Filho da madrugada?

“A maioria dos meus colegas de faculdade ganha o quádruplo do que eu ganho. Estou no Parlamento. Ao contrário do que as pessoas dizem, no Parlamento trabalha-se bastante. (…) Desde sempre tive dificuldade a imaginar-me a trabalhar. Fui para a Faculdade de Economia sem pensar verdadeiramente na opção que estava a tomar. Tinha jeito para a matemática e os meus pais tinham a preocupação que eu fosse para um curso com elevada empregabilidade. (…) Até Londres não tinha o arsenal de conceitos e de autores que me permitiam contestar o que Fukuyama dizia. (…) Ainda não acabei a tese, suspendi-a porque estou no Parlamento e não tenho tempo nem disponibilidade mental. (…) Se não tivesse participado nos blogues, nunca teria sido convidado para as listas do PS. (…) O Pacheco Pereira foi uma figura intelectual importante da minha juventude. Mesmo no meio do bodyboard via quase religiosamente o Flashback. (…) Sou um idealista compulsivo. Por muito que a realidade teime em dizer não, a palavra é uma promessa e pode transpor oposições que parecem intransponíveis. (…) É uma ingenuidade necessária. (…) Sou um anticínico militante. (…) A palavra é sempre a coisa que vai para além da coisa que é. (…) O mais importante é não nos deixarmos contaminar absolutamente pelo que existe, nem fascinar pelo que pode existir, como se não houvesse uma mediação entre as duas. (…) É fácil ser idealista nos blogues. Sou idealista naquilo que escrevo num determinado contexto. (…) Desde que fui eleito deputado, exerço uma auto-censura. Há um conjunto de lealdades que não tinha e passei a ter. (…) Vivemos uma caça às bruxas. Ser um apoiante do Governo actual é uma espécie de crime. Sirvo uma determinada narrativa e sou uma vítima dessa narrativa.”

Não vale a pena discorrer muito mais sobre o personagem, principalmente quando é tão claro a falar na primeira pessoa. Mais do que o homem interessa ver em que é que se transformou a dita ala esquerda do PS. “Os filhos da madrugada”, como titula a entrevista que dá à Pública deste fim-de-semana, faz-nos desejar que o dia chegue o mais depressa possível.

Em anexo, os verdadeiros:

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

34 Responses to Filho da madrugada?

  1. Pisca diz:

    Pelo que está aqui

    Este gajo é um traste

  2. Renato Teixeira diz:

    Pisca uma vez mais sublinho: mais do que a análise ao homem interessa a análise ao Partido.

  3. c diz:

    o que eu gostava de saber é quem foi a alminha que achou que há muita gente interessada em saber a vida e obra desse senhor. é preciso não ter assunto para ter dedicado tanta página da Pública a alguém sem qualquer interesse. que desperdício de papel..

  4. Libertario diz:

    ´Claro: O PS actual não é mais que o espelho de quem o está a dirigir.

  5. Pisca diz:

    Então está no sitio certo

  6. Eu ia a ler muito bem, com algum enlevo até, confesso, até ter chegado à parte da “auto-censura” e ver rechaçado o idealismo dos blogs e notar o garroteamento da personalidade…

  7. Manuel Monteiro diz:

    Este palhaço diz que o caminho da esquerda não está no combate aos ricos nem na luta de classes. Mas não foi o Mário Soares que lançou, em tempos recuados, a palavra-de-ordem: Partido Socialista; partido marxista?
    Está-nos destinado um tempo em que temos que perder tempo com inúteis destes. Mas é como o Renato diz: antes do individuo temos que analisar o projecto em que está inserido.
    Manuel Monteiro

  8. Manuel Monteiro diz:

    Depois temos que distinguir: há filhos da madrugada e há filhos da puta…
    Manuel Monteiro

  9. ezequiel diz:

    o João até foi bastante honesto.
    n vejo o que há a criticar.(no plano individual)
    é uma entrevista a puxar po intimoide.

    há muito a dizer sobre o discurso do João.
    Primeiro, o PSD de Cavaco foi mega intervencionista. o PSD nunca criticou o estado social. as soluções do PSD não foram sempre as mesmas. o João demonstra uma ignorância atroz da história do partido de que fala.

    esquece-se tb que n foi apenas o neo liberalismo económico que faliu (o que q faliu foi algo muito específico. o capitalismo liberal n morreu. está a adaptar-se… )

    o intervencionismo estatal tb faliu em inúmeros domínios. tb não está de boa saúde. é precisamente a co-relação destas duas crises que faz com q a presente situação seja tão complexa. O PS a implementar o mais ambicioso programa de privatizações…é o representante da esquerda democrática!?!? oki doki, João. o único prob deste argumento…é que nada tem que ver com a realidade. falta-lhe a substância da correspondência (que é uma construção política, é certo, mas n menos importante por isso 🙂

    eu, cá por mim, desejo boa sorte ao João. é um idealista, sem dúvida, mas n é menos “socialista” por isso. + new age.

    é por estas e por outras que eu gosto dos comunas e esquerdoites fanáticos e dos conservadores old shool. são + autênticos. n sei porquê. funny.

    O João está a trilhar o velho caminho da Terceira Via. Muito Blairesco.

    Se fosse a ti, explorarava argumentação do João, que tem muito que se lhe diga

    eu acho que ele foi bastante honesto na entrevista.

  10. ezequiel diz:

    e é a primeira vez que “vejo” os conceitos da hermenêutica de Ricoeur aplicados á política. LOL “sem mediação” uauu. espero que o João n invoque a Phronesis como base do PEC. Seria um pouco como ouvir o prof Vidal a explicar as nacionalizações com a teoria de sets (ontológicos, é certo) do inefável Badipou. LOL 🙂

  11. ezequiel diz:

    PS afirma concordar com + taxas sobre os bancos etc
    cede às pressões do BE e PCP (foi isto q aconteceu, certo????)
    recupera label da “esquerda democrática”
    pretende maioria absoluta, evdt

    o BE e o PCP dizem alguma coisa? não. calados. os GAJOS cederam. invés se acentuarem o essencial, preocupam-se com a “persona” Galamba. o que é se passa com estes comunas? digo-te o mesmo: os verdadeiros, antes os verdadeiros.

  12. Abilio Rosa diz:

    Esse Galambinha é um poltrão que envergonha qualquer esquerda.
    Se ele diz que os colegas da faculdade ganham 4 vezes mais, então que ele vá ganhar dinheiro com eles e deixe de viver à custa dos contribuintes!
    Nem o ordenado mínimo ele merece!

  13. Ao ler as patacoadas desse sujeito, várias vezes senti a proximidade do vómito, mas reprimi-me.
    No entanto, o nojo ficou e vai persistir por algum tempo, acho eu. Pelo menos até deixar de dar pela existência do poltrão, como lhe chama o comentador precedente. É que depressa sai de moda quem não tem nada dentro da caixa de pirolitos… e esse gajo é só ar.
    Livra!

  14. A erudição tecida
    em ideais mal firmados
    numa base retorcida
    de fiapos declamados.

    Tantas madrugadas por nascer
    após noites escurecidas
    com o país a desvanecer
    nestas décadas esquecidas.

    É uma marca exemplar
    do regime estragado
    que muito faz por revelar
    um E(e)stado fustigado.

    São tantas nuvens por dissipar
    neste país escurecido,
    ficando o sol por destapar
    para um povo carecido.

  15. Renato Teixeira diz:

    C, de facto parece página a mais para este, ou qualquer outro deputado.

    Libertário, encontra assim tantas diferenças deste PS para os anteriores? Tal como o João Galamba diz a esquerda da esquerda sempre disse que qualquer geração de PS’s fez de facto o jogo e a política da direita. Será que não foi assim? Que líder do PS se associa a uma conquista verdadeiramente socialista?

    Pisca, de facto. Mas não haverá uns quantos Galambas à esquerda do PS?

    Blondewithaphd, chegou à auto-censura? Conseguiu?

    Manuel sem dúvidas que escolheste a melhor das citações. É precisamente essa que chateia. O resto é de facto circo relativamente inofensivo.

    Ezequiel, ele há intimismo que mais valia não acabar nas páginas dos jornais. Por ele próprio e acima de tudo pelos leitores. Não bastam sabermos as do Cristiano Ronaldo? É preciso também saber as do deputado Galamba? Ainda se fosse o lado oculto de uma qualquer nauthy girl…

    Quanto ao silêncio do silêncio do BE e do PCP é o que se sabe e não é novo. Agora terá que admitir. O jovem deputado é mesmo caricatural do que se transformou a esquerda moderna e democrática.

    Abílio Rosa, não sei se envergonha a esquerda se a social-democracia. Hesito. Ou melhor, não hesito nada.

    António Mário Sampaio, antes fosse só ar. Este tem lá coisas piores. A tentativa de ser verosímil ao quadro de valores da esquerda mas com a política de direita. Ar é o Sócrates que já não engana ninguém. Este ainda é capaz de o fazer. Quanto à repulsa estamos de acordo mas a mim só me dá para rir.

    Amêijoa Fresca
    e nome para o Poema? Posso deixar uma sugestão? Aqui fica: “Galambíssimas quadras”.

  16. Renato Teixeira diz:

    Ezequiel, que bom recordar a dama de ferro… Quanto à crítica burocrática parece assentar como uma luva. Vejam, vejam!

  17. E conseguirá ele ainda ver o biquinho do umbigo, ou a gordurinha já se terá acumulado à volta do círculo?

  18. Carlos Vidal diz:

    O Rui Pedro Soares, adepto do FCPorto, é um tipo bem mais sério, competente e com mais obra realizada.
    Alguma dúvida?

  19. Carlos Vidal diz:

    Eu bem dizia que o tipo deixava o galamba a milhas.

  20. Libertario diz:

    Renato tem toda a razão, o mal já vem do berço, esperamos que a sepultura não esteja longe!

  21. ezequiel diz:

    libertario,

    “o mal vem do berço.”
    “sepultura”

    se me dissesse isto, eu acho que o chamava de filho da puta.

    que resposta é q se pode dar a um comentário destes??

  22. Renato Teixeira diz:

    Ezequiel julgo que o Libertário estava a falar do Partido Socialista…

  23. ezequiel diz:

    se calhar percebi mal.

    ok.

  24. JCM diz:

    Um post vazio e um nojo de comentários. Reflectem bem aquilo em que este blog se tornou.

  25. Pingback: cinco dias » O livro vermelho de Manuel Alegre

  26. Renato Teixeira diz:

    Caro JCM o conteúdo do seu comentário é extenuante, principalmente na sua primeira metade. Percebe, como o post e o próprio João Galamba que a crítica ao vazio é o que de mais radical pode ser feito nos tempos modernos. Quanto à crítica que faz ela não tem fundamento, ainda para mais em alguém que encontra vontade de nos visitar todos os dias. Estou certo que encontra motivos para o fazer que vão além do desdenho fácil da segunda metade do seu comentário.

  27. Libertario diz:

    ****Comentário de ezequiel
    Data: 29 de Março de 2010, 12:33
    libertario,
    “o mal vem do berço.”
    “sepultura”
    se me dissesse isto, eu acho que o chamava de filho da puta.
    que resposta é q se pode dar a um ****

    Ezequiel, aconselho-o a não ser tão distraído. Habitue-se a ler as sequencias dos comentários.
    Não me faça acreditar naquele ditado popular “casa de pais escola de filhos” mãe neste caso.

  28. Pingback: cinco dias » Retrato do anticínico quando jovem deputado

  29. ezequiel diz:

    Libertário

    eu simplesmente presumi q estava a comentar o post e não os comentários.

    fico a aguardar pela publicação do seu compêndio de ditados populares.

  30. Libertario diz:

    Ezequiel: aceito as desculpas, pode continuar a morder a língua

  31. Pingback: Tweets that mention cinco dias » Filho da madrugada? -- Topsy.com

  32. Pingback: cinco dias » Da transitividade do discurso anticínico

Os comentários estão fechados.