Cuba tem de aprender… (a Ertzaintza dá boas lições, por ex.)


(Via Almareios)

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

15 Responses to Cuba tem de aprender… (a Ertzaintza dá boas lições, por ex.)

  1. Luis diz:

    Faz precisamente hoje 50 anos que o então Presidente Eisenhower autorizou a CIA a começar a treinar exilados para invadir Cuba. Com efeito foi em 17 de Março de 1960 que o presidente Dwight Eisenhower aprovou oficialmente, e divulgou publicamente, um “plano anti-Castro”, criando embargos comerciais ao livre comércio do açúcar cubano, e à sua importação de petróleo e armamentos, e lançou uma propaganda anti-Castro. O plano de Eisenhower incluía incentivos para os exilados cubanos de Miami tentarem derrubar Castro através de acções terroristas. Somente para este ano o Orçamento dos USA para as actividades anti-cubanas é de 90 milhões de dólares. Dá para tudo, principalmente para as madames e maridos e para a Prisa e EFE. E certamente também deu para silenciarem a emissão de hoje da Mesa Redonda da Cuba Vision (canal 222 do MEO) que tratava deste tema, precisamente depois de ter passado a reportagem da passeata das madames devidamente escoltadas por dois diplomatas europeus, um dos quais conselheiro da embaixada alemã em Havana…

  2. Renato Teixeira diz:

    A melhor lição da década passada:

  3. Carlos Vidal diz:

    Sim, claro, Génova G8, 2001.
    E o blogue:
    http://g82001.altervista.org

  4. p. s. d. da boa fé diz:

    Vou já cancelar a viagem que estava aqui a organizar para levar os dirigentes do meu partido a conhecer as putas de Cuba. Com aquele triste aparato repressivo, vamo-nos todos sentir inseguros nas ruas de Havana.
    Está decidido; vamos antes para o Algarve. Pelo menos aqui, se aparecer um preto a roubar ou um Jp ou um lingrinhas a passar no semáforo vermelho, a bófia tem outros meios e outras instruções…

  5. Carlos Vidal diz:

    Gostei dessa.
    Tristemente é como se vê e sabe.
    Aqui, ou em Espanha, a bófia acerta sempre… na nossa protecção.
    Viva a liberdade.
    (Morremos “democratas”, não é?)

  6. Renato Teixeira diz:

    Pois… a questão de Cuba não vai lá com petições demagógicas (DO), defesas apaixonadas como se a revolução cubana tivesse sido ontem e nada de lá para cá tivesse acontecido (CV) nem com a enumeração dos fenómenos da contra-revolução ou da burocracia castrista (Boa Fé).

    Não embarco no paleio que em Cuba se vive o mesmo processo degenerativo de outros Estados Operários que se transformaram no mais selvagem capitalismo. Pôr em contraste Cuba com a China ou a Rússia é um disparate no qual a esquerda da esquerda não deve alinhar.

    Mas isso significa que a revolução cubana fez o seu caminho para o homem novo? Evidentemente que não. E repito, não é pelos fenómenos. Não é Varadero e as putas, ou a repressão sobre os homossexuais e todos os desvios ao comportamento normalizado, nem mesmo os traços estalinizantes do Estado cubano.

    O embargo não pode ser uma carta branca para mandar às malvas todas as conquistas que a revolução cubana garantiu. Se assim for, ela serve tanto ao regime da Florida como ao Estado cubano. É má essa dialéctica. Combata-se o embargo, mas recupere-se e aprofunde-se o que ainda se vê das vitórias da Sierra Maestra, onde agora está instalada a mais fascista prisão do planeta: Guantanamo.

    Que se reforce o internacionalismo cubano que ajudou a vencer o colonialismo em países vizinhos mas também em sítios tão remotos como Angola; que se aplauda a rápida intervenção dos médicos cubanos no Haiti sem segundas intenções imperialistas; que se aplauda o sistema educativo da ilha, entre outras conquistas que se identificam.

    Mas que se defenda a renacionalização total da economia; que se aumente a qualidade de vida de uma das populações mais mal pagas do planeta; que se permita o exílio a quem quer ir para o regime da Florida (eles acordam depois de amanhecer); que se acabe com o apartheid de Varadero e que se recupere a agenda dos guerrilheiros que mandaram Baptista para as Doroteias.

    Com Cuba faz sentido ser consciência crítica. Com o resto não.

  7. Dizes NÃO, vais de carrinha, a concentrares-te de tuas verdades em motel de concentração ou campo bafiento sem vistas para campo. Se morres de fome, és menos um a comer do progresso geral. Se deres em louco, aguenta, serás amanhã herói (para alguns…). O pior cego é o que não quer ver. A Senhora das Mercês compor-te-á se tiveres velhice. Cuba de putas é abençoada por Deus. Também bonita por natureza. Lástima faltarem pastas de dentes a quem coragem tem – Deus da Misericórdia louvado — de ainda assim…rir.

  8. Quanto a SSZapatero habla, habla, mas no hace zapatos. Mais valia — mais valia estar calado — ou hablar com seus botões. Se tem lenha em fogo, em casa própria, que lhe chegue, como voltar-se para fora en habla española armado bombeiro altruísta que seus próprios fogos não apaga.

  9. xatoo diz:

    qualquer empresa se pode instalar em Cuba desde que cumpra a regra de deter apenas 49% do capital deixando a maior quota de 51% para o Estado poder ter capacidade de decisão sobre a função social dessa empresa. Perguntem ao Américo Amorim como é que se faz que ele explica. Foi com parcerias deste tipo que se saiu do “periodo especial” na década de 90 depois da falência da URSS e do trauma de uma economia completamente subordinada ao comércio com aquela zona económica
    Isto foi e é uma abertura muito generosa ao capitalismo. Do que é que se queixam os interesses estrangeiros que patrocinam a revolta silenciosa criando dissidências artificiais?
    É evidente, querem os 100 por cento nos mercados do imobiliário, da saúde, da educação e dos recursos naturais – e para tal não haverá vergonha em desencadear mais um grotesco carnaval apolitico à boa maneira das “democracias” euro-gringas

  10. Carlos Vidal diz:

    … xatoo, e como não há 100%, há mártires. Claro. Mas, com mártires ou sem mártires, espero que essa gente (“democratas euro-americanos”) nunca os obtenha. Os 100%.
    O que será bom para o oliveira e para os seus “combates” éticos pelos “direitos humanos” (“humanos” e “animais”, como dizia, se não me engano, o Otelo).

  11. simples diz:

    Bela lição por parte das ‘democracias’!

  12. Manuel Monteiro diz:

    Xatoo
    Pois, para mim, um dos problemas são esses 49% das empresas capiltalistas. É que esses caralhos dá-se-lhe o dedo e eles querem a mão. Vampiros, vampiros é que eles são…
    Manuel Monteiro

  13. Manuel Monteiro diz:

    Quanto ao resto: estou de acordo com o Renato…
    Manuel Monteiro

  14. cuba nada aprende, o sistema está viciado e podre, aquilo é tudo uma miséria pegada.

  15. Sarrabulho diz:

    Viva las damas de blanco e la madre que las pariu….

Os comentários estão fechados.