Retrato do anticínico quando jovem deputado

Idealista, leal e anticínico” parece-me uma trilogia razoavelmente bem escolhida, embora um pouco pretensiosa na sua aparente falta de pretensão (quem é, de facto, tudo isso, escusa de dizê-lo in a glossy Sunday supplement, I believe) e também um bocadinho na defensiva (por que razão sentirá Galamba necessidade de dar conta de que age por “lealdade”?, será má consciência ou simples tacticismo, aware of the days to come?). O João Galamba, já o disse anteriormente, é uma criatura do século XIX português reinventada no XXI (é o seu principal encanto, ser um Calisto Elói aggiornato), e disposta a refazer o papel de uma notabilidade parlamentar dos tempos do rotativismo na era dos blogues e da Terceira Via (o que inclui afirmar que é “autêntico”, e o leitor avisado deve entender como querendo dizer que ele é autenticamente forjado para a função social que se propõe); as a modest piece of advice, e trilogia por trilogia, eu por mim recomendava-lhe antes, e pensando nos dias difíceis que vai ter pela frente, os clássicos silence, exile and cunning (loads of, more than anything else, ‘cause when the Man goes not everything will be lost and life will go on, hopefully).

Sobre António Figueira

SEXTA | António Figueira
Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

12 respostas a Retrato do anticínico quando jovem deputado

  1. Pingback: Tweets that mention cinco dias » Retrato do anticínico quando jovem deputado -- Topsy.com

  2. joão viegas diz:

    Caro Antonio Figueira,

    Concordo consigo. Ha algo no homem que não consigo mesmo tragar. Mas porquê tanto inglês pelo meio, valha-me deus, com trejeitos que lembram os piores defeitos do retratado ? Sera pastiche ? Não me parece…

    Ah, ja entendi, é que você esta a pedir uma descom..postura !!!

    Ora ai a tem, que nos so ca estamos para ajudar.

    Na ocorrência, a ajudar a não se comportar como o Galamba, reconheça-lhe ao menos esta utilidade.

    E trate de não reincidir, please !

  3. ezequiel diz:

    Calisto Elói

    quem foi este persona, António?

  4. joão viegas diz:

    Chiça, “reconheça-se-lhe”. Pior que o soneto.

    Caramba, as caixas de comentarios não foram desenhadas para quem costuma reler-se. Um post acerca desse grave problema e das suas consequências para a lingua portuguesa, isto sim, seria digno de si…

  5. António Figueira diz:

    Ezequiel,
    É Camilo.
    João Viegas,
    So sorry, and thank you for the kind words. Agora a sério, pareceu-me estulto tentar traduzir o Joyce, e o resto decorreu daí.
    Abraços a ambos,
    AF

  6. Renato Teixeira diz:

    De trilogia em trilogia até ao “socialismo” final.

  7. Podengo et Orbi diz:

    Calisto Elói é o herói d’”A Queda de um Anjo”, que se vê transladado das berças para a alta política lisboeta. O efeito cómico faz-se do contraste, por se tratar de um sujeito rude, provinciano, pacóvio, ingénuo, etc.

    O João Galambra, “aggiornato” e “abronzzato”, agradece a farpa erudita.

  8. fernando antolin diz:

    Deve ser um tipo muito importante, o João Galamba…

  9. António Figueira diz:

    Claro que é um tipo muito importante, é um ícone literário! (e eu acho que, na próxima década, é capaz de surgir alguma obra sobre ele, e não necessariamente ensaística).

  10. maradona diz:

    oi

    gostei muito de seu site. muito bem escrito, revela um homem culto e com bom gosto, não é como os outros não. olha aí: proponho a você que troquemos links. visite meu site; se gostar, tamos aí:

    http://www.acausafoimodificada.blogs.sapo.pt

    Tudo di bom prá você
    maradona

  11. António Figueira diz:

    Oi, Pibe, mermão
    Nós termos link de você, causa foi é que num ter linkis de porra nenhuma.
    Ma num faz mal: culto di bom grandi maradona mora sempre aqui no pedaço (não obstante a repulsa que a sua cozinha primitiva causa no careta do Figueira).
    Volta sempre, é um prazê.

Os comentários estão fechados.