Resistência Islâmica I

Palestina

Líbano


Iraque

Afeganistão

Somália


Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

110 respostas a Resistência Islâmica I

  1. Não consigo ter uma posição pragmática a este nível, do tipo americanos ou islâmicos fundamentalistas. Só haver uma escolha possível.

    Porque se assim fosse, escolheria sem hesitar o americano (mas não o sionista naturalmente, não confundir as coisas). Porque, por muitas críticas que lhes faça (muitas, mas muitas), ainda vai prevalecendo uma certa lógica democratica nos EUA, o que seguramente não acontece no fundamentalismo islâmico teocrático que, como tu próprio admites Renato, lidera a resistência islâmica e que levaria ao caos humanitário se tivesse poder universal.

    Felizmente, julgo que ainda é possível condenar toda e qualquer forma de imperialismo. Uma terceira via, portanto, marcada por uma atitude pacifista, que condena veementemente o invasor, mas que também não desculpabiliza os crimes de retaliação do invadido (quem o faz, torna-se coerentemente adepto da justiça pelas próprias mãos e, por maioria de razão, da pena de morte).

    Para finalizar, faço uma pergunta que permitirá avaliar a seriedade e racionalidade de certos argumentos desta discussão. Salah Ah Din (e já agora quem mais sentir necessidade de responder): considera mesmo o Irão uma verdadeira democracia ou foram apenas palavras que escreveu precipitadamente no calor do debate?

  2. In Memoriam diz:

    Salah al Din
    Respondo-lhe com as suas palavras quanto às intenções do seu guru

    “UM SUJEITO “CIVIL” QUE VAI VIVER PARA UMA CASA OU EM TERRAS ROUBADAS A UM POVO MASSACRADO E GUETIZADO, E QUE SABE DISSO E QUE MESMO ASSIM APOIA O REGIME DE APARTHEID RACISTA QUE DAÍ RESULTA, não é um civil inocente, é um pulha criminoso e racista que merece a morte.”
    Salah al Din

    Quanto à negação do holocausto, vi e ouvi na nossa televisão livre.

    O Senhor é o outro lado da moeda dos sionistas assassinos! É igual a eles…

    VÁ PARA O IRÃO, FAÇA-NOS ESSE FAVOR!

  3. traveller diz:

    Renato. Não é uma análise psicanalitica, não. É apenas o resultado de uma longa vida que, penso eu, contrasta com a sua (suponho) juventude.

    Faça como quiser, mas fique ciente de que, quem o lê, cria uma imagem de alguem incapaz de assumir um pensamento critico independente. A sua admiraçào pelo euroliberal é a demonstração dessa fraqueza.

    Uma coisa é a defesa acérrima dos nossos ideais. Outra bem diferente é aceitar cegamente a propaganda sanguinária, assassina e reacionária dos islamo-fascistas.

    Deixo mais um vídeo que, certamente, lhe vai dar grande alegria:

    http://www.youtube.com/watch?v=XELcNMhkKCo

    Ma-salam-ha

  4. JJ diz:

    Renato Teixeira
    Disse:
    “JJ, enquanto começar ou acabar um comentário com frases destas: “Só fora do islam o Bem pode existir e ser fonte de vida.” …

    É uma forma simples de falar, mas é a mais pura das verdades.

    No islam, o que é humano não tem valor e o Bom Divino está mudo, quieto e calado.

    O islam não reconhece o outro nem que o outro seja o mais muçulmano ou o próprio Allah.

    No islam, tudo o que o Sr. Renato Teixeira disser por melhor que seja não tem valor e será usado contra si, para ser incriminado, submetido e desgraçado.

    Esta atitude faz parte do núcleo ideológico do islam e os muçulmanos que sejam mesmo muçulmanos maometanos, não a podem negar e têm que a seguir.

  5. Renato Teixeira diz:

    João Torgal, a tua terceira via só é opção para mim e para ti (e claro para a generalidade de pessoas que vivem sem guerra). Como aplicarias o teu pacifismo se fosses palestiniano, iraquiano ou afegão?

    Achas mesmo que quem é ocupado comete crimes o tentar defender-se e libertar-se do colono?

  6. Pingback: cinco dias » Resistência Islâmica II

  7. Renato, no essencial estás correctíssimo!!!

  8. Renato Teixeira diz:

    Já tinha pensado em ti neste debate… Tens que aparecer mais vezes pela tasca. Abraço.

  9. Pingback: cinco dias » Resistência Islâmica IV

  10. LGF Lizard diz:

    Se a idiotice pagasse imposto, os comunistas e os apoiantes dos islamofascistas chegariam para pagar todos os défices orçamentais de todos os países do mundo.
    Mas desde quando os islamofascistas “resistem” aos americanos? São os americanos que lutam contra a implantação do califado global islâmico, objectivo último dos islamofascistas.
    Quanto ao Salah Din ou Euroliberal, as suas ideias anti-semitas são por demais conhecidas. Aliás, basta ver o que os donos dele (Hamas, Hezbollah, Al-Qaeda, entre outros) dizem. O pobre coitado é apenas o papagaio dos donos.

Os comentários estão fechados.