários estão fechados.