Eles ridicularizam-se sozinhos

Este artigo foi publicado em cinco dias. Bookmark o permalink.

37 respostas a Eles ridicularizam-se sozinhos

  1. The Studio diz:

    Isto sim é tolerância, chamar filhos da puta e parvos a quem discorda de vocês. O que faz falta ao Luis Rainha é um espelho lá em casa.

  2. Luis Rainha diz:

    Tenho lá espelhos. E eles mostram-me um gajo cheio de defeitos mas que pelo menos não quer amputar as vidas dos outros até que caibam nos seus valores. Isso, para mim, é uma belíssima definição de filhadaputice.

  3. B diz:

    Mas a alternativa ao orfanato é a adopção gay?
    E eu a pensar que eram os milhares de casais que querem adoptar e não conseguem!
    Mas fica-vos sempre bem o momento Oliver Twist

  4. ser.r.alves diz:

    HAHA, muito bom o post. Pois, The Studio, temos de ser tolerantes com os intolerantes, né?

  5. Carlos Fernandes diz:

    Sim sim, chamar filhos da puta e parvos a quem não pensa da mesma maneira e depois ainda armar.se em vítima e alvo de amputações de vida, isto sim é ser um portento de manifesta(..ção de) tolerância…

  6. Luis Rainha diz:

    Carlos,
    Eu não me armo em vítima, pois até não sou homossexual. Mas olhe que uma coisa é um insulto, outra, bem pior, é querer que o nosso preconceito seja lei para os demais.
    Tolerância? Por mim, podem fazer a vossa manif à vontade; mas, se dependesse de vós, haveria gente impedida de casar. Se lhe parecem atitudes comparáveis, boa manif.

    B,
    Se olhar para o cartaz original, logo vê que trouxe as crianças para esta conversa. E não falei em “alternativa”, mas apenas apontei que há quem pense (ignoro porquê) que uma criança nunca poderá ficar bem ao cuidado de um casal do mesmo sexo.

  7. B diz:

    Ninguém me tira da cabeça que os padres pedófilos irlandeses – e sabem que a Irlanda e a França é tudo a mesma coisa, desde Wilde a Beckett – ah, mas dizia eu que os padre pedófilos irlandeses andaram foi a ler o Libé!
    Mais: a padralhada irlandesa pedófila era bem capaz de ter emoldurado nos confessionários o Libé de 1 de Março de 1979 que noticiava entusiasticamente o nascimento do FLIP, Front de libération des Pédophiles.
    Bem, isto só para dizer que os padres pedófilos – que seguramente lêem o Libé não vão a manifs reaças.

  8. Diogo diz:

    Não tenho opinião. Os homossexuais não se contentariam com a união de facto com os mesmos direitos dos casados?

  9. Youri Paiva diz:

    Eu acho que filhadaputice é bastante simpático até. Uma das associações promotoras, a Associação das Famílias Portuguesas, no seu blogue refere-se aos homossexuais de “invertidos” e considera-os todos “pederastas”.

    Não se queixem.

  10. Xuntanuclear diz:

    Kem vai organizar as manifs são mesmo aqueles que kerem k os seus preconceitos ‘encaixotar’ outros modos de vida,tal como os homossexuais,os trabalhadores anti-capitalistas,os comunistas,etc.O que querem ,sei eu…!

    Assinado:um orgulhoso heterossexual

  11. Luis Rainha diz:

    Diogo,
    E se os negros tivessem uma espécie de BI, só diferente no nome?

  12. Aristes diz:

    Diogo,
    E você, que direitos é que se contenta em abdicar?

  13. Corvo Verde diz:

    Dom Policarpo, o general Leandro e os bone-heads do PRN, mais a Pegado familiar…
    Pois, coligação interessante…
    Quero lá saber dos casamentos dos outros… Ou seja, até quero saber, quero que eles tenham a liberdade de casar com quem amararem.
    Ponto.

    PS: Os itoloernates ficam tão escnadalizados quano as coisas não vão ao seu moinho, né?

  14. Sugestão de palavra de ordem:

    “Com o respectivo cú cada um faz o que quer!”

  15. renegade diz:

    Luís Rainha, belo cartaz!
    Vou levá-lo para a concentração que o Nuno Almeida apelidou de palhaçada. Obrigado.

  16. Justiniano diz:

    Rainha, meu dromedário de pelo curto (já estava farto de concordar consigo), mas quem foi algum dia impedido de casar pelo facto de ser homossexual!!??
    O considerando discriminatório que quer encimar é abstraído pelo facto do casamento, onde a orientação sexual nunca foi elemento considerado. (Está o Rainha seguro que, neste tocante, se extinguiram as amputações de vida)
    Folgo, no entanto, por saber que mantém viva a concepção Cristã (quase Vitoriana) de casamento, ainda que seja apenas lá no seu imaginário, ou então será apenas mais um contributo para a ampliação da liberdade contratual.
    Nada me move contra ou a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo, ademais o legislador já decidiu da questão, mas poupe-nos a este argumentário de foguetório de novela mexicana.

  17. zé do boné diz:

    -desemprego. falta de cuidados de saúde, fome, miséria , desespero ,etc, etc… E andam certo gajos preocupados com o direitos ou lá o que isso é dos maricas e das maricas ora vão-se foder todos seus filhos da puta.

  18. Excelente cartaz.

    Pode roubar-se mencionando a origem?

  19. José Mexia diz:

    Escrevi na blogosfera muito tempo e acompanho diariamente alguns blogues, o cinco dias inclusivé. Embora não concorde com quase nada do que aqui se escreve, sempre acheie este blogue “honesto” nos seus propósitos. É pois com muita pena que digo que o Luis Rainha é um filho da puta de um fascista.
    Cumprimentos

    José Mexia

  20. Luis Rainha diz:

    Podes roubar à vontade, mesmo à má-fila 🙂

  21. Luis Rainha diz:

    E eu acho que é mesmo pena a sua mãe não ter descoberto os contraceptivos mais cedo.

  22. Luis Rainha diz:

    Justiniano,
    Mas qual argumentário, ao certo? Esse formalismo de ser permitido aos homossexuais casarem-se (com gente do sexo oposto, claro) não cumpre os mínimos de inteligência.

  23. Justiniano diz:

    Rainha,
    Aquele, dos velhacos, desdentados, corcundas, ranhosos e esquizofrénicos, que se recusam a receber a boa nova e que são unicamente movidos pela vontade mesquinha, maldicente, botabaixista, de atrapalhar (amputar e infernizar) a vida dos outros (filhadaputice) até que a final os personagens se encontram libertos da mesquinhez, dos outros desgraçados, num universo de genuína simplicidade e transparencia, celebrando um grande amor através do matrimónio.

  24. Hilario diz:

    Eu acho o casamento absurdo, doentio e desnecessário.
    Reivindicar o direito a casar-se é como reivindicar o direito à esclerose múltipa. Mas rejeito haver discriminação num direito por mais idiota que ele seja, ah isso rejeito.

  25. Luis Rainha diz:

    Já somos dois, Hilário.

  26. Youri Paiva diz:

    Três, vá.

  27. fernando rosa diz:

    quatro. ….

  28. Filipe Castro diz:

    Quatro. Eu acho que se devia deixar casar toda a gente, especialmente os padres e as freiras, que odeiam o mundo e não sabem porquê. :o)

  29. Paul Wolf diz:

    Alguem me consegue explicar de forma clara e objectiva, qual o objecto de discussão deste forum ?
    Eu só leio aqui insultos , sem no entanto conseguir compreender o que é que cada uma das duas (ou mesmo mais do que duas) partes preconiza sem que a outra seja usurpada da liberdade que lhe é devida.

    Wolf

  30. Luis Rainha diz:

    Fácil: isto não é um fórum.

  31. Youri Paiva diz:

    É fácil explicar. Aliás, é como a manifestação de ontem e a sua respectiva contra-manifestação.

    Enquanto uns tipos elevavam no ar terços, estátuas da N.S. de Fátima, Bíblias e gritavam repetidamente “lobby gay”; e no meio dessa massa de gente havia gente mais criativa que gritava um “vão casar com o cão”, “bando de paneleiros”, “vão para o caralho” e coisas do género; e no final dessa massa havia ainda vários betos e cabeças-rapadas a fazerem a saudação nazi enquanto gritavam “sieg heil”… havia umas pessoas que observavam, faziam barulho e que gritavam “homem e mulher, eu amo quem quiser”.

    São realmente lados bastante diferentes.

  32. Paul Wolf diz:

    Continuo sem perceber, porque é que uns fazem então manifestações e outros contramanifestações.

    A resposta do Luis Rainha não me parece justa, eu posso ter-me enganado ao designar este lugar de discussão mas não é preciso ser tão ironico (irado)

    Wolf

  33. Luis Rainha diz:

    Uns fizeram a manif porque são tontos e outros fizeram a contra-manif porque tontos são.
    No caso acima, “ironia” só partilha com “ira” as letras.

  34. Paul Wolf diz:

    Então se uns e outros são tontos porque é que voces discutem tão fogosamente sobre tontices ?

  35. Paul Wolf diz:

    Relativamente ao : “No caso acima, “ironia” só partilha com “ira” as letras.”
    O senhor não consegue memso dialogar sem ter sempre de fazer sentir o seu interlocutor em desvantagem ?
    Um certo distanciamento entre a sua forma de ver, que pode não corresponder à realidade dos seus parceiros ou interlocutores, poderia ser uma boa forma compreender as dificulades ou as virtudes dos outros e simultaneamente as suas.

    Wolf

  36. Luis Rainha diz:

    Wolf,
    Mas eu não me interesso grandemente por essas cenas, que quer? Mas gosto de discutir sobre tontices; sobretudo depois de ter os miúdos a dormir.

Os comentários estão fechados.