Picou-se?

Parece que há quem ache que estes guinchos também me têm como destinatário, já que tive o topete de não gostar da recente campanha da Ilga – a bem da verdade, até ousei sugerir que está mal feita, imagine-se.
Não acredito nisso. Primeiro, ninguém publicaria essa menção sem nos “lincar”, se fossemos o seu alvo; esse seria um comportamento verdadeiramente merdoso. Depois, a Isabel Moreira não é uma bosta capaz de achar que criticar uma campanha “meritória” é, por si só, coisa de “pica na merda”. E não divulgaria o cocó de ideia de que a campanha conseguiria “incutir” qualquer mudança nas mentalidades, como se meia dúzia de cartazes lá chegassem. Ademais, claro que ela não se iria arvorar em especialista no campo, como se um vocabulário capaz de abarcar coisas como “destinatário” e “acéfalos” garantisse que se tem algo a emitir sobre o assunto além de banais caganitas. Depois, alguém imagina que um escriba daquele blogue assuma o comportamento de latrina que é censurar comentários de visados? Por fim, seria preciso muita poia na cabeça para não perceber que “pica na merda” começa por ser um qualificativo da matéria picada.

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

2 respostas a Picou-se?

  1. É a esquerda caviar, como não lhe interessa os problemas económicos dos seus concidadãos (porque em regra vivem todos muito bem), entretêm-se a discutir costumes ou a defender os governantes da respectiva seita por mais mafiosos e imorais que sejam.

  2. antónimo diz:

    a sério que eles lá censuram os textos? e eu que nunca dei por nada?
    os últimos comentários em que lhes disse isso mesmo nunca deixaram de ser publicados. Claro que depois nem olhei para as respostas deles a esses meus posts queixosos, não dou confiança a certo tipo de gente

Os comentários estão fechados.