António Filipe sobre as viagens de Inês de Medeiros

Importa talvez começar pelo mais importante: é completamente falso que o Conselho de Administração da AR tenha decidido pagar viagens a Paris à deputada Inês de Medeiros. O que foi decidido foi atribuir a essa deputada um subsídio de transporte equivalente ao da maior distância dentro do território nacional, o que faz toda a diferença.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

23 Responses to António Filipe sobre as viagens de Inês de Medeiros

  1. Pingback: Tweets that mention António Filipe sobre as viagens de Inês de Medeiros: Importa talvez começar pelo mais importante: é completamente ... -- Topsy.com

  2. Antonio Maria diz:

    Porque não pagam um subsídio até à fronteira do Caia?
    Depois ela que se desenrasca-se.

  3. João Silva diz:

    Uma trafulhice, portanto!

  4. Pascoal diz:

    Não gosto de explicações mal cozinhadas.
    Mais valia não falarem sobre o assunto.

  5. i.tavares diz:

    Uma coisa é certa. A Srª deputada,vai rir-se de nós.

  6. Dario Silva diz:

    Sim, há muitos portugueses em Paris!
    Mas fazer daquela cidade uma espécie de enclave ou colonato com direito a BI português, parece-me exagerado. Se calhar estou a ser roubado. Tudo democraticamente aprovado.

  7. Justiniano diz:

    Uma ficção, portanto!! Aplicação do princípio da equiparação do nabo ao caracol!! Nada de mais, então!

  8. JMG diz:

    Ainda bem que Timor já não é Português, senão esta jurisprudência ainda nos ia custar os olhos da cara.

  9. ze luis diz:

    Fui ler o blog do dr. António Filipe e deixei lá esta nota.

    Presumo, a resumir tudo, que a sra. deputada fica equiparada a viver em Bragança, provavelmente Melgaço. Comparar com Paris não está mal…

    Se “viver” em Melgaço, em caso de necessidade vai ao SAP de Monção porventura?…

  10. António Figueira diz:

    Na minha opinião, a decisão da AR é duplamente errada: politicamente, acho que nem vale a pena repetir porquê, juridicamente, é vergonhosa, porque o Parlamento português assume a prática de uma fraude: a Senhora viverá em Paris ou em Lisboa, agora nos confins do território nacional, como se pretende, é que não, e a AR sabe disso. Acho muito infeliz.

  11. i.tavares diz:

    Só para concordar em absoluto com o António Figueira.

  12. lingrinhas diz:

    Então não é ovo mas cagou-o a galinha. o senhor antónio filipe mais valia estar calado.

  13. João José Fernandes Simões diz:

    ‘Só para concordar em absoluto com o António Figueira’ porque é uma decisão trapalhona no plano jurídico.

    Embora, acrescento, que acho que lhe devem pagar as deslocações porque ela não mentiu sobre a residência que declarou.

    O problema está na lei que, ao que parece, é omissa neste caso. E se a deputada não mentiu quanto à sua residência (o que duvido que todos façam…) acho que seria discriminatório se não lhe pagassem as deslocações para a sua residência, seja esta em Paris ou em Timor ou em Pequim.

    Tenham a coragem política para alterar a lei ou de regulamentar para o futuro situações deste tipo. Sendo a lei omissa, então, só têm mesmo é que pagar, por muito que eu ache injusto, só que a lei nem sempre é justa.

    Já sob o ponto de vista político acho que a deputada em questão não acrescenta nada ao PS nem ao Parlamento e bem que podia ficar lá pela terra dela.

  14. LAM diz:

    António Filipe a meter os pés pelas mãos e a tentar justificar o injustificável, não é costume. Vá lá que desta vez os microfones não avariaram como quando da votação no parlamento europeu sobre o Berlusconi…

  15. Dario Silva diz:

    Claro, a lei está errada, está incompleta. Assim se gastarão cerca de 200 mil euros em viagens nos quatro anos da legislatura. Quem paga?

  16. Vanessa diz:

    Ou o deputado Antonio Filipe está mal informado, ou TODA a comunicação social errou.

  17. citizen diz:

    o ponto do território nacional mais distante de Lisboa é a ilha das Flores.
    Parece-me caquela senhora com poses de enfado vai sair a ganhar.

  18. Carlos Sant'Ana diz:

    Caro João José Fernandes Simões
    Se a lei é omissa, deve ser aplicado algo que infelizmente está em perigo de extinção em Portugal e que se chama BOM SENSO. E no Bom Senso da maioria das pessoas, se a Exma. Deputada foi eleita por Lisboa, deve morar no Distrito de Lisboa…
    Ab
    CP

  19. jorge diz:

    Acabou por fazer um bom negócio. Provavelmente pagam-lhe a deslocação até uma esquecida ilha dos Açores, cujo preço de deslocação de avião é superior ao preço de Lisboa a Paris! Assim pagam-lhe a viagem na totalidade – assim se faz a diferença para António Filipe.

  20. jorge diz:

    O preço da viagem de Lisboa para uma pequena ilha dos Açores é com certeza superior ao preço da viagem de Lisboa a Paris – assim faz toda a diferença para António Filipe.

  21. João Dias diz:

    Boa análise de António Filipe.

Os comentários estão fechados.