“As Revoluções são impossíveis até que se tornem inevitáveis!”

Para além deste excerto de uma entrevista feita ao Zeca Afonso, ouça ainda as palavras de Malcolm X, Che Guevara, Jean-Paul Sartre, Lenine, Trotsky e Zizek em defesa do projecto revolucionário.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 respostas a “As Revoluções são impossíveis até que se tornem inevitáveis!”

  1. Zentopeia diz:

    Excelente compilação!! 🙂

  2. jcd diz:

    Muito giro. O Zeca, um excelente músico mas um bocadinho cretino quando falava de política, morreu antes de ver um dos maiores períodos de enriquecimento de Portugal, exactamente o que ele previa que não iria acontecer.

    Fica muito bem nesta sequência um tipo que esteve à frente de uma prisão onde executavam adversários políticos por sua ordem e outro que deu origem a uma das maiores mortandades que a humanidade assistiu.

    Diz-me com quem andas…

  3. Pingback: Tweets that mention cinco dias » “As Revoluções são impossíveis até que se tornem inevitáveis!” -- Topsy.com

  4. Pedro diz:

    Caros amigos e leitores deste blog: A senhora Stilwell resolveu escrever uma crónica de fim-de-semana que é uma provocação cobarde ao 25 de Abril. Deixou escrita na sua página: http://www.destak.pt/opiniao/61175
    um texto de Salazar de há 70 anos atrás. Este já fez despertar algumas simpatias pelo ditador, mas também houve quem renegasse o espírito que a dita senhora parece querer fazer prevalecer. Espero que muitos daqueles que defendem o 25 de Abril como dia da liberdade, contra as décadas de ditadura obscura que este País viveu, deixem um comentário contra o texto desta senhora, exprimindo todo o seu desagrado. Será a única maneira de fazer com que os novos fascistas (esses novos amantes de Salazar) se escondam e percebam que ainda não é a hora de sair do seu buraco.

  5. Daniel Gonçalves diz:

    Sim senhor, bonita colecção de assassínos de “massas” e manisfestações de mentecaptos/ingénuos crentes da instauração de uma sociedade totalitária comunista “O Paraíso” para estes mentores.

  6. Renato Teixeira diz:

    Jcd, enriquecimento? Em Portugal? O que vale é que o Zeca não viu o que não previu e sua excelência vê o que quer ver.

    Pedro, nojento o texto de Isabel Stilwell. Mas como diz o jcd diz-me quem citas que eu dir-te-ei quem és. Darei nota do caso. Boa denúncia.

    Daniel Gonçalves, “assassinos de massas” com “mentecaptos” ainda vá que não vá, agora com “ingenuidade” é capaz de não rimar. Em que ficamos?

  7. Diogo diz:

    Tirando o Zeca Afonso e o Malcolm X, que têm os outros a dizer acerca de revolução?

  8. Renato Teixeira diz:

    Diogo, diz que disseram meia-dúzia de disparates sobre o tema e tem mesmo quem garanta que foram bem além do verbo…

  9. Pingback: cinco dias » Isabel Stilwell cita Oliveira Salazar e não deixa Alberto João sozinho no ataque às comemorações do 25 de Abril

  10. João diz:

    Pois. Prefiro Tolstoi, Dorothy Day, Ghandi, Thoreau. E S. Francisco de Assis, já agora.

  11. Renato Teixeira diz:

    João, Ghandi? Os outros ainda nos ensinam algo, agora Ghandi? A versão casta do dar a outra face?

  12. Renato diz:

    O Renato Teixeira tem toda a pinta de ser aquele revolucionário que, numa revolução, puxa o gatilho na nuca dum “culpado” por um tribunal revolucionário ou menos!

  13. Sérgio diz:

    Acho que há palhaços por aí que pensam que na Russia só houve morte após a revolução vermelha…

  14. Antonio Cunha diz:

    faltou esta citação

    ““Não vamos perder, por via eleitoral, aquilo que tanto tem custado aos portugueses””

    25 de Novembro sempre, comunismo nunca mais…

  15. antonio diz:

    Isto que aqui fica é só uma “memória-zeca” para ‘comprovar’ (poix, estávamos todos à rasquinha’…) que nem todos os de ali, somos ‘afachoafoleirados’ ou temos apenas gostos idiotas.

    😉

Os comentários estão fechados.